Conecte-se com a LIVE MARKETING

Digital

Equinix prevê as 5 tendências que serão o foco digital das empresas em 2019

Publicado

em

5G, blockchain, privacidade de dados, inteligência artificial e cloud devem catalisar as principais mudanças de arquitetura de informação

As tendências de tecnologia e de dados em evolução, como 5G, blockchain, inteligência artificial e cloud, deverão catalizar mudanças significativas na arquitetura de redes em 2019, de acordo com a Equinix, empresa global de interconexão e data center, que anuncia suas cinco principais previsões para 2019.

A Equinix desenvolveu insights exclusivos baseados em dados sobre os principais pontos que estão influenciando as empresas, à medida que se reformulam para alcançar sucesso em uma economia cada vez mais digital. A empresa está presente em 52 mercados globais, com mais de 9.800 clientes.

“Avanços tecnológicos rápidos continuarão a abrir as portas para maior velocidade, eficiência, segurança, inteligência e escala de negócios digitais. Mas sem as infraestruturas de TI adequadas que são concebidas e construídas para alavancar a interconexão para simplificar a complexidade e integrar as tecnologias digitais desde o início, as organizações não serão capazes de obter todos os seus benefícios”, afirma Diego Julidori, gerente de produtos da Equinix no Brasil.

Previsões:

1) 5G: as redes sem fio de alta velocidade do futuro irão acelerar a transformação da rede no presente

O 5G abrirá possibilidades infinitas de transformação digital, especialmente com a evolução da Internet das Coisas (IoT) e a inteligência artificial (IA). Para alcançar a alta densidade de ondas de rádio exigida pelo 5G, os provedores de serviço pretendem otimizar os custos utilizando equipamentos de rede de mercado com base em Open-Source e virtualização das camadas de rede no acesso. Esses esforços abrirão caminhos para que a arquitetura de Edge resolva as rede de acesso a rádio “centralizada”, que alimentam vários rádios por meio de grupos de software de rede virtualizados.

A Equinix antecipa, para 2019, investimentos maciços na reforma da infraestrutura das redes móveis existentes e na construção de uma nova infraestrutura de Edge, bem como em equipamentos de rede de mercado com base em Open-Source e virtualização das camadas de rede no acesso.

“O 5G é uma das tendências mais fortes que teremos em 2019. Ele virá com uma capacidade de velocidade muito alta e vai viabilizar acesso em áreas que não tínhamos antes. Quando pensamos na forma como essa tecnologia poderá ser distribuida para o ecossistema podemos comparar com a estratégia aplicada ao desenvolvimento de caminhões autônomos, grandes hubs que devem circular em grandes rodovias para chegar em centros maiores ainda. Tudo precisa estar conectado para funcionar perfeitamente e dar certo”, afirma Julidori.

 

2) Inteligência Artificial (IA): as arquiteturas de IA de próxima geração serão descentralizadas

O crescente uso da Inteligência Artificial nos negócios e na sociedade aumentará exponencialmente o uso de dados. Embora as arquiteturas de IA de primeira geração tenham sido centralizadas historicamente, a Equinix prevê que, no próximo ano, as empresas começarão a entrar no reino das arquiteturas de IA distribuídas. A construção e inferência do modelo de IA ocorrerão em locais de edge, gerando a maior parte dos dados. Para acessar mais fontes de dados externas de modo a obter previsões exatas, as empresas se voltarão para os marketplaces de transações de dados seguras. Também se esforçarão por alavancar a inovação de IA em múltiplas clouds públicas, sem ficarem presas a uma única cloud, descentralizando ainda mais sua arquitetura.

 

3) Blockchain: a interconexão de redes trará amadurecimento ao blockchain, promovendo maior segurança e monetização de negócios

Os investimentos em blockchain estão crescendo a uma taxa composta de crescimento anual de 73%, com projeções de um total de gastos de US$ 11,7 bilhões até 2022, de acordo com a IDC[1]. A Equinix prevê que:

· As empresas começarão a participar simultaneamente de várias redes de blockchain (por exemplo, segurança alimentar, finanças, transporte global de contêineres) e, assim, criarão redes interconectadas — algo que lhes permita interagir simultaneamente com suas várias redes de blockchain.

· O blockchain será usado por empresas em aplicações nas quais o desempenho em tempo real é importante, como rastreio das transações eletrônicas , na comunicação/troca de dados Machine-to-Machine (IoT) e na liquidação de moedas, entre fronteiras, só para citar algumas.

A integração se tornará um enorme desafio na medida em que as empresas integrem suas aplicações antigas a várias redes de blockchain, Gerando uma necessidade de criar/participar de pontos de troca de tráfego de blockchain com outros participantes com conexões diretas.

4) Privacidade de dados: mudanças nas leis de proteção de dados e a crescente preocupação com a privacidade inspirarão processos de segurança mais progressivos

Muitas empresas e provedores de SaaS estão implantando miniclouds em várias regiões, de modo a aderir às exigências de conformidade e de residência local de dados. Também estão buscando arquiteturas de gerenciamento de dados distribuídas, que exigem redes globais e malhas de dados para gerenciar coerentemente essas miniclouds distribuídas.

