Conecte-se com a LIVE MARKETING

Artigos

Vinicius Taddone – Black Friday, agora eu acerto!

Publicado

em

Nada como mais uma Black Friday para aquecer e movimentar o comércio. Mas, você pode estar se perguntando: Poxa, vem aí mais uma Black Friday e até hoje nunca deu certo para meu negócio, não confio nessas coisas.

Fique tranquilo, siga estes passos, que desta vez você vai ter resultados pertinentes e nunca mais vai errar nesta época tão esperada pelos consumidores.

1) Diga a você mesmo: Black Friday, dessa vez eu acerto!

Acredite que antes de mais nada o brasileiro está se educando a comprar com mais antecedência e planejar melhor suas compras. Hoje em dia, com diversos aplicativos comparativos de preço, os consumidores têm acompanhado de perto os produtos tão desejado. Então acredite, eles estão sim esperando este finalzinho de novembro chegar em busca daquele desconto arrasador.

2) O desconto tem de ser verdadeiro

Aquela história da”Metade do Dobro” está acabando com o passar dos anos. E para você ter sucesso nesta época, tem que ter isso muito claro. Você irá ganhar no volume. Ou então, você tem que produzir durante o ano uma margem confortável, negociando com seus fornecedores produtos, que seus consumidores fatalmente precisarão nesta época do ano, e então, agora será o momento de abaixar o preço e ter giro.


3) Estoque parado é prejuízo

Sabe aquele produto que ocupa espaço no seu estoque? Agora é a hora de reciclar as energias da sua empresa. Por mais que você sinta que está tendo prejuízo desovando eles de seu estoque por um preço mais baixo, imagine que ele ali parado pode ser pior ainda. Portanto, agora é a hora de abaixar o preço de fato destes produtos.

4) Invista em nichos

Identifique onde estão concentrados alguns grupos de pessoas potenciais consumidoras daquele produto que você pretende ofertar. Utilize as mídias sociais, pois neste quesito ela te auxiliará e muito. O Facebook e o Instagram possuem segmentações por interesses. Dedique seu esforço publicitário, segmentando muito bem quem irá receber sua comunicação.

Os grupos de Whatsapp são fantásticos para isso. Assim como, se usar estratégia de “melhores amigos” do Instagram para envio de Stories exclusivos. (aqueles que não são para toda sua audiência, mas sim para este seleto grupo de “melhores amigos”). Se na sua cidade houver um Nano Influenciador (aquele que não é um famoso, mas tem perfil influente em sua rede), pense na possibilidade de uma parceria com ele. Ofereça um cupom de desconto para este influenciador e meça com isso, o resultado de sua ação posteriormente.

5) Black Friday é comunicação varejista, não tem jeito

A Black Friday é um sucesso no mercado internacional, por quê? Porque o preço é muito mais baixo que normalmente, e ponto. Se você não tem um produto ou serviço que permita fazer algo arrasador, minha dica é que não entre nessa comunicação. Você poderá se estruturar melhor ao longo do próximo ano e planejar melhor para participar. Caso contrário, você poderá frustrar o seu público.

Vejo muita comunicação superficial nesta época do ano, como Black Week e Black November, por exemplo, mas no fundo o objetivo não é bem trassado e não há muitas vantagens para o consumidor que acaba desgostando da marca que divulga.

Uma outra questão que ouço bastante: Mercado de luxo, tem Black Friday? Sim, claro que sim. Mas até as marcas de luxo se comunicam de maneira mais agressiva e varejista. Não tem como falar de preço baixo sem sair do salto. Claro, que o toque de um bom designer, fará toda a diferença, deixando a arte bonita e elegante, porém varejista.

6) Escolha suas armas

Vamos ao enxoval do marketing digital: Facebook, Instagram, Youtube, Whatsapp e Google Adwords.

Se você ou seu negócio não está em uma destas mídias sociais, não tem problema, agora pelo menos. Escolha aquela ou aquelas que você utiliza, crie sua comunicação, ponha seu planejamento em prática.

Para as mídias sociais, por exemplo, recomendo utilizar uma ferramenta de agendamento de posts e análise de relatórios. Eu mesmo já usei várias! Hootsuite, Instamizer, RD Station, mas eu gosto mesmo e indico a MLabs. Tenha um time engajado a desenvolver as artes da sua comunicação, alinhe com seus vendedores ou departamento comercial sobre o período promocional, e tenha suas campanhas no Google bem otimizadas para que seu site apareça nas primeiras posições de pesquisa. Lembre-se que seu site é sua vitrine! Envelope ele com os conceitos da Black Friday e tenha uma comunicação uniforme com o momento de campanha.

