Conecte-se com a LIVE MARKETING

Eventos

Rock in Rio completa 33 anos e se prepara para mais duas edições

Publicado

em

O dia 11 de janeiro é também considerado por muitos o dia do Rock, já que foi nesta data, em 1985, que surgiu o maior festival de música e entretenimento do mundo, o Rock in Rio. De lá para cá, novas casas — Lisboa, Madri e Las Vegas —  e grandes números fazem parte do cenário deste gigante do entretenimento: 18 edições, 108 dias e 1748 atrações musicais. Ao longo destes anos, mais de 9,2 milhões de pessoas passaram pelas Cidades do Rock. Para 2018, a organização do Rock in Rio já está a todo vapor na produção de mais uma edição. Em junho deste ano, o festival chega mais uma vez a Lisboa, nos dias 23, 24, 29 e 30 de junho de 2018. Entre os nomes já anunciados estão: Bruno Mars, The Killers, Demi Lovato e Muse. E, além de todos estes, Anitta já está confirmada para edição portuguesa. O grande destaque deste anúncio ficou por conta da dobradinha Lisboa x Brasil, pois a artista foi o primeiro nome apresentado para a edição de 2019 no Rio de Janeiro, onde ela subirá ao Palco Mundo para abertura de um dos dias de evento.

2017 ficou para a história

Em 2017, o Rock in Rio, maior festival de música e entretenimento do mundo, mudou de casa e surpreendeu: ganhou a maior Cidade do Rock já vista, inteiramente repaginada no Parque Olímpico em um espaço de 300 mil m2, apresentou áreas inéditas, acertou em seus sete dias de atrações e, mais uma vez, encantou o público que por lá passou, dando nota 8,9 para edição 2017. Com isso, também cresceu a admiração dos visitantes, que agora já se prepararam para a edição de Lisboa (Portugal), marcada para junho de 2018, e para a já confirmada edição de 2019, no Rio.

As redes sociais estão a pleno favor e, a poucos meses de sua próxima parada, o Rock in Rio anunciou recentemente seu alcance digital global. Segundo relatório produzido pela agência Artplan, o festival, que conquistou o primeiro lugar no Twitter como o assunto mais comentado de 2017, impactou igualmente em conversas espontâneas nas redes um total de 143 milhões de pessoas, ou seja, quase dois mil Maracanãs lotados. Além disso, a Cidade do Rock foi o local onde as pessoas mais postaram no Instagram em 2017. Durante o período do evento, os canais oficiais registraram recorde de audiência, com 56 milhões de interações. Os vídeos tiveram 42 milhões de views e a página no Facebook ultrapassou a marca de quatro milhões de fãs.

Para a vice-presidente do festival, Roberta Medina, toda essa repercussão, inclusive internacional, dentro e fora das redes, e mesmo após o encerramento do evento, não é à toa. “Em sua nova casa, o Rock in Rio reforçou toda a sua crença na cidade do Rio de Janeiro. Com o Rock in Rio, vive-se uma experiência capaz de transformar vidas. Trazemos alegria a pessoas de todas as idades e culturas, estejam elas onde estiverem. Nossa engrenagem não para e já estamos a todo vapor preparando a mais duas edições. Os portugueses nos aguardam este ano com muitas novidades e para 2019 já estamos preparando um festival recheado de conteúdo”, destacou Roberta Medina, vice-presidente do Rock in Rio, resgatando também os estudos realizados pela FGV, que indicaram que o impacto econômico do Rock in Rio para a cidade do Rio foi de 1,4 bilhão de reais, com a estimativa de ter atraído mais de 400 mil turistas, além dos 20 mil empregos gerados.

Uma perna para Lisboa – Rock in Rio oferece experiências inesquecíveis em Portugal

O público que quiser garantir, desde já, o seu lugar na edição portuguesa do festival, pode adquirir um dos cinco pacotes de viagens (Cultural, Taste, Wine, Surf, Academy). Em parceria com a Trip4U, os fãs podem aproveitar dois dias no Rock in Rio-Lisboa, além de ter uma experiência inesquecível no país. Os pacotes incluem seis noites de hospedagem com café da manhã, translados e um presente exclusivo Rock in Rio.

