Conecte-se com a LIVE MARKETING

Eventos

Comportamento do usuário, fraudes no mercado de compras online e movimento “Ageless” foram os principais assuntos do evento promovido pela Ingresse

Publicado

em

TAE 2019 aconteceu no espaço Unibes Cultural em São Paulo e abordou temas importantes relacionados ao futuro do entretenimento no Brasil

Com o objetivo de entender as tendências e caminhos que o mercado de eventos vem seguindo, a Ingresse, principal plataforma de entretenimento ao vivo do Brasil, realizou mais uma edição do TAE, encontro sobre Tecnologia Aplicada a Eventos. A conferência aconteceu no dia 13 de novembro, na Unibes Cultural, em São Paulo, e reuniu os principais players do segmento, entre eles produtores e empresários, marcas, parceiros e influenciadores.

Durante a abertura do evento Gabriel Benarrós, Fundador e CEO da plataforma, comentou sobre a venda de ingressos online no Brasil em comparação a outros países e também abordou o posicionamento da Ingresse relativamente ao cenário do mercado. “Vemos no Brasil uma super oportunidade no mercado de entretenimento e na cultura de compra online; apenas 10% dos usuários brasileiros realizam a compra dos seus tickets pela Internet, enquanto que em países como Alemanha esse número chega a 46%”, destaca. A Ingresse já apresenta uma taxa de 56% de penetração online, o que pode refletir a segurança e facilidade de uso da plataforma, junto da base de mais de 5 Milhões de usuários.

“Também temos observado uma retenção de 31%, número que se aproxima ao de serviços de assinatura mensal com alta taxa de fidelização. Outro ponto relevante, é que estendemos o nosso range de atuação no mercado de ticketeiras, através da aquisição da BlackTag (ticketeira que detém 85% do mercado universitário), da Pixelticket (ticketeira do mercado geek) e fusão com a Ingresse Certo (ticketeira que domina o mercado do RJ). Assim, conseguimos atingir desde a geração Z até à geração Y, ampliando a nossa presença de mercado como grupo”, completa Benarrós

“Nós não podemos desperdiçar o talento e a energia de vocês”, disse o Secretário da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, Sérgio Sá Leitão, aos presentes no encontro. Ele ressaltou as iniciativas do governo de São Paulo no segmento de eventos, como aplicações de tecnologia em ações culturais, e espera que isso seja difundindo em outras regiões do país. “O Brasil precisa passar por um projeto que o transforme em um país contemporâneo, e isso é possível através da exploração dos nossos potenciais para realizar uma mudança na crise econômica. Precisamos dar um choque de contemporaneidade no nosso país e é isso que estamos tentando fazer. Ações como essa são fundamentais e vocês são peças chave pra esse futuro”, terminou Sérgio.

Quanto ao comportamento do usuário, Gabriel Pires, VP of Sales&Growth da Ingresse, afirmou que é preciso entender o tipo do evento proposto e o perfil do público alvo antes de traçar estratégias de divulgação. “Um exemplo é quando observamos 100% de crescimento na quantidade de eventos com a nomenclatura ‘Festival’ dentro da Ingresse. Para levar este nome, é preciso que o evento tenha algumas características, já que gera expectativas diferentes no público. Um evento pode ser grande, engajado e ter ótimos níveis de faturamento, sem necessariamente levar nome de festival. Não há problema nenhum nisso. Temos que ter muito cuidado com a ‘festivalização’ dos eventos, já que alguns nichos de conteúdo tem tetos de crescimento”, explicou Pires. “A geração Z consome de forma completamente diferente e para atingi-los, não basta mais trazer uma imagem com um texto informativo: é preciso gerar interação. Outro exemplo é a identidade de gênero. Hoje em dia, dividir ingressos em masculino e feminino pode não funcionar como no passado, dependendo das características do evento. Isso é um tipo de posicionamento implícito do evento e pode influenciar a performance de vendas” conclui.

Além das participações dos colaboradores da Ingresse, o evento contou com a contribuição de três perfis que enriqueceram o conteúdo. Rodrigo Santanna, fundador do Festival MECA, falou da importância de se preocupar com ações sustentáveis e socioambientais na realização de eventos. Ele entende que o consumidor está cobrando uma posição dos realizadores quanto ao impacto social que aquele evento traz para o ambiente em que é realizado, e é preciso elaborar ações antes, durante e pós evento, para garantir a viabilização positiva do projeto.

Já o movimento Ageless, apresentado por Layla Vallias, da consultoria Hype60+ residente do Civi-Co, hub de negócios de impacto social, chamou a atenção para um público ainda invisível, que não para de crescer e tem muito dinheiro no bolso: os maduros. “Para a geração ageless, idade é só um número. Eles estão nas ruas, trabalhando, vivendo e consumindo muito. No Brasil, os maduros já movimentam mais de 1 trilhão de reais por ano e no mundo, essa cifra vai para 15 trilhões de dólares. Para eles, o futuro é hoje, valorizam experiências e eventos, porém ainda são ignorados: quase 60% afirmam que faltam produtos e serviços para eles. O mercado da longevidade é uma grande oportunidade!” comentou.

