Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Mais da metade dos cerca de 10 milhões de sites ativos no país são blogs, informa a BigData Corp

Publicado

em

Levantamento revela que 82,7% da blogosfera brasileira contêm anúncios; mídias sociais, feed de notícias e plataformas para blogging são instrumentos que têm conquistado a adesão massiva dos blogueiros nacionais

Existem mais de 5,5 milhões de blogs no Brasil, os quais representam 55,36% dos cerca de 10 milhões de sites ativos no país. Este universo está rapidamente se transformando em um mercado que começa a concorrer pela verba de propaganda: mais de 82% deles adota alguma rede de exibição de anúncios. A AdSense, do Google, reina absoluta entre os blogs, respondendo por 54,06% de participação. Todas as demais redes de anúncios somam 28,64%.

Estas e outras conclusões estão no mais novo levantamento realizado no início de setembro pela BigData Corp, empresa líder em big data na América Latina. A empresa realiza o monitoramento semanal de mais de 20 milhões de sites brasileiros (dos quais apenas a metade é ativa).

“Este é um universo sobre o qual pouco se sabe e direcionamos nossas pesquisas para destrinchar para onde vai esse mercado, que ganha relevância econômica em função do potencial de anúncios que possui, sem falar da capacidade de formação de opinião dos blogs mais influentes”, comenta Thoran Rodrigues, fundador e CEO da BigData Corp.

 

Blogosfera multifacetada

Boa parte dos sites é dedicada a um tema predominante. Lideram os blogs de moda (1,81%), os de tecnologia (1,76%), os de cultura (1,6%), os de política (1,3%), os de esportes (1,24%) e os de viagem (1,19%). No entanto, é visível a pulverização de assuntos, abrangendo, ainda entretenimento (1,12%), beleza (0,67%), games (0,38%) e humor (0,35%).

Outra característica dos blogs brasileiros é que menos de 1% deles (0,94%) consegue romper a barreira de meio milhão de acessos por mês. Ao contrário, 96,5% são pequenos, com até 10 mil visitas mensais. Da mesma forma, apenas 13,97% possuem mais de 5 mil imagens no seu acervo. “Talvez porque o tempo médio de vida dos blogs seja de apenas 12 meses, os acervos de fotos e posts seja pequeno”, explica o executivo. A maior parcela, 30,87%, possui menos de uma centena de fotos; e 27,03% apresentam aos seus visitantes entre mil e 5 mil imagens.

 

Profissionalização em curso

“Já vemos uma tendência à profissionalização desses blogs, que começam a usar ferramentas para alavancar sua exposição na web e facilitam o conhecimento de seus leitores, bem como o relacionamento mais fidelizado”, comenta Rodrigues.

De acordo com o levantamento da BigData Corp, mais de 80% (80,29%) já estão hospedados em, basicamente, duas plataformas de blogging: a Blogger, lidera com folga, com 59,76% dos blogs no país, e a WordPress (18,51%). Também o uso de mídias sociais se generalizou. Mais de 90% dos blogs aliam a sua exposição a elas: Facebook (48,53%) e Youtube (48,21%) são as favoritas dos blogueiros, os quais também lançam mão do Twitter (33,97%) e do Instagram (11,14%).

 

Desperdício de oportunidades

“Vale mencionar que, entre as ferramentas mais relevantes utilizadas na blogosfera brasileira, está o feed RSS, que facilita a distribuição e integração do conteúdo em outras plataformas, hoje presente em 91,49% dos blogs”, informa Rodrigues.

Curiosamente, as ferramentas de analytics, no entanto, ainda têm chão para conquistar: foram adotadas por apenas 41,39% dos blogs do país. “Isso denota um resquício de amadorismo, já que o blogueiro que dispensa a adoção de analytics não faz ideia de quem seja, de fato, o seu público. Vive às cegas, pois perde a oportunidade de apresentar um conteúdo mais dirigido e relevante a quem o segue, assim como a de alavancar o seu espaço comercialmente para as empresas que buscam atingir o seu leitor”, afirma o especialista em big data.

Thoran chama a atenção para uma tendência que indica a importância crescente do acesso aos blogs via celular: os aplicativos já estão presentes em 12,24% dos blogs nacionais.