O Cultural Experience explora a história portuguesa com visitas a igrejas, castelos, museus, antigas vielas e vistas panorâmicas, envolvendo o público em uma atmosfera medieval e histórica. O Taste Experience inclui um passeio pelas belas lojas de comida e vinho com mais de 100 anos de tradição, além de uma degustação gastronômica dos tradicionais pastéis de nata e produtos locais acompanhados com o famoso vinho do Porto. O Wine Experiencie leva o público a uma degustação em vinícolas da região de Azeitão, ao sul de Lisboa, com vista para a cadeia de montanha do Parque Natural de Arrábia. Para quem quiser explorar o lado esportivo, o Surf Experience inclui um dia de surf com instrutor em um dos mais belos lugares do litoral português, a Costa de Caparica. Já o Academy Experience oferece um curso voltado para os executivos de todas as áreas, mostrando o Rock in Rio de portas abertas para o negócio por trás dos palcos. O curso traz palestras com quem faz o Rock in Rio.

Para mais informações sobre os pacotes: http://trip4u.com.br/rock-in-rio-lisboa/

Outras opções de ingressos para a edição Rock in Rio Lisboa 2018 também estão disponíveis pelo Eventim:www.eventim.com.br/rirLisboa

A história

O ano era 1985. A data precisa, de 11 a 20 de janeiro. O Brasil passava por grandes transformações após um longo período sob ditadura militar e seguia rumo à democracia. Foi em meio a mudanças e neste cenário que nasceu o Rock in Rio. E lá se vão 30 anos. Em um terreno pantanoso de 250 mil metros quadrados, na Barra, no Rio de Janeiro, durante dez dias, 1.380.000 pessoas assistiram o que viria a ser hoje o maior festival de música e entretenimento do mundo — mas, na época, ninguém ainda sabia disso. Era a primeira vez que um país da América do Sul sediava um evento musical desta proporção.

Tudo era novo e agregava uma dimensão inimaginável. A estrutura de som e luz contou com um sistema extremamente moderno para a época. Um dos símbolos do Rock in Rio, aliás, é que foi ali, em 1985, que uma plateia foi iluminada pela primeira vez, no mundo, na história dos shows. Uma homenagem ao público, considerado parte importante da grande festa naquela época e até os dias de hoje.

Era um período em que a contratação de artistas internacionais era extremante delicada. Mas, ainda assim, a primeira edição do Rock in Rio contou com nomes consagrados em sua programação. Nomes que, para aquela época, não estariam em palcos do Brasil: Queen, AC/DC, James Taylor, George Benson, Rod Stewart, Yes, Ozzy Osbourne e Iron Maiden foram alguns dos grandes artistas que subiram ao palco deste festival. Isso sem falar nas principais estrelas da música nacional da época, como Gilberto Gil, Ney Matogrosso, Rita Lee, Elba Ramalho, além de uma nova geração do rock nacional, que incluía Paralamas do Sucesso, Blitz, Kid Abelha e Barão Vermelho e que ganhou destaque a partir de suas apresentações no Rock in Rio. Este era o tom do Rock in Rio e que permanece até hoje, em todos os países onde o festival é realizado: um evento para toda a família e que reúne todos os estilos.

Momentos históricos de 1985

Momentos emblemáticos marcam a história do Rock in Rio – cenas que ficam marcadas na história da organização do festival, do público e dos próprios artistas. Em 1985, Freddie Mercury, do Queen, ficou tão impressionado com o coro do público durante a canção “Love of my life” que decidiu reger a plateia. A própria banda citou aquela experiência como um dos mais belos momentos da história do grupo.