A Equinix prevê que, para evitar violações e manter o controle de dados, as empresas analisarão:

· Novas técnicas de gerenciamento de dados que podem funcionar com dados criptografados.

· Nova tecnologia de virtualização baseada em hardware que impedirá que provedores de serviços monitorem os dados de seus clientes.

 

5) Cloud: Ambientes de multicloud aumentarão a relevância da interconexão

No momento, as empresas estão acessando soluções de SaaS, IaaS e PaaS de vários provedores de cloud e, à medida que buscam arquiteturas multicloud, estão também percebendo que seu perímetro de segurança tradicional precisa ser estendido a soluções de segurança multiclouds. Essas tendências indicam que, na medida em que a cloud continue a amadurecer, 2019 verá o surgimento do próximo patamar de desafios associados às abordagens de cloud híbrida e de multicloud.

As empresas enfrentarão os problemas de integração e gerenciamento que sobrevêm com múltiplas clouds e buscarão o parceiro adequado de interconexão para navegar através da complexidade da cloud. De acordo com o Global Interconnection Index, estudo de mercado publicado pela Equinix, há previsões de que a interconexão entre as empresas, a cloud e os provedores de TI cresça 98% ao ano até 2021, favorecendo os negócios que geram novos serviços digitais e migram cargas de trabalho existentes para plataformas de cloud de terceiros.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Digital

Peppery conquista Locaweb

Publicado

em

A Locaweb, pioneira em soluções B2B para transformação digital no Brasil, escolheu a Peppery como sua nova agência de social media. A decisão foi tomada após processo de concorrência conduzido em formato 100% digital, com reuniões e apresentações realizadas remotamente.

“Para nós, desde sempre, tudo é digital. Por isso, foi até natural conduzir esta concorrência de um jeito não presencial. A Peppery de fato mostrou o melhor escopo de trabalho e acreditamos em uma parceria duradoura”, detalha Vinicius Koch, gestor de comunicação & branding da Locaweb.

“Estamos felizes demais por começar essa história mesmo em tempos tão complicados. Desde o início sentimos uma sinergia muito grande com o time da Locaweb e tenho certeza de que vamos fazer grandes trabalhos, indo muito além do always on tradicional para ser realmente relevantes”, completa Luis Maia, CEO da Peppery.

Um bom exemplo é o primeiro projeto realizado pela nova parceria: “A Chefa tá On”. Lançada como teaser no Dia Internacional da Mulher, a plataforma irá ajudar empreendedoras selecionadas com uma consultoria completa para elevar os seus negócios. O acompanhamento acontecerá nas redes sociais da Locaweb e será coordenado pela Peppery.

Continue lendo

Digital

Marketing é para todos

Publicado

em

É inegável que nos últimos anos houve uma invasão das redes sociais tanto em nossa vida pessoal quanto no trabalho e a especialista em Marketing e comportamento de consumi, Fátima Bana, explica que há muito mais por trás dos tão falados algoritmos das redes sociais.

Não basta apenas aparecer nas plataformas de buscas para garantir o cliente ou a venda. “Afinal, de que adianta investir rios de dinheiro em captação e geração de leads, se a operação ainda tem problemas e não entrega (o serviço ou produto) com o mínimo esperado? Já pensaram nisso?”, explica Fátima Bana.

Ao falar sobre isso, a especialista se refere a todo o funil de Growth, reforçando que não adianta focar apenas em acompanhar os números online e esquecer que outros pontos são super importantes. O comportamento do cliente vai muito além do que observamos nos dashs. O marketing digital acaba entregando números interessantes, reduz o CAC, só que com isso ele acaba comprando sempre os mesmos clientes pela performance, sendo com a estratégia esse poderia estar vindo sem custo algum, já que comprou o produto. “Eis o segredo de ir além dos números e atuar na linha de frente, em agir como seu cliente age e criar uma experiência focada com a que ele quer ter” – resume.

Conhecer os clientes é o primordial, mas humanizar as relações (mesmo que a distância) é o que garante a recorrência. “É claro que não podemos deixar os algoritmos de lado, eles são ferramentas indispensáveis. É Eles oferecem um parâmetro para todas as ações, são responsáveis por definir as métricas de avaliação e de performance, mas quem foco apenas neles, tá perdendo espaço” – afirma.

Estamos vivendo uma geração de demanda do office que não está sendo valorizada. Acreditamos que todos os consumidores são iguais, que possuem um comportamento parecido, mas não é bem assim, não vivemos em bolhas! As marcas precisam entender que cada cliente é único, e começar a aliar uma estratégia de aquisição e fidelização do consumidor com uma estratégia de comunicação.

“Engana-se quem acha que só porque está em um ambiente virtual, não há necessidade de oferecer uma experiência diferente em uma, ou em todas as etapas de compra. Conhecer o passo a passo dessa jornada pode ser crucial para fechar o caixa de maneira positiva e, principalmente, para reter, fidelizar, ser admirado e recomendado pelo seu público”, finaliza Fatima Bana.

Continue lendo