Além disso, o “Inspetor”, projeto idealizado por Pedro Sanzovo, tem objetivo de prevenir fraudes de forma efetiva “A cada 6 segundos 1 fraude é cometida no e-commerce brasileiro. Em relação a 2018, o crescimento de ataques fraudulentos no mundo foi de 12%. Atualmente, apenas na América Latina, cerca de 6.5 bilhões de reais são perdidos ou em transações fraudulentas aprovadas ou transações legítimas erroneamente rejeitadas por suspeita de fraude. Nossa ideia com a criação da Inspetor é reverter esse número em algo positivo ampliando a receita do setor”, explica Pedro.

Ainda focados na experiência do usuário, a Ingresse vem investindo pesado no qualidade do atendimento dentro da plataforma. A tecnologia denominada “Compre com apenas um clique”, onde o usuário preenche os dados apenas uma vez, já está ativa na Ingresse, e o atendimento da plataforma, que engloba telefone, email, Bot e chat humano, passou a ser ininterrupto. “Observamos que nosso público ficava desamparado em certos períodos da semana, e por isso, transformamos nosso atendimento em 24/7. Sete dias por semana, vinte e quatro horas por dia. Assim, nosso usuário tem suporte, automático e humano, a todo momento, atendendo às suas expectativas”, ressalta Marcelo Bissuh.

Nas novidades de produto, quem subiu no palco foi Rodrigo Castelo Branco, Head de Criação da Ingresse. “Agora que emplacamos a compra com 1 clique, quem decide ir ao evento tem a oportunidade de focar em outras partes do processo de compra. Para 2020 vamos implementar o e-commerce, para incorporar o universo de opções de produtos e serviços complementares ao ingresso (looks, consumação, entre outros). Pensamos também em quem quer ir pra um super evento mas não sabe se vai estar disponível para a data. Com o seguro de ingresso é muito mais tranquilo se programar para um evento grande e ninguém sai perdendo.”

As palestras foram exclusivas para quem foi convidado, e a conferência contou com ativações e experiências diferenciadas. O TAE 2019 atraiu o olhar de marcas como Mais Pura, PIER, Red Bull, Liv Up, Kero Coco, Now Buck, 4You Cenografia, Delish, Uniir, 2EAST Zig Pay e GreenRoom, que disponibilizaram seus produtos e experiências no evento. Além disso, a Ingresse presenteou seus convidados com ecobags, que foram customizadas na hora pelo grafiteiro Lucas Paulucci.

Por se posicionar como a maior plataforma de experiências de entretenimento no Brasil, este evento proprietário da Ingresse representou ser o exemplo concreto do posicionamento da marca.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Eventos

Museu da imaginação apresenta oficinas de arte on-line

Publicado

em

Que tal um programa on-line onde as crianças podem brincar e aprender ao mesmo tempo? O Museu da Imaginação segue sua programação de oficinas on-line e neste sábado (24/04), a mergulha na arte abstrata de Piet Mondrian.

Além de aprender sobre o movimento artístico, as crianças desenvolverão uma obra de arte a partir de propostas inspiradas nos quadros do artista. A lista de materiais é enviada por e-mail e os materiais são simples: a ideia é produzir arte com o que você possui em casa, e o melhor de tudo é que as crianças conseguem desenvolver as atividades sozinhas, sem intervenção dos pais.

Piet Mondrian teve um percurso interessante: influenciado pelas obras do Van Gogh, começou a pintar quadros com coisas figuras em suas formas reais: uma árvore, uma ponte, etc. Conforme foi ficando mais velho, sua obra foi ficando cada vez mais abstrata, seguindo alguns conceitos bem particulares. Como isso aconteceu? Como foi esse processo? Nessa aula, falaremos um pouco sobre isso e sobre sua relação com as cores e formas, coisa que o deixou muito famoso!

A oficina acontece via Google Meets, tem duração de 1 hora com duas possibilidades de horário: uma sessão acontecerá as 11h e outra as 15h. A venda está disponível até as 17h do dia 23/4 para compra no site do Museu da Imaginação!

O Museu agora pode estar na sua casa!

O Museu da Imaginação agora na sua casa! Foram elaboradas uma atividade online, onde os educadores apresentam às crianças um assunto artístico e desenvolvem uma oficina com matérias simples, que todos tem em casa, desenvolvendo a imaginação, criatividade e coordenação motora.