Ainda em 85, a banda australiana AC/DC deixou bem claro que só tocaria no Brasil se pudesse trazer um gigantesco sino de 1,5 tonelada, usado na música Hell’s Bells. A produção do Rock in Rio aceitou o desafio e trouxe o sino de navio. Mas aconteceu o que ninguém esperava: o palco não suportava o peso do sino. No fim, o AC/DC subiu no palco com uma réplica de gesso, confeccionada pela produção do festival. Na mesma edição, Ozzy Osbourne levou a torcida do Flamengo à loucura ao subir ao palco com uma camisa do Zico.

O Iron Maiden fez seu primeiro show na América Latina no Rock in Rio, em 1985. A banda subiu ao palco às 23h58 (uma referência à canção Two minutes to midnight) e fez um dos shows mais históricos da banda e do festival, com a presença do Eddie, o monstro de estimação do grupo.

Recém-encerrado o regime militar, no dia do show do Barão Vermelho havia sido eleito no Brasil o primeiro Presidente civil depois da ditadura, Tancredo Neves. A banda de Cazuza foi ovacionada. Nesta data, a música “Pro Dia Nascer Feliz”, caiu como uma luva e trouxe mais um momento histórico para o festival.

Cronologia 

  • 1985

1ª edição do Rock in Rio no Brasil

Local: Barra

Total de dias: 10 (11 a 21 de janeiro)

Público: 1.380.000

Ãrea do evento: 250 mil m2

  • 1991

2ª edição do Rock in Rio no Brasil

Local: Maracanã

Total de dias: 9 (18 a 20 e 22 a 27 de janeiro)

Público: 700 mil

  • 2001

3ª edição do Rock in Rio no Brasil

Barra – Cidade do Rock

Total de dias: 7 (12 a 14 e 18 a 21 de janeiro)

Público: 1.235.000

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2004

1ª edição do Rock in Rio Lisboa

Local: Parque da Bela Vista, em Portugal

Total de dias: 6 (28 a 30 de maio e 4 a 6 de junho)

Público: 386 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2006

2ª edição do Rock in Rio Lisboa

Local: Parque da Bela Vista, em Portugal

Total de dias: 5 (26 e 27 de maio e 2 a 4 de junho)

Público: 350 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2008

3ª edição do Rock in Rio Lisboa

Local: Parque da Bela Vista, em Portugal

Total de dias: 5 (30 e 31 de maio, 1, 5 e 6 de junho)

Público: 354 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2008

1ª edição do Rock in Rio Madri

Local: Arganda Del Rey, na Espanha

Total de dias: 5 (27 e 28 de junho e 4 a 6 de julho)

Público: 291 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2010

4ª edição do Rock in Rio Lisboa

Local: Parque da Bela Vista, em Portugal

Total de dias: 5 (21, 22, 27, 29 e 30 de maio)

Público: 329 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2010

2ª edição do Rock in Rio Madri

Local: Arganda Del Rey, na Espanha

Total de dias: 5 (4, 5, 6, 11 e 14 de junho)

Público: 250 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2011

4ª edição do Rock in Rio no Brasil

Local: Barra – Cidade do Rock

Total de dias: 7 (23, 24, 25, 29, 30 de setembro e 1º, 2 de outubro)

Público diário: 700 mil

Ãrea do evento: 150 mil m2

  • 2012

5ª edição do Rock in Rio Lisboa

Local: Parque da Bela Vista, em Portugal

Total de dias: 5 (25 e 26 de maio, 1º, 2 e 3 de junho)

Público: 353 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2012

3ª edição do Rock in Rio Madri

Local: Arganda Del Rey, na Espanha

Total de dias: 4 (30 de junho, 05, 06 e 07 de julho)

Público: 186 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2013

5ª edição do Rock in Rio no Brasil

Local: Barra – Cidade do Rock

Total de dias: 7 (13 a 15 de setembro e 19 a 22 de setembro)