Continue lendo

Universo Live

AMPRO Globes Awards abre inscrições e anuncia Adriana Cury na presidência do júri

Publicado

em

AMPRO Globes Awards abre inscrições e anuncia Adriana Cury na presidência do júri

O AMPRO Globes Awards, maior premiação do Live Marketing no Brasil, acaba abrir as inscrições para a edição de 2021 e anuncia a nova presidência do júri. Adriana Cury, VP de Criação da Nova/SB Brasil, vai liderar os trabalhos para a análise dos cases neste ano.

Adriana foi Presidente e Chairwoman da McCann Erickson Brasil e Vice-presidente da Ogilvy and Mather. Faz parte do Conselho da ESPM e do Conar, é também fundadora e líder do Círculo de Criativas Brasil, focado na valorização da mulher no mercado de comunicação. Por duas vezes foi indicada como “Most Influential Brazilian Women em Marketing e Comunicação by Forbes Magazine”, foi ganhadora do Caboré, duas vezes jurada no Cannes Lions Festival – Categorias Print e Titanium e tem 15 prêmios conquistados no Cannes Lions, One Show, AD&D, London, Clio etc.

“É um ano bastante desafiador, mas estamos confiantes na participação do mercado, mostrando que o Live Marketing tem soluções para todos os momentos. Quanto ao júri, estamos muito felizes em ter uma mulher na presidência e pela qualidade ímpar da Adriana Cury. Buscamos diversidade no júri:  Silver Age (profissionais com idade acima de 50 anos) junto com New Blood (jovens profissionais, com idade abaixo de 30); equilíbrio entre mulheres e homens; profissionais de diversos estados brasileiros e do exterior; presença significativa de [email protected] e representantes de minorias. Enfim, um júri que privilegia a presença de profissionais de Criação, mas busca diversidade ampla”, afirma o presidente executivo da AMPRO – Associação de Marketing Promocional / Live Marketing, Alexis Pagliarini.

Reinvenção e categorias

Nesta edição, a campanha do AMPRO Globes Awards, criada pela Tracylocke, vencedora do Título de Agência do Ano de 2020, destaca a reinvenção, simbolizada pelas figuras do escaravelho sagrado e do pilar djed, da cultura egípcia; a tríscele, da cultura celta; e a roda do dharma, da cultura hindu. Os símbolos escolhidos, acompanhados do mote ‘Re-Ampro Globes Awards. Um prêmio pra quem se reinventa’, representam a importância de ressignificar, de renascer, defendida pelo mercado depois de tempos difíceis.

As 19 categorias da premiação seguirão mais alinhadas com as categorias do The Globes – que reconhece anualmente as melhores campanhas em mais de 25 países. A relevância dos trabalhos se dará mais pelas experiências e resultados conquistados, reforçando a característica estratégica do Live Marketing. Os valores em 2021 também estarão mais acessíveis.

Fazem parte do grupo de trabalho para a organização da premiação este ano: Aline Lazar de Sá – Marcativa, Daniel Ottoni – Tracylocke Brasil, Debora Tenca – Fino Trato Eventos, Denise de Cassia – Casa 96, Dilma Souza Campos – Outra Praia, Izabel Barbosa – Bethe B, Gabriel Boaventura – akm, Tiago Fattori – Agência Diferencial, Denise Mussolin – Negócios.WIKI, Simone Mussolin – Negócios.WIKI, Alexis Pagliarini – AMPRO, Luciana Monte – AMPRO, Mirian Cristie – AMPRO e Natalia Lanni – AMPRO.

As inscrições do AMPRO Globes Awards 2021 já podem ser feitas pelo site: www.amproglobesawards.com.br

Realizado há 21 anos pela AMPRO, o AMPRO Globes Awards é a versão nacional do The Globes Awards, a maior premiação mundial do Live Marketing criado pela MAA Worldwide. Por aqui, os cases inscritos são avaliados nacionalmente e podem ser aprovados também para concorrerem internacionalmente.

A Associação de Marketing Promocional é a única que desenvolve nacionalmente a teoria e a prática do setor de Live Marketing de forma ampla. Com sede em São Paulo, completa 28 anos em 2021, com representação abrangente em todo o território nacional. www.ampro.com.br

Continue lendo

Universo Live

Jogos Olímpicos 2021: O que esperar do desempenho digital do esportivo mundial mais aguardado do ano?

