Conecte-se com a LIVE MARKETING

Artigos

Marcos Scaldelai: Black Friday e Natal impulsionam vendas online e empresas investem no Marketing para atrair clientes

Publicado

em

Datas costumam aumentar o número de visitas em lojas virtuais e grandes redes criam estratégias como promoções e descontos para driblar a concorrência. Marcos Scaldelai, empresário renomado do mundo do marketing, dá dicas de como faturar mais nesse período

Apesar da economia enfrentar um período delicado no país, alguns setores conseguem se manter com bons números e parecem ser uma alternativa para grandes marcas, como é o caso das lojas virtuais. Recentemente foi comemorado o dia das crianças e nas duas semanas anteriores a data, as vendas por e-commerce cresceram 22,2% em comparação ao mesmo período do ano passado. O sucesso do setor se deve a comodidade de realizar uma compra com apenas um clique e evitar situações cotidianas como deslocamento e trânsito. Outro ponto de destaque são as estratégias de marketing adotadas por grandes empresas, que podem ajudar a alavancar o negócio e aumentar o faturamento.

“Com um mundo cada vez mais tecnológico e competitivo, é necessário ser rápido e entender de fato quais são as reais necessidades dos clientes, pois são diversas opções de lojas disputando um lugar de destaque”, afirma o empresário Marcos Scaldelai, famoso pela sua atuação na área do marketing em grandes empresas como Nielsen e Bombril. Autor de best-seller, Scaldelai acaba de lançar seu novo livro, “Vendedor Falcão. Visão, Velocidade e Garra para Vencer”, em que lista quais são os principais pontos para crescer no mercado e dicas para conseguir faturar mais no e-commerce. “Assim como um falcão, é fundamental que o vendedor tenha a visão apurada e consiga enxergar os mínimos detalhes e o potencial de cada cliente”, explica Scaldelai.

Época de negócios
Novembro e dezembro costumam ser um ótimo período de vendas para o comércio online graças a Black Friday, que ocorre no dia 25 de novembro, e o Natal, em dezembro. Apesar das promoções tentadoras, de acordo com o Sebrae, 40% em média costuma desistir das compras que são incluídas no carrinho virtual. Algumas estratégias são capazes de reverter esse quadro. “Se correram dois minutos cravados sem finalização da compra e a pessoa recebe uma mensagem de oferta pré-desenhada ou de desconto do produto que ela está interessada, as chances de ser concretizada uma compra são muitos maiores”, ressalta o empresário.

Outra situação que costuma ser recorrente principalmente nesse período de instabilidade econômica é o cliente incluir um determinado produto no carrinho apenas para saber o preço. Apesar de existir o desejo de adquirir, assim que ele percebe que o valor está fora daquilo que ele cogitou, acaba desistindo de finalizar a compra. “Para muitos brasileiros, o parcelamento é a única possibilidade de consumir, então caso o cliente receba uma mensagem praticamente no ato permitindo dividir o preço do produto que está no carrinho em doze vezes, ele irá pensar duas vezes antes de desistir da compra”, diz Scaldelai.

Sobre Marcos Scaldelai
Marcos Scaldelai tem 39 anos é um dos executivos mais admirados do mercado brasileiro. Formado em propaganda & marketing pela ESPM e com MBA em Gestão de Negócios na USP, passou com destaque por grandes companhias, como Instituto de Pesquisa e Mercado, Nielsen, General Mills e Bertin. Ingressou na Bombril em 2010, como diretor de marketing. Foi diretor comercial e se tornou presidente em 2013 com 36 anos. Em 2014 foi eleito como um dos executivos jovens de maior destaque no Brasil pela Revista Forbes e esteve na lista dos “100 Executivos que Fazem o Brasil Melhor”, elaborada pelo LIDE e Joven Pan. Para dividir os detalhes de sua trajetória de sucesso, Scaldelai publicou pela editora Gente seu primeiro livro, batizado como “99,9% não é 100%. Você pode mais! ”. Na obra, o executivo descreve quatro competências que fazem a diferença para quem sonha em ser um executivo empreendedor, se destacar no mercado, crescer profissionalmente e se tornar um líder de sucesso. O livro virou um best-seller ultrapassando 20 mil exemplares de vendas. Em setembro de 2015, foi nomeado pela ABRAMARK (Academia Brasileira de Marketing) para ser integrante do Hall da Fama do Marketing no Brasil, que contempla os 87 melhores profissionais de marketing do país. Em março de 2016 deixou a Bombril e virou empreendedor. Atualmente é Presidente do Lide Interior de SP – Região de São José do Rio Preto, apresentador do programa Pra frente sempre na TV Ig e tem sua empresa, a MHS Marketing & Sales Consulting, onde atua como Escritor, Palestrante, Mentor e gerador de Projetos de Crescimento.