Público: 595 mil

Ãrea do evento: 150 mil m2

  • 2014

6ª edição do Rock in Rio Lisboa

Local: Parque da Bela Vista, em Portugal

Total de dias: 5 (25, 29, 30, 31 de maio e 1º de junho)

Público: 345 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

  • 2015

1ª edição do Rock in Rio USA

Local: City of Rock MGM Festival Ground, Las Vegas

Total de dias: 4 (8,9, 15 e 16 de Maio)

Público: 172 mil

Ãrea do evento: 40 acres

  • 2015

6ª edição do Rock in Rio no Brasil

Local: Barra – Cidade do Rock

Total de dias: 7 (18 a 20 de setembro e 24 a 27 de setembro)

Público: 595 mil

Ãrea do evento: 150 mil m2

 

  • 2016

7ª edição do Rock in Rio Lisboa

Local: Parque Bela Vista, em Portugal

Total de dias: 4

Público: 255 mil

Ãrea do evento: 200 mil m2

 

  • 2017

7ª edição do Rock in Rio no Brasil

Local: Parque Olímpico

Total de dias: 7

Público: 700 mil

Ãrea do evento: 300mil m2

Continue lendo

Eventos

Museu da imaginação apresenta oficinas de arte on-line

Publicado

em

Que tal um programa on-line onde as crianças podem brincar e aprender ao mesmo tempo? O Museu da Imaginação segue sua programação de oficinas on-line e neste sábado (24/04), a mergulha na arte abstrata de Piet Mondrian.

Além de aprender sobre o movimento artístico, as crianças desenvolverão uma obra de arte a partir de propostas inspiradas nos quadros do artista. A lista de materiais é enviada por e-mail e os materiais são simples: a ideia é produzir arte com o que você possui em casa, e o melhor de tudo é que as crianças conseguem desenvolver as atividades sozinhas, sem intervenção dos pais.

Piet Mondrian teve um percurso interessante: influenciado pelas obras do Van Gogh, começou a pintar quadros com coisas figuras em suas formas reais: uma árvore, uma ponte, etc. Conforme foi ficando mais velho, sua obra foi ficando cada vez mais abstrata, seguindo alguns conceitos bem particulares. Como isso aconteceu? Como foi esse processo? Nessa aula, falaremos um pouco sobre isso e sobre sua relação com as cores e formas, coisa que o deixou muito famoso!

A oficina acontece via Google Meets, tem duração de 1 hora com duas possibilidades de horário: uma sessão acontecerá as 11h e outra as 15h. A venda está disponível até as 17h do dia 23/4 para compra no site do Museu da Imaginação!

O Museu agora pode estar na sua casa!

O Museu da Imaginação agora na sua casa! Foram elaboradas uma atividade online, onde os educadores apresentam às crianças um assunto artístico e desenvolvem uma oficina com matérias simples, que todos tem em casa, desenvolvendo a imaginação, criatividade e coordenação motora.

Essas oficinas online foram desenvolvidas para que as crianças mergulhem no mundo da arte com muita imaginação e através de brincadeiras e diversão. As oficinas compreendem, além da confecção de objetos, uma reflexão sobre a produção artística da criança e o aprimoramento do pensamento criativo, tão importante para o desenvolvimento infantil.
Serviço:

MUSEU DA IMAGINAÇÃO

Ingressos para as oficinas disponíveis via whattsapp ou neste link .

WhattsApp.: (11) 94539-7638

@museudaimaginacao

Continue lendo

Eventos

BIG Festival estima movimentar US$50 milhões em 2021

Publicado

em

O BIG Festival,  festival e hub de negócios de games, apoiado pelo Brazil Games, o programa de exportação criado pela Associação Brasileira de Desenvolvedores de Jogos Digitais, ABRAGAMES, em parceria com a Apex-Brasil, a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, anunciou  que já tem 290 empresas inscritas para suas rodadas de negócios.
A plataforma, exclusiva do BIG Festival, conecta empresas com perfis complementares para reuniões de negócios. Ao longo de suas oito edições, o BIG Business Meetings já contou com a participação de mais de 2100 empresas e movimentou mais de US$200 milhões.

