Conecte-se com a LIVE MARKETING

Digital

Estudo da IBM aponta: 64% dos diretores de marketing e vendas estarão prontos para adotar inteligência artificial nos próximos três anos

Publicado

em

61% dos entrevistados disseram que a computação cognitiva e IA permitirão a disrupção nas atividades de marketing e vendas, mas poucos afirmam que a tecnologia já consta no planejamento de suas corporações

A IBM acaba de divulgar seu novo estudo sobre como profissionais de marketing e vendas estão adotando ou pretendem utilizar tecnologias cognitivas. Apesar de 64% dos diretores de marketing e líderes de vendas entrevistados acreditarem que suas indústrias estarão preparadas para obter esse tipo de tecnologia nos próximos três anos, somente 24% dos participantes da pesquisa afirmam ter uma estratégia estabelecida no momento para aderir à inteligência artificial (IA).

Segundo o novo estudo do IBM Institute for Business (IBV), “Do dilúvio de dados à insights inteligentes: adoção de computação cognitiva para permitir valor no marketing e nas vendas”, tanto os CMOs como os chefes de vendas concordam que a “satisfação do cliente” é um dos motivos mais valiosos para adotar soluções cognitivas ou de inteligência artificial. Muitos dos entrevistados disseram que não estão seguros de que suas organizações estão de fato preparadas para fazer uma transição bem-sucedida.

A pesquisa foi realizada junto a consultoria Oxford Economics e se baseia em uma entrevista com 525 CMOs e 389 líderes de vendas de indústrias globais, incluindo países da América Latina.

Constituem 13% da pesquisa executivos de empresas que superaram a concorrência durante os últimos 3 anos em fatores como crescimento de receita, rentabilidade, entre outros. Destes:

93% acreditam que a computação cognitiva está pronta para ser usada no mercado;
91% afirmam que a computação cognitiva é boa para suas organizações;
24% asseguram que já estão aplicando tecnologias cognitivas em suas empresas, mas somente os 3% da outra turma de CMOs e executivos de vendas afirmam o mesmo.
Estes executivos de alta performance estão à frente do ‘jogo cognitivo’, pois 73% já coletam e analisam informações do mercado externo.

 

O que é computação cognitiva ou inteligência artificial?

A computação cognitiva é a tecnologia que pode compreender e racionalizar rapidamente grande quantidade de informações estruturadas e não estruturadas, como sons e imagens, de maneira similar aos humanos: raciocinando, aprendendo e interagindo. Enquanto as análises tradicionais usualmente se baseiam em dados estruturados para que as empresas tirem conclusões, as tecnologias cognitivas têm a capacidade para analisar e extrair valor das informações estruturadas e não estruturadas – 80% dos dados são “invisíveis” às companhias.

Para os diretores de marketing entrevistados, a vantagem real destas soluções se encontra em duas áreas-chave: melhora na experiência com o cliente e resultados financeiros – incluindo o aumento dos rendimentos financeiros e da capacidade de identificar o ROI de marketing.

De acordo com Claudio Santos, líder de IBM Watson Customer Engagement, há três pontos necessários para dimensionar o alto potencial da inteligência artificial nas áreas de marketing e vendas:

Incluir soluções cognitivas na estratégia de reinvenção digital das empresas de qualquer tamanho: a inteligência artificial proporciona melhor experiência do cliente por meio da hiper-personalização. As novas tecnologias permitem extrair conhecimento das preferências, comportamentos e atitudes dos usuários, para tomar decisões que beneficiam os negócios

Fazer da inteligência artificial uma oportunidade de ouro se tratando de colaboração e inovação: implementar soluções cognitivas para marketing e vendas requer um alinhamento estreito entre o CMO, o diretor de vendas, o CIO – Chief Executive Officer -, o CTO – Chief Technology Officer -, entre outros envolvidos para cumprir com os objetivos estratégicos do negócio. O uso de IA também pode alinhar o serviço ao cliente, cadeia de fornecimento, desenvolvimento de produtos, recursos humanos e capacitação, assim como operações e finanças.

