Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Fique por dentro dos termos do marketing digital

Publicado

em

Confira o glossário de mídia mobile

 O ecossistema do marketing digital é permeado por siglas e termos ainda pouco disseminados no mercado em geral. Muitas vezes, essas nomenclaturas são usadas indiscriminadamente, e até equivocadamente, gerando confusão no público leigo.

 Pensando nisso, esclarecemos o significado de algumas expressões recorrentes na indústria dos ads nativos programáticos. A lista não é definitiva, afinal, a cada dia o mercado cria novos termos, novas tecnologias e novas siglas. Mas trata-se de um bom ponto de partida para entender melhor a programática nativa. Confira:

Impressões

Um dos números mais comuns em métricas, as impressões nada mais são do que a quantidade de vezes em que seu anúncio foi exibido durante a campanha.

Clicks

Os cliques são números importantes para as métricas, pois indicam a quantidade de vezes que os usuários clicaram em seu anúncio em toda a campanha.

CPC (Custo Por Clique)

O CPC – ou custo por clique – é uma métrica muito importante para os profissionais de marketing. Trata-se de uma medida da ação do usuário ativo (aka clique) em relação ao investimento em mídia. Considerando que a publicidade nativa programática possui uma CTR impressionante, esse CPC é freqüentemente competitivo com o de campanhas de pesquisa paga.

CPCV (Custo Por Visualização Concluída)

O CPCV – custo por visualização concluída – é uma métrica que surge quando são executadas campanhas de vídeo nativas. Trata-se do preço unitário de um anúncio de vídeo com êxito (100%) visualizado. Quanto menor for este valor, mais valor você obtém para sua campanha de vídeo nativa.

CPE (Custo Por Engajamento)

O CPE – Custo por Engajamento – é uma métrica calculada a partir da divisão do custo pelo número de engajamento. Contudo, nem todos utilizam os mesmos critérios para aferir essa métrica e nem todas as empresas que operam com mídia programática oferecem uma medida de engajamento.

CPM (Custo Por Mil)

O CPM – Custo por Mill – é a métrica mais comum de unidade de mídia digital. Esse número se refere ao preço de 1.000 anúncios exibidos para sua campanha.

CTR (Click Through Rate)

O CTR РClick Through Rate Р̩ a porcentagem de cliques alcan̤ada em rela̤̣o ao n̼mero de vezes que os an̼ncios foram exibidos.

DCO (Otimização Criativa Dinâmica)

Tentar atrair o p̼blico com a mesma imagem repetidamente pode ṇo ser a melhor estrat̩gia. Para isso, o DCO РOtimiza̤̣o Criativa Din̢mica Рentra em jogo analisando o desempenho dos an̼ncios nativos na campanha e exibindo o an̼ncio com melhor desempenho para o p̼blico. Assim, ele oferece a oportunidade para testar diferentes linhas criativas.

Ad networks com foco em anúncios nativos (redes de anúncios)

Algumas empresas agregam inventário nativo de um grande número de publishers, criam segmentações de acordo com parâmetros específicos (como localização, gênero, idade e interesses) e vendem para os anunciantes, criando assim uma ad network (rede de anúncios). Essas empresas oferecem boas fontes de inventário, aumentando o alcance das campanhas dos anunciantes, com preços mais baixos. Entre as ad networks estão:  Facebook, AdMob (Google) e InMobi.

Ad exchanges

Graças à popularização de protocolos OpenRTB, cada vez mais estão sendo criados canais de anúncios nativos. Dezenas de facilitadores chegaram ao mercado para permitir a transação de anúncios entre o lado da demanda (anunciantes) e do fornecedor (publishers). Essas exchanges de anúncios executam e gerenciam o leilão em tempo real em milhares de sites e aplicativos de publishers criando fontes de inventário que valem a pena explorar. Nos ad exchanges, os publishers determinam o preço do seu inventário: eles podem selecionar os valor mínimo que desejam para seus slots (floor price) e recebem ofertas em tempo real dos anunciantes. Já nas ad networks, a precificação é feita para um agregado de mídia (respeitando a segmentação) e os valores pagos são determinados pelas próprias ad networks. Existem algumas opções de exchanges de anúncios nativos, como Avocarrot, MoPub exchange, AdX (Google), entre outros

DSPs (Demand-side platform)

Um DSP, ou plataforma de demanda, permite que os anunciantes comprem impressões de uma ampla gama de sites de publishers que são direcionados a usuários específicos com base em segmentações como localização e comportamentos de navegação anteriores. Um DSP ‘se conecta’ a um ad exchange, onde os publishers disponibilizam seu inventário. O DSPs analisa as impressões oferecidas pelas SSPs e compra em nome dos anunciantes. Eles podem pagar mais por impressões em um determinado local ou para chegar a um consumidor que possa achar esse anúncio relevante.

SSPs (Supply Side Platforms)

SSPs ou Supply Side Platforms podem ser consideradas o lado oposto das DSPs: também conectadas aos exchanges, são usadas pelos publishers para automatizar a venda do seu inventário. O benefício para os publishers é que uma SSP não só facilita, mas otimiza e maximiza seus rendimentos, garantindo o preço unitário mais alto possível para a venda.

In-App Native Advertising

Atualmente, os anúncios nativos In-Feed são a forma mais difundida de publicidade nativa in-app e são utilizados por empresas como Facebook e Twitter. Após o sucesso de tais canais que se combinam perfeitamente e sem esforço no ambiente de publicação, muitos editores seguiram o exemplo. Os ads nativos podem aparecer de três maneiras diferentes:

Feed

Tal qual a maioria das redes sociais, como acontece no Facebook e Instagram, é apresentado um post por vez conforme se dá scroll na tela.

