Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Shimano celebra 10 anos de seu escritório no Brasil

Publicado

em

Empresa japonesa, cuja sede para América Latina funciona em São Paulo desde março de 2007, comemora também o novo cenário de evolução da cultura da bicicleta, esporte e lazer no País

A Shimano, marca mundial no mercado de componentes para a prática do ciclismo e da pesca, inicia sua celebração dos 10 anos de atuação direta da marca no Brasil e no continente, após o estabelecimento, em março de 2007, do escritório da Shimano Latin America, em São Paulo. As festividades da marca japonesa acontecem durante os próximos meses, tendo seu ponto máximo no Shimano Fest, maior festival da bicicleta na América Latina, marcado para 14 a 17 de setembro, no Jockey Club de São Paulo.

Há 10 anos, o paulistano criado no Japão, Fabio Takayanagi, recebeu da Shimano Japão a missão de abrir oficialmente o escritório da empresa na capital paulista e assumir o cargo de presidente da Shimano Latin America, passando a desenvolver atividades no país e América Latina. A decisão da abertura do QG da marca veio ratificar o forte potencial ciclístico da região. Desde então, a Shimano vem incentivando o mercado com treinamentos gratuitos voltados ao mecânico profissional, oferecendo apoio e patrocínio a atletas e eventos, e executando ações sociais e ambientais, além da inegável contribuição em inovação tecnológica com o lançamento dos câmbios eletrônicos Di2 para a prática do ciclismo de estrada, em 2009, e Mountain Bike em 2014. Mais recentemente, introduziu o grupo de componentes Metrea, especialmente pensado para ciclistas urbanos/esportivos e, em breve, lançará também no País, seu grupo de componentes para bicicletas elétricas assistidas – o ciclista tem que pedalar para ativar o motor elétrico de assistência – o STEPS (Shimano Total Electric Power System).

A subsidiária da maior marca de componentes de bike do mundo veio com missões definidas, dentre elas, trabalhar efetivamente a coordenação da distribuição e marketing de equipamentos e acessórios de Pesca, outro segmento onde a marca é uma das mais significativas no cenário mundial. Além é claro, de ampliar o branding e seu reconhecimento, por meio do desenvolvimento da cultura da bicicleta e outdoor na América Latina. O apoio a distribuidores, o Serviço de Suporte Neutro Técnico em eventos esportivos e os serviços de pós-venda, também compõem tarefas de suma importância nesse desafio diário da marca.

“A presença no país de uma das mais conceituadas marcas do ciclismo mundial, traz um significado maior. A responsabilidade de estar presente na região, fez com que a Shimano abraçasse outros desafios. O apoio irrestrito ao esporte patrocinando atletas, eventos e competições de ciclismo em quase todas as modalidades, virou regra. Nestes anos estivemos ao lado dos maiores eventos de mountain bike do País, seguindo o mesmo caminho no triatlo e no ciclismo de estrada. Acertamos o foco e demos total ênfase em oferecer aos atletas brasileiros e do continente, condições e estrutura para que se aperfeiçoassem rumo aos Jogos Olímpicos Rio 2016”, conta Fabio Takayanagi, presidente da Shimano Latin America e da Shimano American Corporation, divisão Componentes de Bicicleta, com sede na Califórnia.

Suporte Neutro, marca registrada da Shimano – A ação de Suporte Neutro Shimano, apoio técnico a todos os atletas inscritos em competições de ciclismo, independente da marca da bicicleta, componentes e patrocinadores, tornou-se uma marca registrada e diferencial da Shimano. O serviço que virtualmente ‘salva’ competidores com dificuldades mecânicas, os ajudando a colocar suas bicicletas em ordem nas competições, virou um case de sucesso, conquistou milhares de fãs para a Shimano e foi assediado por diversos eventos ciclísticos no País e América Latina.