Começar pequeno, mas começar. Muitos executivos de marketing e vendas temem que a mudança para a IA os obrigue a “diminuir e substituir” as ferramentas e processos que utilizam para analisar as informações dos clientes e criar experiências. Pelo contrário, existem numerosos tipos de soluções cognitivas que marketing e vendas podem implementar para superar desafios específicos. Mais da metade das empresas que superaram a concorrência já começou sua transição para a inteligência artificial. O risco real é esperar demais para mudar.
Conheça mais sobre o estudo em https://ibm.co/2ulD0Ub

Continue lendo

Digital

Digi é finalista do prêmio internacional IMA Summit Awards 2022

Publicado

em

O IMA Summit Awards 2022 anunciou os finalistas da principal premiação dos Estados Unidos no setor de marketing de incentivo e relacionamento, que avalia campanhas de agências do mundo todo. A Digi, uma das principais agências de Marketing de Incentivo e Relacionamento do país e três anos consecutivos vencedora do Circle of Excellence Awards (a premiação anual do IMA – Incentive Marketing Association), recebeu duas indicações.

Na categoria Excelência em Incentivo de Vendas, a campanha de lançamento de Coca-Cola sem Açúcar é uma das finalistas. A ação para o Halloween de Fanta entrou no shortlist da categoria Excelência em Merchandising em Programa de Incentivo.

A premiação é organizada pelo IMA (Incentive Marketing Association ou Associação de Marketing de Incentivo) desde 2015, para celebrar a excelência no setor de Incentivo, Recompensa e Reconhecimento em todo mundo.

A Digi compete com campanhas feitas para empresas como Intel, Lexus, IBM e Vodafone, por agências europeias e norte-americanas. Os vencedores do IMA Summit Awards 2022 serão conhecidos durante cerimônia de premiação em Utha, nos Estados Unidos, no dia 12 de julho.

Para a campanha de lançamento da nova Coca-Cola sem Açúcar no Brasil, a Digi criou um programa de incentivo para os times de vendas e merchandising dos produtores da marca, baseado em um novo aplicativo, similar ao Instagram. O app criado pela Digi permitia postagens de fotos e vídeos dos vendedores, os primeiros a experimentarem o novo sabor, antes mesmo dos consumidores. Foram mais de 2 mil postagens, 30 mil likes e 5 mil comentários, além de milhares de prêmios exclusivos Coca-Cola.

Já para engajar a força de vendas dos fabricantes de Fanta e garantir positivação e presença da marca em milhares de PDVs em todo Brasil, a Digi criou, em outubro de 2021, uma ação de trade marketing e ativação com o tema Halloween, que envolveu 3.500 colaboradores. Os times de merchandising “vestiram” com as cores de Fanta e a temática assustadora de Halloween as áreas de exposição de produtos, participaram com suas dancinhas no TikTok e ganharam milhares de prêmios. A campanha também recebeu mais de 5 mil fotos dos times de vendas de 470 cidades brasileiras.

“É com grande alegria e orgulho que recebemos essas duas indicações em um prêmio internacional tão importante do mercado de marketing de incentivo mundial, promovido pelo IMA, a principal associação do setor. É o quarto ano consecutivo de indicação da Digi, provando que estamos cada vez mais concentrados em desenvolver ações inovadoras e disruptivas para nossos clientes, sempre parceiros, investindo em pessoas e infraestrutura para crescer com qualidade e de maneira sustentável”, declara Pedro Bannura, presidente da Agência Digi.

Continue lendo

Digital

Orla carioca na onda das Blockchains

Publicado

em

A orla carioca vai contar com uma novidade digital: a entrada no mundo dos Fan Tokens. A Orla Rio, em parceria com a DaX, empresa de tecnologia que utiliza blockchain para gerar experiências e negócios, vai lançar, em julho, um projeto inédito e phygital (combinação do mundo digital com o físico) do primeiro quiosque no mundo financiado por fan tokens.

A iniciativa vai permitir que o público adquira tokens pela internet que renderão experiências extras e únicas no quiosque escolhido, como uma espécie de clube de benefícios exclusivos para seus sócios. O local escolhido para o piloto do projeto ainda está sendo definido pela concessionária, mas ficará nas praias de Ipanema ou Leblon e ficará pronto já para o próximo verão, garante João Marcello Barreto presidente da Orla Rio.

Continue lendo