7) Seja feliz! Percepção de porta de entrada

Para finalizar, meça os resultados de maneira crítica à aprender como desempenhar na sua próxima Black Friday. Estou certo que neste ano seus resultados já serão diferentes de anos anteriores. Antes do final dela, você pode calibrar suas campanhas e ajustar alguns detalhes a fim de obter desde já, os resultados que você espera. Se você fez todos estes procedimentos, e ainda sim pensou que poderia ter sido melhor, não se jogue da ponte! Tenha em mente que você agora, se comunicou da forma correta, e seus potenciais consumidores lembrarão disso. Outra coisa que acho interessante no mundo do Marketing e com certeza você já ouviu isso, é que tudo aquilo que não se pode medir no Marketing, é Branding (divulgação de nome da marca). De uma certa forma, isso é verdade. Essa Black Friday pode ser a porta de entrada para novos clientes conhecerem seus serviços. Eles poderão gastar menos agora, já que o seu preço estará mais baixo, mas ele voltará para uma recomprar. Contudo, me despeço com alegria em dizer que você fez tudo certo. A começar por esta leitura. Siga no caminho da luz, da mudança, buscando resultados diferentes. Mas lembre-se, para se ter resultados diferentes, você antes precisa de ações diferentes. Então, boa sorte!

* Vinícius Taddone fundou a VTaddone Studio, também chamada em sua simplicidade de VT, ou em sua forma mais criativa de VT Add One, em 2011 com intuito de ajudar pequenas e medias empresas e profissionais liberais, que necessitam de Marketing diferenciado para crescimento de receita. A ideia de seu nome é que de um a um, poderá ajudar cada negócio a prosperar. Taddone se desenvolveu no mercado de Turismo, onde atua com Marketing no setor desde 2002. Após passagens por agências de publicidade, onde ganhou conhecimento geral de mercados, ocupou o cargo de Coordenador de Marketing por 6 anos em uma grande representante internacional de cruzeiros marítimos. Em 2018, ele passa a se dedicar exclusivamente à VT devido internacionalização de sua marca, onde conseguiu clientes de outros países. Ele é bacharel em Planejamento de Marketing, Turismo e possui MBA em Marketing todas conquistadas pela Universidade Anhembi Morumbi. Autodidata no manuseio de softwares criativos como Photoshop, dentre outros, se capacitou como programador front-end com certificações pela Impacta Tecnologia e Marketing Digital pela Endeavor. Teve oportunidade de participar de um curso de Marketing na Walt Disney World Resort em Orlando, que considera uma das maiores referências de marketing, inspiração e desejo do mundo.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Artigos

A importância do marketing de experiência no segmento varejista

Publicado

em

*Rodrigo Brandão

Diante de um mercado altamente competitivo e com um público cada vez mais empoderado devido ao avanço da tecnologia, encantar o cliente tornou-se uma premissa fundamental para o varejo. Em um momento em que o consumidor anseia por experiências únicas e personalizadas, pensar além de um atendimento de excelência passou a ser primordial para o setor, sobretudo quando falamos dos pontos de vendas físicos.

Por mais contraditória que pareça – afinal o e-commerce cresce de forma vertiginosa há anos – as lojas físicas ainda são importantes na relação entre marca e consumidor. Afinal, somente nesses espaços é possível ter uma conexão mais próxima, tátil e interativa, proporcionando um vínculo individualizado, e que abre caminhos para estratégias mais eficazes e conteúdos impactantes para cada perfil de cliente. Tal abordagem ocorre porque o público das lojas físicas segue existindo, mas agora busca por lojas que proporcionem uma experiência de consumo que vá além da mera disponibilização de produtos.

Uma pesquisa da consultoria da PwC corrobora com esse cenário. Ela identificou que 1/3 dos consumidores ao redor do planeta pretendem ampliar suas compras em lojas físicas, sendo a experiência diferenciada a principal força motriz para esse movimento. Outro estudo realizado por uma grande rede varejista norte-americana revela que 60% dos consumidores dos pontos físicos requerem mais espaço em uma loja para experiências do que para produtos. Já 81% aceitam pagar um preço superior se passarem por “experiências” antes de comprar, enquanto 93% dos clientes que adquirem a partir de experiências, e não por fatores econômicos, se tornam fiéis da marca ou da empresa.

Até por conta do panorama, o chamado marketing de experiência vem ganhando cada vez mais espaço no varejo. Responsável por proporcionar eventos positivos no instante das compras, a estratégia se concentra na criação de interações que buscam gerar emoções e sentimentos para a interação do consumidor com determinado produto. Na prática, ao invés de meramente vender, a abordagem focada em interações atrativas visa envolver os consumidores em vivências sensoriais, emocionais e transformadoras, gerando conexões mais profundas e duradouras no relacionamento com a marca.