No campo da ação social, a marca foi sempre participativa e criou iniciativas para colaborar com a causa da sustentabilidade e qualidade de vida. Uma ação criada pela Shimano foi o simpático Pedal das Capivaras: passeio ciclístico para chamar atenção para a despoluição do Rio Pinheiros, em São Paulo. O Curso de Mecânica Básica para jovens de comunidades carentes no Rio de Janeiro foi outra intervenção significativa da marca. Nele, foram atendidos jovens de áreas de risco como Morros do Macaco e Turano, no Rio de Janeiro. Os jovens tiveram a oportunidade de entrar em contato com o mundo do ciclismo, tecnologias, aprender sobre produtos e mercado, além de ter noções básicas da mecânica de bicicletas. O Pedala Zezinho foi outra ação social de bastante impacto, comandada pelas ONG’s Aro 60 e Casa do Zezinho, na Zona Sul de São Paulo, com parceria da Shimano. Os esforços sociais não pararam aí: a Shimano patrocinou e apoia o Orfanato Lar Nossa Senhora Aparecida, que coloca crianças e adolescentes no esporte – ciclismo.

Uma das ações mais comentadas e valorizadas pelo mercado de bicicletas, desenvolvida há oito anos pela marca no Brasil e na América Latina, é o treinamento técnico gratuito para mecânicos profissionais, que beneficiou até o momento, 9.200 profissionais. Nele, mecânicos e vendedores técnicos de lojas de bicicleta recebem treinamento prático e teórico com base nas tecnologias da marca. Os profissionais recebem atualização e tornam-se aptos a trabalharem com novas tecnologias da marca, além de receberem certificado de participação.

“Ao longo destes 10 anos, nosso escritório desempenha esse papel de impulsionar a cultura da bicicleta, seja pela sua atuação nos esportes do ciclismo, seja na contribuição junto ao profissional do mercado ou mesmo na sua participação em atividades sociais. Como efeito, diversas marcas, empresas e profissionais do setor de bicicletas seguiram o exemplo da Shimano, apostando no fomento ao esporte, mobilidade e educação técnica. Podemos dizer sem modéstia que a Shimano serviu de inspiração em seu mercado de atuação”, enaltece Takayanagi.

Shimano Fest, um marco no mercado da bike – Talvez uma das maiores contribuições da Shimano para esta nova cultura emergente da bicicleta seja o Shimano Fest, maior Festival da Bicicleta no continente. Lá acontecem diversas atividades além da exposição de produtos de bike e pesca, para alegria dos fãs da marca. Criado com o objetivo de levar a família e o público geral para dentro do universo da bike e atividades outdoor, o Shimano Fest vem solidificando-se como um dos eventos mais aguardados do ano em São Paulo. O Festival também é muito aguardado pelo mercado da bike, que agora conta com dois dias exclusivos para o segmento, e também por atletas, entusiastas da mobilidade e por um público cada vez mais diversificado.

Atrações como shows de Rock e Taiko (tambores japoneses), competições de alto nível de mountain bike e ciclismo de estrada, palestras, workshops, test-ride de bicicletas e muitas outras atividades, têm atraído cada vez mais pessoas ao Festival realizado no Jockey Club. Em sua sétima edição, ano passado, mais de 20.000 pessoas compareceram aos quatro dias de evento, que terá sua fórmula repetida neste ano: os dois primeiros dias para profissionais do setor, enquanto sábado e domingo o Shimano Fest é aberto gratuitamente ao público.

“Podemos dizer que o saldo desta primeira década da Shimano Latin America foi extremamente positivo no aspecto comercial e, pudemos ver também a cidade de São Paulo ganhar ciclovias, sendo a principal delas, a bela Ciclovia na Avenida símbolo da cidade, a Av. Paulista. Testemunhamos a popularização das bicicletas compartilhadas equipadas com nosso cubo de marchas, o Nexus e, uma onda de valorização da qualidade de vida, liberdade e sustentabilidade que varre toda a América Latina e que tem a bicicleta como seu maior ícone”, finaliza o presidente da marca na América Latina e América do Norte.

Continue lendo

Universo Live

Publicidade nos muros das favelas gera cestas básicas ao G10

Publicado

em

Presente em comunidades de todo o país, o Outdoor Social® foi criado para conectar marcas com o público das favelas e aquecer a economia local. Na prática, como modelo de mídia OOH (Out Of Home), o morador recebe para tornar o muro de sua casa um outdoor para anúncios, fazendo com que a população local tenha contato com as marcas. “É uma forma de mostrar ao mundo o poder de consumo da região e possibilitar uma renda extra aos expositores, que são domiciliados locais”, explica Emilia Rabello, fundadora do Outdoor Social®, pioneiro no segmento OOH em favelas.

