Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Vira-Lata é o cão preferido dos lares brasileiros

Publicado

em

Entre aqueles que possuem cachorros, 41% têm um ‘sem raça definida’, de acordo com o Instituto QualiBest, que ouviu 7.084 pessoas donas de PET, em todo o Brasil. Poodles, Pinschers, Labradores, Pit Bulls e Lhasa Apsos completam o ranking

Se você é dono de um simpático vira-lata, pode comemorar. O seu pet é não somente o mais popular entre os brasileiros, como é aquele que menos apresenta problemas de saúde, com apenas 15% de incidência. Já se você mora com um Lhasa Apso ou um Poodle, prepare o bolso: em ambos os casos, os exemplares da raça não costumam consumir menos do que cinco serviços a cada ida ao pet shop.

Os dados figuram em uma pesquisa online inédita realizada pelo Instituto QualiBest, de São Paulo, que ouviu 7.084 homens e mulheres, de 18 anos ou mais, das classes A, B, C, D, E, de todas as regiões do País. A margem de confiança da pesquisa é de 95%.

Entre os entrevistados que possuem e são responsáveis por pets soma-se 65%, desses 79% têm cães, 39% gatos, 19% aves e 10% peixes.

Depois do vira-lata, presente em 41% dos lares, vêm as raças Poodle (11%), Pinscher (7%), Labrador (5%), Pit Bull (3%) e Lhasa Apso (3%).

Além de ser o mais saudável, o vira-lata é o cão mais presente nas casas das classes C e D e 33% deles foram encontrados abandonados nas ruas.

Os Lhasa Apsos, por sua vez, são os que mais viajam com seus donos (26%) e aqueles que mais dormem com eles na cama (52%).

“Nós estamos sempre de olho nas tendências do mercado para realizar estudos de opinião pública. Nunca vimos tanto lançamento de serviços para o mundo PET e era um assunto que nunca havíamos investigado por conta própria. Tinha também poucos dados de pesquisas disponíveis”, diz Daniela Chammas Daud Malouf, diretora-geral do Instituto.

“Foi a primeira vez que pesquisamos este mercado por conta própria e ficamos impressionados com a adesão.”

Curiosidades

– 30% dos cães brasileiros têm porte pequeno (5kg a 10kg)

– 93% dos labradores são criados em casa (apenas 2% em apartamento)

– 62% dos Pit Bulls presentes nos lares brasileiros são machos

– 37% dos donos de Lhasa afirmam que sempre comemoram o aniversário do cão

– 34% dos donos de Poodle ganharam o pet de alguém

“Graças à internet, conseguimos obter um valor competitivo. Queríamos lançar algo especial, que nem mesmo os fabricantes de rações encomendariam. Iniciamos a pesquisa com 14.000 internautas e chegamos a uma amostra robusta de 7.000 donos de pet, amostra essa que possibilitou entender os hábitos dos donos de PET em todo o Brasil, incluindo o interior de cada Estado, e com um olhar especial por raça”, complementa Daniela.

 

Quem ama cuida

A comida é outro fator destaque no levantamento: 12% dos cães que figuram na pesquisa comem a mesma comida que é preparada para o dono/outras pessoas da casa; 32% ingerem ração comum e, 38%, ração específica para seu porte.

Em média, os animais são alimentados de duas a três vezes ao dia.

Surpreendentemente, 80% dos cães de estimação não apresentam nenhum problema de saúde. Entre aqueles que os têm, as doenças mais comuns são alergia cutânea, dermatite, catarata, sobrepeso e otite.

Como quem ama cuida, a pesquisa revela que 56% dos entrevistados levam seus cães para vacinação de uma a duas vezes ao ano; 58% levam para o banho de uma a duas vezes ao mês; 34% levam para a tosa uma vez ao mês e 44% compram produtos de higiene uma vez ao mês.

Donos de pets que “sentem falta de algum produto ou serviço no mercado” alcançam 61% e algumas queixas são: falta de alimentos isentos de conservantes, corantes, sabores artificiais e subprodutos; inovação em produtos e serviços; falta de soluções em diversão e relaxamento; e aplicativos específicos para seus pets.

Continue lendo

Universo Live

MChecon lança nova marca e posicionamento

Publicado

em

MChecon lança nova marca e posicionamento
A MChecon, considerada uma das maiores empresas do país no ramo de cenografia e especialista em montagens de grandes eventos, acaba de lançar sua nova identidade visual e posicionamento, que passa a ser focado em soluções que entregam não apenas projetos cenográficos, estandes ou PDV, mas qualidade criativa através do design.

“O design para nós representa todo início da concepção de um projeto. De construirmos ele com todo cuidado para que cada ponto de contato seja uma experiência única e inesquecível”, explica Marcelo Checon. “Além disso, a inclusão da palavra design na nossa assinatura, reflete esse momento de crescimento e traduz o papel estratégico dos nossos serviços para os clientes. Ou seja, hoje, somos muito mais que cenografia, estandes ou PDV. Somos a solução criativa através do design”, completa.

