Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Adobe Digital Insights: publicidade digital em vídeos é oportunidade, mas anunciantes esbarram em custo

Publicado

em

Visualizações de anúncios via mobile cresceram 53%, enquanto o custo da publicidade em vídeo cresceu 13%; telas grandes concentram 32% da audiência, revelando-se grande oportunidade aos anunciantes

Em seu Relatório sobre Vídeos Digitais 2017, a Adobe observa um crescimento de 53% – entre outubro de 2015 e dezembro de 2016 – nas impressões de anúncios em vídeo em plataformas mobile, revelando uma grande oportunidade para os anunciantes com este tipo de publicidade. O estudo da Adobe, conduzido pela equipe da Adobe Digital Insights (ADI) na América do Norte, entretanto, aponta uma grande barreira para a adesão a essa estratégia: o custo.

De acordo com a ADI, de 2014 a 2016, os custos com anúncios em vídeo digitais cresceram 13% e o movimento de alta fica atrás apenas do observado para anunciar no Super Bowl (21%). Isso reflete na baixa atividade dos anunciantes no que diz respeito à utilização de vídeos digitais para publicidade: dentro de um período de 15 meses, a média de impressões observadas ocupa cerca de 3,7 meses, o que representa apenas cerca de 25% do tempo.

Quando analisado o custo por mil impressões (CPM) nas TVs com dispositivos conectados – as TVCDs, que incluem SmarTV, consoles gamers e set-top-boxes, como a Apple TV –, o valor é o dobro do que o CPM de anúncios em dispositivos móveis. Além disso, os custos de publicidade em vídeo são maiores do que os de mobile search CPC (custo por clique) e mobile display. Esse retrato, segundo o relatório da ADI, faz a publicidade digital em vídeos superar a inflação em 6,5 vezes na América do Norte.

“O estudo da Adobe mostra que os anunciantes têm enxergado a publicidade digital em vídeos como uma oportunidade, principalmente no mobile, com o crescimento de impressões nesta modalidade de anúncio. Porém, o custo se mostra um limitador e isso fica evidente na pouca utilização dos vídeos digitais num período de 15 meses. Em um cenário onde os anúncios digitais por vídeos ainda estão em maturação, se a taxa de visualização é alta, é natural a escalada de preços, mas conforme o mercado amadureça e a publicidade em vídeo se estabeleça, a tendência é de que os valores se estabilizem”, analisa Federico Grosso, vice-presidente da Adobe para América Latina.

Desktop vs. Mobile

No Relatório sobre Vídeos Digitais 2017, a ADI analisou também a experiência dos anúncios em vídeos em dispositivos desktops e móveis. As visualizações das publicidades em desktop caíram 27% na comparação de 2015 com 2016, enquanto as impressões no mobile aumentaram 53% durante o mesmo período. Ademais, 60% desses anúncios em dispositivos móveis são assistidos até o fim, número que cai para menos da metade (47%) nos desktops, mostrando um gap de 13% entre esses canais.

“A representatividade mobile aumenta sobre o desktop, assim como os usuários de dispositivos móveis também crescem. Como o público migrou de dispositivo, a tendência é que o canal de comunicação do marketing migre junto com a audiência”, destaca o VP da Adobe.

 

Tamanho realmente importa?

Enquanto se discute a o investimento de publicidade digital em vídeos em plataformas mobile e desktop, uma outra oportunidade se apresenta aos anunciantes: o consumo de vídeos em telas grandes. Dentro do fenômeno da TV Everywhere (TVE), a audiência está migrando dos dispositivos móveis para telas maiores, como as TVCDs, mostra o estudo da Adobe. Segundo os dados agregados e anônimos do Adobe Primetime, a audiência do TVE móvel diminuiu em share de 54% para 46% nos últimos dois anos. Enquanto isso, os dispositivo conectados em TV agora totalizam 32% da audiência, mais de 20% em comparação a dois anos atrás.

“Os profissionais de marketing precisam ficar de olho no espaço que se revela nas TVs conectadas. Ainda em crescimento, pode se apresentar dentro em breve como um importante mecanismo de publicidade para as marcas e este é o melhor momento para testá-lo”, opina Federico Grosso.