Nesse momento de agravamento da pandemia, além da renda extra, que auxilia os moradores, o Outdoor Social® destinará cestas básicas para o G10, bloco das 10 maiores favelas do Brasil. A cada painel instalado em abril, uma cesta básica é doada. A meta é alcançar o mínimo de 1.000 outdoors, de marcas como O Boticário e Tim, colocados nos muros dos moradores das principais favelas do país. O intuito é amenizar os impactos socioeconômicos deste momento de crise no país. “Estamos em uma situação crítica com o agravamento da pandemia e precisamos nos mobilizar. Só na primeira semana, conseguimos entregar 268 cestas e esperamos distribuir ainda mais rapidamente. Com essas doações, queremos atravessar juntos o momento de crise e inspirar outros líderes empresariais a destinarem parte do lucro à entrega social”, conta Emilia.

Segundo o Monitor das Doações Covid-19, organizado pela Associação Brasileira dos Captadores de Recursos (ABCR), a população brasileira fez muitas doações durante os 12 meses da pandemia no país. A cifra da solidariedade já totaliza R$ 6,5 bilhões, englobando doações de pessoas físicas e jurídicas. Desse valor, 84% são originários de companhias privadas.

 “Não podemos mais esperar por políticas públicas. Somos um povo forte, unido, trabalhador e juntos, sairemos dessa”, ressalta Gilson Rodrigues, presidente do G10. Acreditando na soma de esforços para atender as necessidades da sociedade, Emilia reforça o potencial que as comunidades têm. “As favelas brasileiras possuem um enorme potencial cultural, intelectual e econômico. Por isso, precisamos seguir somando esforços para garantir as ferramentas de pleno desenvolvimento dessas populações e alavancar a economia do país”, finaliza.

Continue lendo

Universo Live

Marketing de influência: como as comunidades potencializam as marcas

Publicado

em

A oportunidade de criar uma proximidade maior com os clientes é um dos pontos que mais chama atenção das marcas para as comunidades, que também são conhecidas como “Fórum 4.0”. O levantamento do Community Roundtable, que aponta as estratégias de comunidade com um ROI médio de 6.469% para as marcas, é a prova de que esse tipo de ação está em alta entre as empresas.
As comunidades propiciam a troca de conhecimento por meio da produção de artigos, interação rápida, cursos online e se tornou uma oportunidade para o público, influenciadores e marcas conviverem em um ambiente virtual seguro e garante até mesmo uma chance de obter renda e maior faturamento. De acordo com Luciano Kalil, CPO da Squid e especialista em comunidades, essa é uma forma assertiva de as marcas entenderem o que de fato os consumidores estão buscando.

“Para se aproximar dos seus clientes, empresas têm investido na construção de comunidades como um canal direto de relacionamento com influenciadores e, claro, com o consumidor. Esse canal se torna um ambiente de troca de informações e também para a construção de produtos e serviços que tenham a cara daquele público, pois quem consome tem esse canal direto com a marca”, analisa o executivo da empresa líder em marketing de influência e comunidades no Brasil.

Essas comunidades também são importantes para que as empresas compreendam quais as necessidades da sua marca e apliquem mudanças em seus serviços ou produtos. É como se fosse um novo FAQ, em que as principais dúvidas dos usuários são esclarecidas e a partir disso, é possível realizar mudanças que aproximem ainda mais aquela empresa ao público final.

No mundo, essa solução já é a realidade de muitas empresas. A Lego, por exemplo, criou uma comunidade para os amantes da marca. Lá, os consumidores conseguiram propor novas soluções, votar em seus favoritos e enviar feedbacks. As ideias mais populares se tornam produtos e o idealizador do projeto ganha um percentual das vendas. A plataforma agrega mais de 1 milhão de inscritos.

“Aqui no Brasil, a Squid lançou o #ClubeDaInfluência e já possui mais de 40 mil inscritos. Nesse espaço, os criadores de conteúdo ajudam os outros de forma colaborativa e encontram na plataforma cursos que proporcionam a profissionalização de influenciadores digitais. É uma oportunidade de gerar conhecimento, além de movimentar o mercado da influência”, explica Luciano Kalil.

Continue lendo