Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Heineken® e Natura anunciam parceria que promoverá reciclagem de 2,5 milhões de copos plásticos usados no Rock in Rio 2019

Publicado

em

A iniciativa transformará os copos plásticos de Heineken descartados durante os sete dias do maior festival de música do mundo em embalagens de Natura Humor

Com o propósito de estimular ações de impacto positivo, contribuindo para a economia circular dos produtos, e fazer um convite para que as pessoas sejam agentes de transformação da sociedade, as marcas Heineken® e Natura firmam parceria inédita para o Rock in Rio 2019, que mais do que o maior festival de música e entretenimento do mundo é uma experiência de transformação. A iniciativa transformará os copos de plástico, descartados durante os sete dias do festival, em embalagens da linha Natura Humor. A expectativa é de que aproximadamente 2,5 milhões de copos sejam reciclados.

A mobilização entre as marcas também contempla diversas comunicações de incentivo à reutilização de materiais, convidando o público a refletir sobre a prática de reciclar e a respeito do consumo consciente. “Estamos muito animados com esta parceria inédita com a Natura. Juntos, concretizamos uma solução circular, onde resíduos plásticos se transformam em matéria-prima, bom para o meio ambiente e em linha com os nossos compromissos de sustentabilidade. Esse projeto traz benefícios diretos tanto para a comunidade quanto para o planeta”, comenta Ornella Guzzo Vilardo, Gerente de Sustentabilidade do Grupo HEINEKEN no Brasil.

A ação propõe estimular a economia circular, começando o ciclo com cooperativas locais, que já trabalham em parceria com o festival, e irão separar e dar um destino correto aos resíduos plásticos gerados durante o evento. Estes materiais coletados serão encaminhados para a Braskem, empresa parceira do projeto e fornecedora de resina plástica para a fabricação de embalagens da Natura. Com uso de materiais reciclados pós-consumo a previsão é gerar, aproximadamente, 10 toneladas de resina, que darão origem a cerca de 670 mil tampas do Deo Spray Corporal Humor.

“A Natura tem um compromisso histórico com a sustentabilidade, que é um dos pilares de atuação da marca. Desde 2007, somos uma empresa Carbono Neutro e acreditamos que o compromisso de reduzir as emissões de carbono e gerar impacto positivo na sociedade e no meio ambiente é um desafio coletivo”, explica Maria Paula Fonseca, diretora global da marca Natura. “A parceria com a Heineken® é mais um desdobramento do movimento ´Todos Juntos #PorUmMundoMaisBonito’, no qual fazemos um convite para que as pessoas se engajem na construção de um mundo melhor”, completa a executiva.

A iniciativa também evitará a emissão de até 15 toneladas de CO2 para a atmosfera, mesma quantidade que um carro produziria ao dar três voltas ao redor do planeta Terra – cerca de 38 mil km. “A Heineken® é patrocinadora do Rock in Rio desde 2011 e, em consonância com o posicionamento do festival, no preocupamos em trazer ativações que reforcem a importância de reciclar os copos usados dentro da Cidade do Rock. Em 2019 estamos dando um passo à frente e, de fato, mostrando aos consumidores que um objeto usado pode ser resignificado e ter uma vida longa. O cuidado com o meio-ambiente deve ser uma preocupação compartilhada e queremos ser provedores de hábitos positivos e sustentáveis para o planeta em que vivemos”, finaliza a diretora das marcas premium do Grupo HEINEKEN no Brasil, Vanessa Brandão.

O hotsite que explica melhor a ação estará no ar a partir do dia 29 de agosto: http://www.heineken.com.br/orockserenova

Entenda como funcionará a reciclagem de matéria-prima

  • Resíduos recicláveis são encaminhados para cooperativas parceiras;
  • Cooperativas separam os copos e formam fardos;
  • Braskem compra, transporta e converte os copos em resina reciclada;
  • Produtores de embalagem da Natura compram a resina reciclada da Braskem e produzem peças;
  • Natura compra as peças produzidas com resina reciclada e transforma em produto Natura na fábrica de Cajamar, em São Paulo;
  • Consultoras de Beleza Natura vendem produto com embalagem produzida a partir da resina reciclada, com menor impacto ambiental e gerando renda.

A parceria em números

  • Aproximadamente 2,5 milhões de copos serão reciclados
  • A parceria evitará a emissão de até 15 toneladas de CO2 na atmosfera, mesma quantidade que um carro produziria ao dar três voltas ao redor do planeta terra
  • A resina dará origem a cerca de 670 mil tampas de Deo Spray Corporal Natura Humor

Sobre Gestão de Resíduos no Rock in Rio

O Rock in Rio é um dos poucos eventos do mundo certificado pela ISO 20121 em gestão de eventos sustentáveis. O festival conta com um plano de gestão de resíduos que se baseia nos três pilares da sustentabilidade: Econômico, com reutilização de materiais; ambiental, com a valorização de 100% dos resíduos gerados no evento; e social, com a doação da sobra dos materiais para instituições sociais. Para atingir a meta de valorizar e reciclar os seus resíduos, o Rock in Rio implementará, em conjunto com seus parceiros, uma série de medidas que vão desde a formação de todos os envolvidos na produção e separação dos resíduos do evento à sensibilização do público, peça fundamental para o sucesso desta grande operação.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Universo Live