A análise da Adobe Digital Insights é baseada em mais de 4 bilhões de autenticações de TV Everywhere e a partir de mais de 300 websites e aplicativos que sirvam como ponto de acesso na América do Norte. Os dados – anônimos – foram compilados a partir de diferentes soluções da Adobe Experience Cloud entre janeiro de 2015 e janeiro de 2017. O Relatório sobre Vídeos Digitais 2017 completo da ADI pode ser acessado aqui.

Continue lendo

Universo Live

AMPRO Globes Awards abre inscrições e anuncia Adriana Cury na presidência do júri

Publicado

em

AMPRO Globes Awards abre inscrições e anuncia Adriana Cury na presidência do júri

O AMPRO Globes Awards, maior premiação do Live Marketing no Brasil, acaba abrir as inscrições para a edição de 2021 e anuncia a nova presidência do júri. Adriana Cury, VP de Criação da Nova/SB Brasil, vai liderar os trabalhos para a análise dos cases neste ano.

Adriana foi Presidente e Chairwoman da McCann Erickson Brasil e Vice-presidente da Ogilvy and Mather. Faz parte do Conselho da ESPM e do Conar, é também fundadora e líder do Círculo de Criativas Brasil, focado na valorização da mulher no mercado de comunicação. Por duas vezes foi indicada como “Most Influential Brazilian Women em Marketing e Comunicação by Forbes Magazine”, foi ganhadora do Caboré, duas vezes jurada no Cannes Lions Festival – Categorias Print e Titanium e tem 15 prêmios conquistados no Cannes Lions, One Show, AD&D, London, Clio etc.

“É um ano bastante desafiador, mas estamos confiantes na participação do mercado, mostrando que o Live Marketing tem soluções para todos os momentos. Quanto ao júri, estamos muito felizes em ter uma mulher na presidência e pela qualidade ímpar da Adriana Cury. Buscamos diversidade no júri:  Silver Age (profissionais com idade acima de 50 anos) junto com New Blood (jovens profissionais, com idade abaixo de 30); equilíbrio entre mulheres e homens; profissionais de diversos estados brasileiros e do exterior; presença significativa de [email protected] e representantes de minorias. Enfim, um júri que privilegia a presença de profissionais de Criação, mas busca diversidade ampla”, afirma o presidente executivo da AMPRO – Associação de Marketing Promocional / Live Marketing, Alexis Pagliarini.

Reinvenção e categorias

Nesta edição, a campanha do AMPRO Globes Awards, criada pela Tracylocke, vencedora do Título de Agência do Ano de 2020, destaca a reinvenção, simbolizada pelas figuras do escaravelho sagrado e do pilar djed, da cultura egípcia; a tríscele, da cultura celta; e a roda do dharma, da cultura hindu. Os símbolos escolhidos, acompanhados do mote ‘Re-Ampro Globes Awards. Um prêmio pra quem se reinventa’, representam a importância de ressignificar, de renascer, defendida pelo mercado depois de tempos difíceis.

As 19 categorias da premiação seguirão mais alinhadas com as categorias do The Globes – que reconhece anualmente as melhores campanhas em mais de 25 países. A relevância dos trabalhos se dará mais pelas experiências e resultados conquistados, reforçando a característica estratégica do Live Marketing. Os valores em 2021 também estarão mais acessíveis.

Fazem parte do grupo de trabalho para a organização da premiação este ano: Aline Lazar de Sá – Marcativa, Daniel Ottoni – Tracylocke Brasil, Debora Tenca – Fino Trato Eventos, Denise de Cassia – Casa 96, Dilma Souza Campos – Outra Praia, Izabel Barbosa – Bethe B, Gabriel Boaventura – akm, Tiago Fattori – Agência Diferencial, Denise Mussolin – Negócios.WIKI, Simone Mussolin – Negócios.WIKI, Alexis Pagliarini – AMPRO, Luciana Monte – AMPRO, Mirian Cristie – AMPRO e Natalia Lanni – AMPRO.

As inscrições do AMPRO Globes Awards 2021 já podem ser feitas pelo site: www.amproglobesawards.com.br

Realizado há 21 anos pela AMPRO, o AMPRO Globes Awards é a versão nacional do The Globes Awards, a maior premiação mundial do Live Marketing criado pela MAA Worldwide. Por aqui, os cases inscritos são avaliados nacionalmente e podem ser aprovados também para concorrerem internacionalmente.