List

Em ícones menores, cada post é apresentado em forma de lista. Cada tela consegue abranger um maior número de elementos do que no feed tradicional.

Grid

Neste caso, os posts aparecem com thumbs menores, espalhados na tela, apresentando um número maior do que o feed tradicional, com posts em linhas e colunas.

 A tendência é que esses e outros termos sejam cada vez mais disseminados e melhor compreendidos pelo mercado.

Sobre o autor: Marcus Imaizumi

Marcus Imaizumi é diretor de supply para América Latina da Glispa Global Group, adtech alemã com sede em Berlin e escritórios em São Francisco, Beijing, Shangai, Tel Aviv e São Paulo. Formado em administração de empresas pela FGV-SP, tem mais de 15 anos de experiência em desenvolvimento de negócios no mercado mobile e de games, passando por empresas como Yahoo!, Sulake, Innogames, Startapp e Glispa.

Continue lendo

Universo Live

Painel feito com 1.400 latas de alumínio é inaugurado no metrô Sumaré

Publicado

em

Até o dia 9 de junho, um painel de 11,3 metros, produzido com aproximadamente 1.400 latas de alumínio, vai declarar seu amor pelos oceanos na passagem da Unibes Cultural para o metrô Sumaré, em São Paulo. A ação é realizada pela Ball Corporation, líder mundial em embalagens sustentáveis de alumínio, em parceria com a Unibes Cultural, e traz um retrato do fundo do mar de Fernando de Noronha (PE) para a cidade, em uma reprodução em alta qualidade de uma das obras do fotógrafo Marcelo Krause, mundialmente reconhecido pelos registros subaquáticos.

A foto retrata uma tartaruga-de-pente em seu habitat natural, acompanhada da frase “Nosso amor pelo oceano é infinito”. A instalação é um convite às pessoas para repensarem escolhas de consumo e buscarem alternativas mais sustentáveis para a preservação dos ecossistemas. Servindo como uma experiência sustentável, a obra é composta por latas de alumínio, embalagem que, no Brasil, é amplamente consumida, com cerca de 33 bilhões de latas produzidas anualmente, e reciclada de maneira abundante, com taxa de 98,7%. Em parceria com o centro cultural localizado na Oscar Freire, a Ball também instalou um painel de 5 metros dentro do museu e está preparando uma surpresa para o Dia Mundial dos Oceanos, no dia 8 de junho. Todos os que visitarem o local poderão escanear um QR code posicionado junto à obra e, então, navegar por uma página online com conteúdo ambiental e dados sobre o painel.

“No Brasil, um dos países que é referência mundial em reciclagem de alumínio, esse nosso amor cultural pelas praias deve se tornar consciente. Nós precisamos cuidar dos oceanos. Esse painel é emblemático por ser montado com latas de alumínio, que têm um índice de reciclagem de quase 99% no país, e tem um ciclo de vida real e circular, sem desperdícios em aterros ou, pior, no meio ambiente”, conta Estevão Braga, diretor de Sustentabilidade da Ball para América do Sul.

“Uma das funções da arte é trazer reflexão. Em um 2022 em que sentimos cada vez mais o impacto das mudanças climáticas e da poluição marinha, despertando a urgência pelo cuidado do ser humano em relação ao planeta, a arte se une à necessidade de responsabilização pelo meio ambiente e traduz neste painel o amor consciente pelos mares. A Unibes Cultural trabalha com exposições que causam contemplação, e temos orgulho de receber o painel gigante da Ball que traz a ideia tão clara de como o consumo pode se reverter em carinho com oceanos”, diz Bruno Assami, Diretor Executivo da Unibes Cultural.

Todas as embalagens utilizadas na instalação serão recicladas.

Continue lendo

Universo Live

Kitano promove experiência culinária imersiva

Publicado

em

A Kitano, marca de temperos e especiarias pertencente à General Mills, promove uma experiência culinária imersiva no Rooftop Kitano Reserva, instalado no alto de um prédio no coração de São Paulo. Em parceria com as agências Mestiça e Grupo InPress, a marca realiza um evento fechado para convidados, com uma linda vista da metrópole, próximo à Avenida Paulista, a marca lança sua nova linha premium de temperos, a Kitano Reserva.

A ação foi desenvolvida buscando reverenciar a nova linha de produtos, que leva a Kitano para um novo caminho no universo de temperos e especiarias, o premium, o reservado, o exclusivo. Kitano Reserva é a excursão da marca no mercado de ingredientes premiuns que cada vez mais é demandado pelo consumidor que aprecia uma cozinha mais elaborada, mesmo que cozinhar não seja sua profissão, mas quando faz, não abre mão de ter acesso ao que existe de melhor no mercado para desenvolver suas criações.

Estamos bastante animados com a entrada da Kitano nesse novo mercado”, comenta Géssica Sponchiado, gerente de Marketing da Kitano. “Gostamos de ter opções de produtos para os diferentes públicos consumidores, do paladar mais simples ao sofisticado”, completa.

Ao longo da semana, a Kitano vai receber 5 creators de São Paulo: Lucas Barreto, Milena Toscano, Fabi Santina, Mari Rezende e Clarisse Duarte – que vão cozinhar para seus amigos. Cada influenciador vai criar uma receita de prato principal utilizando um produto da linha Kitano Reserva. A entrada e sobremesa ficarão a cargo do Chef Samuele Oliva, do The View, que também será responsável por outros pratos principais.

Cada influenciador terá o suporte de uma equipe que vai ajudá-lo em todo o processo, da seleção dos ingredientes ao serviço de mesa. E, claro, utilizando os temperos da nova linha, que reúnem sabores selecionados para conferir mais intensidade e frescor às receitas, além do design sofisticado, tudo para que vivam a experiência completa de um verdadeiro Chef nessa ocasião tão especial.

Continue lendo