Site: www.marcosscaldelai.com.br

Continue lendo

Artigos

Luiz Fernando Ruocco – Quando o básico dá uma rasteira na inovação

Publicado

em

Todo final e começo de ano, vemos pipocar artigos e listas com “X tendências que você não pode perder”. No marketing digital isso é especialmente comum, e de fato discutir o futuro faz parte, como pudemos ver no CMO Summit deste ano. Mas a inovação é frequentemente apresentada como a maior solucionadora de problemas, a melhor chance de crescer no mercado. E será que é mesmo?

Nós sempre estamos inovando, o tempo todo. Não há nada de errado nisso, porque é um desenvolvimento natural e orgânico, um aprimoramento do que já fomos. Isso se aplica às nossas profissões também. O problema é que, agora, a tecnologia tem um papel central nas nossas vidas, e ela também está em constante mudança, só que de forma muito mais acelerada.

Das grandes companhias às startups mais recentes, todo mundo quer inventar algo que se torne o próximo sucesso tecnológico. Pode ser um aplicativo, uma rede social, um programa ou um aparelho. No meio dessa corrida, temos agências de marketing e seus clientes acompanhando tudo e tentando se manter atualizados em todas as frentes simultaneamente.

Esse é um trabalho cansativo. É por isso que surge uma questão que anda se tornando cada vez mais presente na área: a preocupação excessiva com a inovação ocasionando a falta de atenção para o básico.

Que bom que você está de olho na nova rede social que surgiu, mas como andam as campanhas no Facebook e no Instagram? É ótimo que você esteja tentando contato com aquele novo modelo de marketplace, mas como estão as coisas nos players já consolidados do mercado?

Esses são alguns exemplos que poderiam se estender por muito tempo. O ponto é que toda estratégia requer uma base sólida, mesmo em um campo cheio de novidades como o marketing digital. Não dá para descuidar do que está, de fato, sustentando os negócios.

Às vezes é complicado para agências e clientes separarem esses dois caminhos de ação, o básico e o inovador. Quando você vê uma tendência naquelas listas de fim de ano e pensa “caramba, isso pode dar muito certo”, é bom dar uma investigada. Só não é bom abandonar o barco para ver se o navio vizinho é mais legal.

Profissionais diferentes, ainda que atuem de forma integrada, podem fazer com que tudo aconteça sem problemas. Você precisa ter tripulação o bastante para visitar o barco vizinho e manter o seu seguro, inclusive pronto para qualquer eventual tempestade.

Na prática, isso basicamente significa organização.

Campanhas rodando, redes sociais abastecidas, atendimento adequado, mensuração sendo acompanhada, e as demais técnicas precisam estar nos trinques. Daí, sim, podemos falar de inovação sem tropeçar nos próprios pés.

Luiz Fernando Ruocco é Sócio e Diretor de Operações da agência full digital ROCKY, Coordenador de Mercado no ITI MBA da Universidade Federal de São Carlos (UFScar) e mentor de negócios na Liga Ventures.

Continue lendo

Artigos

Leandro Bravo – Como ser assertivo na escolha de criadores e influenciadores

Publicado

em

O mercado de influenciadores cresce de forma exponencial há anos. Um dos motivos é que uma ação de marketing de influência entrega onze vezes mais resultados sobre investimentos do que as formas tradicionais de publicidade digital. Com tais cifras e um número cada vez maior de influenciadores e criadores de conteúdo surgindo nas redes, começa a ficar mais difícil para o marketing selecionar de maneira assertiva os produtores de conteúdo e influenciadores que realmente interessam para a marca.

