Conecte-se com a LIVE MARKETING

Digital

Marketing de influência é a grande aposta das empresas

Publicado

em

As redes sociais mudaram completamente a forma como o consumidor interage com conteúdo publicitário, e as empresas já perceberam essa transformação. Métodos tradicionais, sobretudo na TV, estão ficando ultrapassados, e a bola da vez é a aposta em marketing de influência. Não é à toa que oito em cada dez empresas terão orçamento exclusivamente dedicado a esse tipo de marketing, segundo a agência global Relatable.

De acordo com um estudo do Influencer Market Hub, uma das referências no setor, apostar em influenciadores traz, em média, um retorno de 7,65 dólares para cada dólar de investimento. “Observamos que em algum caso esse retorno pode ser ainda maior, porque o impacto é bastante significativo. As empresas sabem que investir em influenciadores e campanhas digitais, a curto prazo, tem trazido resultados mais positivos do que outras formas de marketing”, diz Sérgio Tristão, especialista em marketing digital e CEO da First 4 Digital, uma das principais empresas brasileiras deste segmento.

Segundo Tristão, dois fatores são muito valorizados pelas empresas na hora em que querem anunciar seus produtos ou serviços: a espontaneidade dos influenciadores e o storytelling, ou seja, a construção de uma narrativa que articula todo o potencial da marca de uma forma criativa. “Essas práticas estabelecem uma maior proximidade com os consumidores, especialmente no ambiente digital”, completa o especialista.

Nativos digitais ganham espaço

Nessa nova realidade do marketing de influência, buscar por celebridades ou influenciadores com dezenas de milhões nem sempre é a estratégia mais eficaz. Um estudo do Collective Bias revela que 30% dos consumidores são mais propensos a comprar um produto quando ele é recomendado por um influenciador que seja nativo digital, enquanto que apenas 3% são mais influenciados por celebridades. “As empresas precisam atingir o seu público-alvo, e ajudamos a encontrar os influenciadores que melhor se encaixam em seu perfil. Nem sempre o número de seguidores ou de curtidas é um requisito preponderante nessa escolha”, aponta Tristão.

Em relação às redes sociais, o Instagram segue sendo a mais preponderante no mercado de marketing de influência (usado por 90% dos influenciadores em campanhas digitais), seguido por Facebook (42%) e Youtube (37%). No entanto para Tristão, a plataforma de vídeos merece bastante atenção para os próximos anos. “Em muito breve, a audiência do Youtube será maior que a da televisão no Brasil. As empresas que querem se destacar nesse segmento precisam se antecipar a essa tendência, que é mundial’, completa o CEO da First 4 Digital.

No caminho contrário, buscando a atenção de empresas e patrocinadores, ou até mesmo um possível retorno à mídia, Tristão já criou diversos projetos para a internet encomendados por celebridades como Guilhermina Guinle, Fernanda Keulla, Mirella Santos e Ceará, Dani Souza e o jogador Dentinho, que juntos somam mais de 160 milhões de visualizações. “Um dos formatos que mais faz sucesso no YouTube são os reality shows. Um dos braços da empresa é a criação de conteúdo, e desenvolvemos projetos que conectam os influenciadores às marcas. Eles também acabam nos procurando visando um retorno à mídia ou até mesmo atingir um novo público na internet”, conclui Tristão

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Digital

Rocky.Monks é o mais novo parceiro da JustForYou

Publicado

em

A agência digital full service Rocky.Monks, em mais uma movimentação de mercado, fecha uma nova parceria com a JustForYou, maior marca de personalização de produtos de hair care da América Latina. Com início neste ano, a parceria visa aumentar os resultados em mídias pagas, expandindo a marca  e ajudando na divulgação das novidades da empresa.

“Nosso time de Mídias Pagas já está a todo vapor. Para nós, é de suma importância parcerias com grandes empresas como é o caso da JustForYou, e tenho certeza de que, com um bom trabalho do nosso time, vamos atingir ótimos resultados para que essa parceria dure por muitos anos”, explica Daniela Gebara, sócia fundadora e diretora comercial da Rocky.Monks.

A JustForYou é mais um grande cliente como Telhanorte e Loungerie, que também compõem a carteira de mais de 80 clientes da Rocky.Monks. Além disso, em 2021, a agência foi reconhecida como uma das melhores agências de comunicação para se trabalhar pelo GPTW.

Continue lendo

Digital

Monetização de dados é componente importante da Transformação Digital que movimentará US$ 2,3 trilhões até 2032

Publicado

em

O conceito Data Driven e a consequente monetização desses dados cresce exponencialmente e cada vez mais deve fazer parte dos negócios em todos os níveis. O mercado de transformação digital vai movimentar US$ 2,3 trilhões até 2032, com crescimento médio de 14,2% ao ano, de acordo com o relatório Market Research Report da Fact.MR. Apenas este ano, a expectativa é de que o segmento atinja US$ 621 bilhões. A consultoria Forrester avalia que as empresas que são Data Driven estão crescendo 30% ao ano.

O consultor Caio Cunha, presidente da WSI Master Brasil e membro do Global WSI Internet Consultancy Advisory Board, afirma que o novo modelo significa sobrevivência no mercado. “Ser Data Driven hoje é um diferencial competitivo. Muitos dos concorrentes já adotam e os que não adotarem vão sair do mercado. Cada vez mais os clientes querem ações mais inteligentes”, sentencia o consultor.

Cunha explica que a empresa que é Data Driven usa uma base de dados estruturada, com informações concretas para a tomada de decisões, apoiada em ferramentas de Business Inteligence, inteligência de negócios na tradução. O sistema usa grande quantidade de dados de maneira rápida, segura e eficiente.

“Monetizar esses dados passou a ser interessante. Essas tecnologias podem ser usadas para reduzir custos com automação de tarefas, aumentar receitas identificando e servindo melhor os clientes, atrair mais clientes com engajamento reduzindo esforços, ser mais pessoal e melhorar qualidade dos serviços sem aumentar a equipe”, afirma o consultor.

Continue lendo