Publicado

em

Jogos Olímpicos 2021: O que esperar do desempenho digital do esportivo mundial mais aguardado do ano?
Mesmo antes da chegada da pandemia, o setor de entretenimento já dava fortes indícios de grandes mudanças para se conectar e melhorar ainda mais a experiência do usuário durante experiências presenciais. O digital precisou assumir o lugar do presencial, marcando o surgimento do Phygital. Após mais de um ano de reclusão social, o termo passou a ser um forte aliado do setor de eventos, que passou, e ainda passará por transformações e realizações no formato híbrido. Com a chegada dos Jogos Olímpicos de Tóquio – esportivo mais aguardado do ano -, os sócios da MField, agência especialista em estratégias de influenciadores e conteúdo para ativações digitais, projetam suas expectativas no desempenho e estratégias de marketing do evento, que será responsável por apresentar as principais tendências e formatos que funcionarão de forma assertiva dentro do cenário esportivo.

Registrando um prejuízo de R$ 270 bilhões no último ano, o mercado de eventos foi um dos mais afetados com o agravamento da pandemia, segundo pesquisa realizada pela CNN. Sendo assim, o uso da tecnologia como solução criativa foi essencial para seguir movimentando o setor. A exemplo dos últimos eventos esportivos como o Super Bowl, e a final da NBA, as Olimpíadas de 2021, anteriormente previstas para acontecerem entre julho e agosto de 2020, promete ser o evento com um dos maiores investimentos em tecnologia, uma vez que, o momento atual ainda necessitar de distanciamento social para evitar o contato e aglomeração entre pessoas de diferentes países. A transmissão dos jogos em novos formatos e plataformas se tornou essencial para suprir as expectativas de desempenho diante do atual cenário, impulsionadas também pela cidade sede, conhecida mundialmente por ser uma das maiores potências em tecnologia, e desenvolvimento de recursos e planejamento.

Para Flávio Santos, CEO da MField, e empresário com mais de 15 anos no gerenciamento de contas digitais, o investimento em novos formatos é importante para acompanhar as novas tendências do mercado, principalmente diante de um nicho que está cada vez mais conectado com o marketing digital e de influência. “Percebemos hoje que o universo do esporte abrange os mais diferentes públicos, principalmente com o crescimento do número de influenciadores que falam do assunto, em sua maioria os próprios atletas. Com isso, proporcionar essa nova experiência traz além da audiência esperada, uma nova conexão entre o evento e o público, além de maior atenção de marcas”, destaca o empresário.

Para as marcas, a aposta no ambiente digital tem se mostrado uma prática eficaz e assertiva para amplificação das estratégias de marketing. Cada vez mais premiações, campeonatos, festivais e programas com cunho esportivo têm tido maior repercussão nas redes sociais, com transmissões e interações ao vivo, e réplica de conteúdos personalizados criados especificamente para os eventos, junto aos conteúdos de influenciadores do nicho que comentam os mesmos em tempo real. “Vivemos em um mundo que está constantemente conectado, as pessoas estão a todo tempo se atualizando de tudo que acontece ao redor do mundo em tempo real, e vemos isso com aumento da audiência em eventos, e principalmente no lançamento de conteúdos exclusivos do gênero em serviços de streaming”, pontua Gustavo Almeida, diretor de produtos da MField.
 
No entanto, o investimento por parte das marcas ainda passa por grandes adaptações, uma vez que o esporte tem como principal característica a presença de torcedores de diversos países, além da venda de itens exclusivos durante o período em que o evento esteja acontecendo. “O período de transição entre os formatos é crucial para adaptar o público que é habituado com o presencial, com os jovens, que seguem antenados virtualmente. O adiamento de um ano foi importante para que a organização tivesse uma clara percepção do que melhorar no desempenho dos Jogos, com base na realização de outros esportivos”, analisa Flávio. “O momento, irá apresentar grandes mudanças para o entretenimento, que serão responsáveis por seguir conquistando, cada vez mais, novos espaços entre diferentes classes, idades e nacionalidades”, conclui o empresário.
Continue lendo