Nesse sentido, um exemplo prático é o uso crescente das ferramentas de inteligência artificial, realidade aumentada e virtual dentro do processo de vendas. Seja por meio de softwares existentes ou modelos desenvolvidos, óculos, smartphones, tablets ou outras plataformas tecnológicas, tais recursos sobrepõem o mundo físico para garantir sensações e experiências imersivas através de elementos virtuais. Ou seja, o ponto de venda deixa de ser apenas um espaço para ver ou sentir o produto, mas também para testá-lo de maneira inovadora, ter acesso a conteúdos digitais exclusivos e contato com informações detalhadas de forma prática e interativa.

Imagine, por exemplo, o caso de uma loja que comercializa casas. A partir do uso da tecnologia de óculos de realidade virtual, abre-se a oportunidade para que o público consiga realmente se sentir inserido dentro do imóvel, podendo alterar estilos de decoração ou estruturas de um apartamento por meio de poucos cliques.

Além dos recursos tecnológicos imersivos, vale destacar que o marketing de experiência se manifesta de diversas outras formas, como por meio de eventos exclusivos, atendimento personalizado ou embalagens customizadas. A eficácia dessas ações está diretamente relacionada à sua capacidade de gerar engajamento junto ao público. Ao envolver os clientes de maneira ativa, as empresas conseguem ampliar a percepção de valor dos seus produtos ou serviços, além de diferenciar-se no mercado não apenas pela qualidade do que é oferecido, mas principalmente pela capacidade que envolve tudo isso.

Em resumo, o objetivo final é que essas práticas levem o mercado a transcender a mera oferta de produtos e serviços, além de transformar a jornada de compra dos clientes em um entretenimento, algo prazeroso e divertido, criando também um encantamento por meio de experiências agradáveis não só no instante da compra, mas no momento do consumo e do pós-consumo. Nesse cenário, a capacidade de inovar e de se adaptar às novas tecnologias e tendências serão determinante para a performance das marcas. Assim, o futuro do varejo cada vez mais deixa de ser apenas sobre o que é vendido, mas sobre como é vivido.

*Rodrigo Brandão, gerente de Marketing Digital da Espaço Smart

Continue lendo

Artigos

Dia das Mães deve abordar experiências memoráveis e humanizadas que retratam as mães brasileiras

Publicado

em

*Rodrigo Villaboim

A inovação no marketing é o grande aliado ao crescimento de uma empresa. Com uma data tão especial a caminho, o dia das mães sempre se torna um grande desafio em termos de resultados. Neste sentido, vejo que é super importante levantarmos abordagens-chave que destacam o potencial do marketing de experiência neste cenário que, apesar de acolhedor, sempre é muito competitivo.

O principal objetivo é criar experiências positivas e marcantes para os consumidores, trazendo a ideia de que, ao vivenciar esses momentos especiais, o consumidor se sinta conectado emocionalmente com a marca. O conteúdo gerado nesse ambiente permite uma visão mais ampla das operações e estimula a criatividade coletiva na busca por soluções e fidelização.

A importância de despertar sensações reais sempre ganha destaque. Criar experiências memoráveis que as pessoas vivenciem de corpo e alma torna-se uma prioridade. Para isso, as marcas precisam estimular os cinco sentidos do público, usando recursos como sons, aromas, sabores, texturas e cores, definições que estão sempre presentes em interações de mães e filhos.

Com base nessa abordagem, é importante frisarmos que grandes marcas devem adotar uma postura ainda mais humanizada em datas comemorativas e comerciais como o dia das mães. Apresentações estratégicas e dinâmicas aumentam a interação e engajamento, comunicando de forma eficaz. A diversidade e a acessibilidade não são apenas ideias, mas práticas essenciais.

Para isso, as marcas precisam criar experiências que envolvam o corpo e a alma do público, que façam com que ele se sinta parte da história, que ele se identifique com os valores e a missão da marca.

As ações devem respeitar e valorizar todos os tipos de mães, abordando diferenças de gênero, raça, etnia, orientação sexual, idade, religião, cultura, deficiência, entre outras. As sensações vivas são a essência do live marketing, elas buscam criar laços afetivos e emocionais e conversam diretamente com a data.

Por fim, concluo que o live Marketing é um palco vibrante, onde as marcas podem mostrar sua essência, seus valores, seus propósitos e seus diferenciais de forma criativa, autêntica e impactante. As datas comemorativas criam possibilidades de experiências de marca incomparáveis, que vão além dos limites físicos e que envolvem todos os sentidos de um público extremamente abrangente.

*Rodrigo Villaboim – Sócio-diretor da .be comunica

Continue lendo