Essas oficinas online foram desenvolvidas para que as crianças mergulhem no mundo da arte com muita imaginação e através de brincadeiras e diversão. As oficinas compreendem, além da confecção de objetos, uma reflexão sobre a produção artística da criança e o aprimoramento do pensamento criativo, tão importante para o desenvolvimento infantil.
Serviço:

MUSEU DA IMAGINAÇÃO

Ingressos para as oficinas disponíveis via whattsapp ou neste link .

WhattsApp.: (11) 94539-7638

@museudaimaginacao

Continue lendo

Eventos

BIG Festival estima movimentar US$50 milhões em 2021

Publicado

em

O BIG Festival,  festival e hub de negócios de games, apoiado pelo Brazil Games, o programa de exportação criado pela Associação Brasileira de Desenvolvedores de Jogos Digitais, ABRAGAMES, em parceria com a Apex-Brasil, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, anunciou  que já tem 290 empresas inscritas para suas rodadas de negócios.
A plataforma, exclusiva do BIG Festival, conecta empresas com perfis complementares para reuniões de negócios. Ao longo de suas oito edições, o BIG Business Meetings já contou com a participação de mais de 2100 empresas e movimentou mais de US$200 milhões.

“O BIG Festival está presente em todas as frentes de negócios em games. Além de promover investimentos, nossos encontros estimulam a compra de jogos da região e até a compra de estúdios”, afirma Eliana Russi, Gerente Executiva do Projeto Brazil Games, “Para esse ano, estimamos movimentar em torno de US$50 milhões, um número expressivo para um ano como 2021 e para uma fase como esta que ainda vivemos no Brasil”, continua.
As reuniões de negócios do BIG Business Meetings colocam empresas desenvolvedoras brasileiras à frente de grandes publishers, como Sony, Microsoft, Nintendo e Epic Games, e em 2021 não será diferente. Destas oportunidades, surgiram diversos cases de sucesso ao longo da história do evento.

Um dos exemplos de negócios gerados no BIG é o jogo Kaze and the Wild Masks, finalista na categoria de Melhor Jogo Brasileiro nesta edição. “O BIG Festival é um dos eventos de jogos mais relevantes do Brasil, e, para nós, o mais importante do qual participamos nestes últimos seis anos de desenvolvimento. Em 2019 tivemos a oportunidade de expor o nosso jogo e ver milhares de jogadores testando o Kaze”, afirma Paulo Bohrer, co-fundador da PixelHive, compositor e sound designer no Kaze and the Wild Masks.

“Além disso, a rede de contatos que fizemos no BIG foi importantíssima para o jogo, pois foi naquele mesmo ano que iniciamos as negociações com a nossa publisher internacional, SOEDESCO; um grande passo que estávamos buscando e que possibilitou o lançamento do Kaze para as diversas plataformas nas quais ele está disponível hoje”, continua Paulo.

Com mais de 60 horas de programação online e gratuita, o BIG oferece palestras de diversos temas do universo dos games, mas para quem está buscando fazer negócios no evento, há alguns destaques:

Como preparar seu estúdio para receber investimentos
Cassia Curran, especialista em investimentos e apoio a estúdios indies por meio do WINGS Fund, discute, ao lado de Rebecca Owen, da Digital Development Management, o que um estúdio deve considerar ao se preparar para receber investimento ou para uma fusão.
Quando: 5 de maio (quarta-feira), das 12h30 às 13h00.

Humble Bundle: Black Game Developer Fund
Nesse papo, Justin Woodward, Co-fundador do The Mix, falará sobre o Black Game Developer Fund, um programa anual de US﹩ 1 milhão que visa apoiar os desenvolvedores de jogos negros, ajudando-os a publicar jogos com financiamento, produção e suporte de marketing por meio da publisher Humble Games, da Humble Bundle.
Quando: 5 de maio (quarta-feira), das 17h30 às 18h00.

Financiamento indie: conheça a Kowloon Nights
Anlu Liu, Content Manager do Kowloon Nights, Mark Venturelli, CEO e Diretor Criativo da Rogue Snail, uma das empresas investidas pelo fundo, e Astrid Refstrup, CEO e Co-founder da Triple Topping Games, vão bater um papo sobre o Kowloon Nights e financiamento indie. Conhecido como um fundo de investimento especializado em games que já adicionou mais de 40 títulos em seu portfólio, o Kowloon Nights tem mais de US﹩100 milhões em custódia para financiar jogos independentes.
Quando: 7 de maio (sexta-feira), das 11h30 às 12h00.

A programação completa do BIG Festival, com mais de 60 horas de conteúdo online e gratuito, contará ainda com grandes nomes do mercado de games como Ubisoft, BioWare e NetEase e será divulgada em breve.

O BIG Festival 2021 acontece entre os dias 3 e 9 de maio e todo o conteúdo do festival será disponibilizado de forma virtual e gratuita, com exceção das rodadas de negócios, voltadas a desenvolvedores, compradores, publishers e investidores internacionais e nacionais.
Continue lendo