Segundo dados da pesquisa “ROI & Influência 2019” elaborada pelo Youpix, embora 94% das empresas que usam marketing de influência afirmem que as ações com influenciadores são efetivas, muitas têm dificuldade de mensurar os resultados e 66% gostariam que o tracking das campanhas fosse melhor (de acordo com  um estudo realizado pela Influencer Marketing Hub).  Para explicar quais são os fatores-chave para avaliação e o que as marcas precisam fazer para trabalhar com produtores de conteúdo e influenciadores, convidamos o especialista no tema Leandro Bravo, CMO e co-fundador da Cely, startup que criou a primeira plataforma de marketing de influência com programática do mundo.

Abaixo, Leandro,  dá seis dicas  para melhorar a procura e a escolha  dos influenciadores ideais para uma campanha:

1 ) Defina o público-alvo da campanha

Cada produtor de conteúdo fala com um público específico. É muito comum o cliente querer falar com “todo mundo” e o budget da ação não ser correspondente. Portanto, é determinante definir muito claramente quem deve receber a mensagem para, então, usar uma ferramenta baseada em dados que mostre qual influenciador fala com aquele público determinado. Essa é uma das vantagens de se investir em Marketing de Influência.

2) Avalie se a campanha tem fit com o influenciador

É possível que um produtor fale exatamente com quem você quer atingir, mas, ao mesmo tempo, não tenha sinergia alguma com a marca ou a mensagem que será transmitida. Antes mesmo de solicitar orçamento, consuma o conteúdo dele. Entenda se as postagens que ele faz têm relação com a campanha, se é algo que está presente no dia a dia daquele profissional. Uma quebra muito grande de mensagem/mensageiro, gera ruído e estranhamento no público e pode provocar um efeito indesejado.

3) Use buscas por tags e opte pelos “mais relevantes”

Quando procurar um influenciador via Instagram, por exemplo, opte também pela busca por meio de uma tag, com uma palavra-chave para o seu produto/serviço. Ao usar as tags, você verá quais influenciadores indexam primeiro. A busca por tags é muito simples: abra o Instagram pelo celular, vá em pesquisar e clique no item “tags”. Depois, digite a palavra que deseja e pronto. Opte pelos  “mais relevantes”, pois são pessoas com um retorno melhor de likes e engajamento.

4) Humanize a comunicação

Evite campanhas frias, totalmente determinadas pela marca. Ceda espaço para as ideias do influenciador, para o tom de voz e sensibilidade dele. A comunicação humanizada aumenta significativamente o potencial de compartilhamento. Isso também serve para o conteúdo que você fará nas redes sociais da empresa. Preparar a sua casa com esse olhar, faz campanhas de conversão funcionarem melhor.

5) Utilize ferramentas gratuitas para analisar dados de engajamento

A ferramenta Social Blade, disponível como extensão no Google Chrome ou site, é gratuita e presta serviço de rastreamento de estatísticas e análises de mídias sociais incluindo dados como “taxa de engajamento”, número de likes e seguidores.  Existem vários padrões de avaliação de um creator, muito por conta das diversas categorias de conteúdo que existem, mas uma quase certeira é:quanto maior a quantidade de seguidores, menor sua taxa de engajamento.

Vale lembrar que a principal ferramenta do Social Blade gira em torno da plataforma de vídeos YouTube, porém, ela também gera informações e números sobre Twitch, Mixer, Dailymotion, Twitter, Instagram, e Facebook. Uma ferramenta complementar a anterior é a Upfluence Software, que disponibiliza uma extensão gratuita para o Chrome, disponível no Chrome Web Store. Com ele, é possível fazer análise do desempenho do perfil de um influenciador e obter informações mais detalhadas como, por exemplo, em qual cidade e país o criador de conteúdo tem seu maior público, em qual faixa etária, dados monetários e de outras redes sociais como: Youtube, Twitter e Facebook..

6) Faça a proposta ao influenciador de forma atrativa

Como abordar influenciadores é uma dúvida comum das marcas. É importante ter o cuidado de fazer a proposta ao influenciador de maneira atrativa, valorizando o seu trabalho. Muitas vezes, os creators se sentem explorados por marcas pela forma como são abordados.  Mostre ao influenciador que você está interessado verdadeiramente no projeto dele e que o trabalho em conjunto gerará resultados para ambos os lados.

Leandro Bravo, co-fundador da Cely

Continue lendo