A Associação de Marketing Promocional é a única que desenvolve nacionalmente a teoria e a prática do setor de Live Marketing de forma ampla. Com sede em São Paulo, completa 28 anos em 2021, com representação abrangente em todo o território nacional. www.ampro.com.br

Continue lendo

Universo Live

Jogos Olímpicos 2021: O que esperar do desempenho digital do esportivo mundial mais aguardado do ano?

Publicado

em

Jogos Olímpicos 2021: O que esperar do desempenho digital do esportivo mundial mais aguardado do ano?
Mesmo antes da chegada da pandemia, o setor de entretenimento já dava fortes indícios de grandes mudanças para se conectar e melhorar ainda mais a experiência do usuário durante experiências presenciais. O digital precisou assumir o lugar do presencial, marcando o surgimento do Phygital. Após mais de um ano de reclusão social, o termo passou a ser um forte aliado do setor de eventos, que passou, e ainda passará por transformações e realizações no formato híbrido. Com a chegada dos Jogos Olímpicos de Tóquio – esportivo mais aguardado do ano -, os sócios da MField, agência especialista em estratégias de influenciadores e conteúdo para ativações digitais, projetam suas expectativas no desempenho e estratégias de marketing do evento, que será responsável por apresentar as principais tendências e formatos que funcionarão de forma assertiva dentro do cenário esportivo.

Registrando um prejuízo de R$ 270 bilhões no último ano, o mercado de eventos foi um dos mais afetados com o agravamento da pandemia, segundo pesquisa realizada pela CNN. Sendo assim, o uso da tecnologia como solução criativa foi essencial para seguir movimentando o setor. A exemplo dos últimos eventos esportivos como o Super Bowl, e a final da NBA, as Olimpíadas de 2021, anteriormente previstas para acontecerem entre julho e agosto de 2020, promete ser o evento com um dos maiores investimentos em tecnologia, uma vez que, o momento atual ainda necessitar de distanciamento social para evitar o contato e aglomeração entre pessoas de diferentes países. A transmissão dos jogos em novos formatos e plataformas se tornou essencial para suprir as expectativas de desempenho diante do atual cenário, impulsionadas também pela cidade sede, conhecida mundialmente por ser uma das maiores potências em tecnologia, e desenvolvimento de recursos e planejamento.

Para Flávio Santos, CEO da MField, e empresário com mais de 15 anos no gerenciamento de contas digitais, o investimento em novos formatos é importante para acompanhar as novas tendências do mercado, principalmente diante de um nicho que está cada vez mais conectado com o marketing digital e de influência. “Percebemos hoje que o universo do esporte abrange os mais diferentes públicos, principalmente com o crescimento do número de influenciadores que falam do assunto, em sua maioria os próprios atletas. Com isso, proporcionar essa nova experiência traz além da audiência esperada, uma nova conexão entre o evento e o público, além de maior atenção de marcas”, destaca o empresário.

Para as marcas, a aposta no ambiente digital tem se mostrado uma prática eficaz e assertiva para amplificação das estratégias de marketing. Cada vez mais premiações, campeonatos, festivais e programas com cunho esportivo têm tido maior repercussão nas redes sociais, com transmissões e interações ao vivo, e réplica de conteúdos personalizados criados especificamente para os eventos, junto aos conteúdos de influenciadores do nicho que comentam os mesmos em tempo real. “Vivemos em um mundo que está constantemente conectado, as pessoas estão a todo tempo se atualizando de tudo que acontece ao redor do mundo em tempo real, e vemos isso com aumento da audiência em eventos, e principalmente no lançamento de conteúdos exclusivos do gênero em serviços de streaming”, pontua Gustavo Almeida, diretor de produtos da MField.
 
No entanto, o investimento por parte das marcas ainda passa por grandes adaptações, uma vez que o esporte tem como principal característica a presença de torcedores de diversos países, além da venda de itens exclusivos durante o período em que o evento esteja acontecendo. “O período de transição entre os formatos é crucial para adaptar o público que é habituado com o presencial, com os jovens, que seguem antenados virtualmente. O adiamento de um ano foi importante para que a organização tivesse uma clara percepção do que melhorar no desempenho dos Jogos, com base na realização de outros esportivos”, analisa Flávio. “O momento, irá apresentar grandes mudanças para o entretenimento, que serão responsáveis por seguir conquistando, cada vez mais, novos espaços entre diferentes classes, idades e nacionalidades”, conclui o empresário.
Continue lendo