“O BIG Festival está presente em todas as frentes de negócios em games. Além de promover investimentos, nossos encontros estimulam a compra de jogos da região e até a compra de estúdios”, afirma Eliana Russi, Gerente Executiva do Projeto Brazil Games, “Para esse ano, estimamos movimentar em torno de US$50 milhões, um número expressivo para um ano como 2021 e para uma fase como esta que ainda vivemos no Brasil”, continua.
As reuniões de negócios do BIG Business Meetings colocam empresas desenvolvedoras brasileiras à frente de grandes publishers, como Sony, Microsoft, Nintendo e Epic Games, e em 2021 não será diferente. Destas oportunidades, surgiram diversos cases de sucesso ao longo da história do evento.

Um dos exemplos de negócios gerados no BIG é o jogo Kaze and the Wild Masks, finalista na categoria de Melhor Jogo Brasileiro nesta edição. “O BIG Festival é um dos eventos de jogos mais relevantes do Brasil, e, para nós, o mais importante do qual participamos nestes últimos seis anos de desenvolvimento. Em 2019 tivemos a oportunidade de expor o nosso jogo e ver milhares de jogadores testando o Kaze”, afirma Paulo Bohrer, co-fundador da PixelHive, compositor e sound designer no Kaze and the Wild Masks.

“Além disso, a rede de contatos que fizemos no BIG foi importantíssima para o jogo, pois foi naquele mesmo ano que iniciamos as negociações com a nossa publisher internacional, SOEDESCO; um grande passo que estávamos buscando e que possibilitou o lançamento do Kaze para as diversas plataformas nas quais ele está disponível hoje”, continua Paulo.

Com mais de 60 horas de programação online e gratuita, o BIG oferece palestras de diversos temas do universo dos games, mas para quem está buscando fazer negócios no evento, há alguns destaques:

Como preparar seu estúdio para receber investimentos
Cassia Curran, especialista em investimentos e apoio a estúdios indies por meio do WINGS Fund, discute, ao lado de Rebecca Owen, da Digital Development Management, o que um estúdio deve considerar ao se preparar para receber investimento ou para uma fusão.
Quando: 5 de maio (quarta-feira), das 12h30 às 13h00.

Humble Bundle: Black Game Developer Fund
Nesse papo, Justin Woodward, Co-fundador do The Mix, falará sobre o Black Game Developer Fund, um programa anual de US﹩ 1 milhão que visa apoiar os desenvolvedores de jogos negros, ajudando-os a publicar jogos com financiamento, produção e suporte de marketing por meio da publisher Humble Games, da Humble Bundle.
Quando: 5 de maio (quarta-feira), das 17h30 às 18h00.

Financiamento indie: conheça a Kowloon Nights
Anlu Liu, Content Manager do Kowloon Nights, Mark Venturelli, CEO e Diretor Criativo da Rogue Snail, uma das empresas investidas pelo fundo, e Astrid Refstrup, CEO e Co-founder da Triple Topping Games, vão bater um papo sobre o Kowloon Nights e financiamento indie. Conhecido como um fundo de investimento especializado em games que já adicionou mais de 40 títulos em seu portfólio, o Kowloon Nights tem mais de US﹩100 milhões em custódia para financiar jogos independentes.
Quando: 7 de maio (sexta-feira), das 11h30 às 12h00.

A programação completa do BIG Festival, com mais de 60 horas de conteúdo online e gratuito, contará ainda com grandes nomes do mercado de games como Ubisoft, BioWare e NetEase e será divulgada em breve.

O BIG Festival 2021 acontece entre os dias 3 e 9 de maio e todo o conteúdo do festival será disponibilizado de forma virtual e gratuita, com exceção das rodadas de negócios, voltadas a desenvolvedores, compradores, publishers e investidores internacionais e nacionais.
Continue lendo