Publicidade nos muros das favelas gera cestas básicas ao G10

Publicado

em

Presente em comunidades de todo o país, o Outdoor Social® foi criado para conectar marcas com o público das favelas e aquecer a economia local. Na prática, como modelo de mídia OOH (Out Of Home), o morador recebe para tornar o muro de sua casa um outdoor para anúncios, fazendo com que a população local tenha contato com as marcas. “É uma forma de mostrar ao mundo o poder de consumo da região e possibilitar uma renda extra aos expositores, que são domiciliados locais”, explica Emilia Rabello, fundadora do Outdoor Social®, pioneiro no segmento OOH em favelas.

Nesse momento de agravamento da pandemia, além da renda extra, que auxilia os moradores, o Outdoor Social® destinará cestas básicas para o G10, bloco das 10 maiores favelas do Brasil. A cada painel instalado em abril, uma cesta básica é doada. A meta é alcançar o mínimo de 1.000 outdoors, de marcas como O Boticário e Tim, colocados nos muros dos moradores das principais favelas do país. O intuito é amenizar os impactos socioeconômicos deste momento de crise no país. “Estamos em uma situação crítica com o agravamento da pandemia e precisamos nos mobilizar. Só na primeira semana, conseguimos entregar 268 cestas e esperamos distribuir ainda mais rapidamente. Com essas doações, queremos atravessar juntos o momento de crise e inspirar outros líderes empresariais a destinarem parte do lucro à entrega social”, conta Emilia.

Segundo o Monitor das Doações Covid-19, organizado pela Associação Brasileira dos Captadores de Recursos (ABCR), a população brasileira fez muitas doações durante os 12 meses da pandemia no país. A cifra da solidariedade já totaliza R$ 6,5 bilhões, englobando doações de pessoas físicas e jurídicas. Desse valor, 84% são originários de companhias privadas.

 “Não podemos mais esperar por políticas públicas. Somos um povo forte, unido, trabalhador e juntos, sairemos dessa”, ressalta Gilson Rodrigues, presidente do G10. Acreditando na soma de esforços para atender as necessidades da sociedade, Emilia reforça o potencial que as comunidades têm. “As favelas brasileiras possuem um enorme potencial cultural, intelectual e econômico. Por isso, precisamos seguir somando esforços para garantir as ferramentas de pleno desenvolvimento dessas populações e alavancar a economia do país”, finaliza.

Continue lendo

Universo Live

Marketing de influência: como as comunidades potencializam as marcas

Publicado

em

A oportunidade de criar uma proximidade maior com os clientes é um dos pontos que mais chama atenção das marcas para as comunidades, que também são conhecidas como “Fórum 4.0”. O levantamento do Community Roundtable, que aponta as estratégias de comunidade com um ROI médio de 6.469% para as marcas, é a prova de que esse tipo de ação está em alta entre as empresas.
As comunidades propiciam a troca de conhecimento por meio da produção de artigos, interação rápida, cursos online e se tornou uma oportunidade para o público, influenciadores e marcas conviverem em um ambiente virtual seguro e garante até mesmo uma chance de obter renda e maior faturamento. De acordo com Luciano Kalil, CPO da Squid e especialista em comunidades, essa é uma forma assertiva de as marcas entenderem o que de fato os consumidores estão buscando.

“Para se aproximar dos seus clientes, empresas têm investido na construção de comunidades como um canal direto de relacionamento com influenciadores e, claro, com o consumidor. Esse canal se torna um ambiente de troca de informações e também para a construção de produtos e serviços que tenham a cara daquele público, pois quem consome tem esse canal direto com a marca”, analisa o executivo da empresa líder em marketing de influência e comunidades no Brasil.

Essas comunidades também são importantes para que as empresas compreendam quais as necessidades da sua marca e apliquem mudanças em seus serviços ou produtos. É como se fosse um novo FAQ, em que as principais dúvidas dos usuários são esclarecidas e a partir disso, é possível realizar mudanças que aproximem ainda mais aquela empresa ao público final.

No mundo, essa solução já é a realidade de muitas empresas. A Lego, por exemplo, criou uma comunidade para os amantes da marca. Lá, os consumidores conseguiram propor novas soluções, votar em seus favoritos e enviar feedbacks. As ideias mais populares se tornam produtos e o idealizador do projeto ganha um percentual das vendas. A plataforma agrega mais de 1 milhão de inscritos.

“Aqui no Brasil, a Squid lançou o #ClubeDaInfluência e já possui mais de 40 mil inscritos. Nesse espaço, os criadores de conteúdo ajudam os outros de forma colaborativa e encontram na plataforma cursos que proporcionam a profissionalização de influenciadores digitais. É uma oportunidade de gerar conhecimento, além de movimentar o mercado da influência”, explica Luciano Kalil.

Continue lendo