A nova marca, desenvolvida pela equipe de marketing da empresa, liderada por Rafael Mattos, apresenta uma tipologia mais sólida e compacta, com um desenho clássico e ao mesmo tempo atual. “É uma evolução da identidade anterior, mas que mantém em seu conceito a essência de uma história de compromisso, excelência e ética”, afirma Mattos.

A identidade visual marca também a nova fase da trajetória da MChecon, que passou a integrar o ecossistema da M&Co, primeira holding de infraestrutura e cenografia para eventos do Brasil ao lado da RECON Eventos, Triart, 100% Eventos e Checon Locações.
Continue lendo

Universo Live

MCI e Informa Markets lançam plataforma pioneira em metaverso para o Futurecom

Publicado

em

MCI e Informa Markets lançam plataforma pioneira em metaverso para o Futurecom

A MCI foi escolhida pela Informa Markets para desenvolver a plataforma Metaverso, a nova realidade virtual com foco em experiência imersiva, que será lançada no Futurecom Digital Week 2021, o maior evento de tecnologia, telecom e transformação digital da América Latina. Marcado para os dias 8 a 11 de novembro, o encontro, que será 100% digital, vai proporcionar a interação entre palestrantes e participantes por meio de um espaço coletivo, composto de realidade virtual, aumentada e inteligência artificial, que replica a realidade por meio de dispositivos digitais. Nele, os participantes poderão trabalhar, jogar e socializar, como se tivessem uma vida no mundo virtual, experimentando, em sua concepção completa, um conceito que se tornou a obsessão das big techs no Vale do Silício.

“Ao apresentar essa nova realidade, queremos promover uma experiência única, imersiva e exclusiva no maior evento de tecnologia, telecomunicações e transformação digital da América Latina. Certamente, seremos um dos primeiros a explorar no Brasil – de maneira estruturada – este conceito”, afirma Hermano Pinto, Diretor do Portfólio de Tecnologia e Infraestrutura da Informa Markets Brasil.

“Na MCI, já acompanhamos esse formato nos projetos globais e estamos entusiasmados por trazer o Metaverso para os eventos no Brasil. É um projeto multidisciplinar, a plataforma demandou seis meses de trabalho e envolveu profissionais de diversas áreas, como desenvolvedores de softwares, designers gráficos, profissionais de conteúdo de games, entre outros. A experiência e conhecimento no tema sem dúvidas abre ainda mais o nosso portfólio e contribui para inovação dos eventos no país”, explica Igor Tobias, Diretor Geral da MCI Brasil.

Serão quatro dias de imersão em “mundos” totalmente automatizados e conectados. Os participantes da Futurecom Digital Week vão poder protagonizar experiências dentro da plataforma, acessando o metaverso e, por meio de dispositivos em uma nuvem central, serão conectados a quatro ilhas flutuantes, onde cada uma delas terá atividades que irão remetê-los aos mundos com as temáticas de Digital Divide (cidade inclusiva), Smart City, Agro World e Industry World.

No caso da Smart City, por exemplo, o participante poderá clicar nos elementos – ônibus elétrico, patinete e drones e outros – para acessar um vídeo explicativo e obter mais informações sobre funcionalidades, benefícios, economia, entre outros aspectos tecnológicos. Já na ilha Digital Divide, por meio da cidade remota, o participante se conectará com o mundo proporcionado pela tecnologia mais moderna. E nos mundos de Agro e de Industry, a experiência levará a uma navegação para os novos dispositivos que já são realidade e os que serão adotados com a chegada do 5G e outras tecnologias do futuro.

“Nosso metaverso não é um tour virtual com imagens em 3D. O que está sendo criado para FutureCom é diferente de tudo o que está sendo feito, com um olhar focado no conceito, no trabalho artístico, no storytelling, trazendo uma visão de primeira pessoa, dando ao participante total autonomia de fazer o que quiser e ir para onde quiser. Tudo isso alinhado com tecnologia de ponta. Não será preciso baixar qualquer tipo de software para entrar no Metaverso, tudo é feito pela internet. Também não será preciso ter óculos de Realidade Aumentada ou hardware especial, qualquer um poderá usar a ferramenta”, explica Theresa Christina Oiticica Braconnot, líder de Planejamento na MCI Brasil.

A vivência acontecerá paralelamente ao congresso, que reunirá na plataforma Futurecom convidados nacionais e internacionais que debaterão em palestras, demonstrações e estudos de casos baseados em temas que envolvem 5G, Inteligência Artificial, Virtualização, Infraestrutura e Conectividade, Internet das Coisas (IoT), Blockchain, Edge Computing; Data Analytics, ISPs e Redes Neutras. Serão 64 horas de conteúdo, com 300 palestrantes e uma expectativa de mais de 10 mil participantes nos quatro dias de evento.

Continue lendo