Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Museu do Futebol e Lew’Lara/TBWA levam Copa ao metrô de São Paulo

Publicado

em

Campanha criada pela agência tem 56 pôsteres sobre jogadores históricos do futebol brasileiro e conecta os usuários do transporte público à memória do esporte mais popular do país

Os usuários do metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) têm mais uma razão para entrar no clima da Copa de 2018. A agência Lew’Lara/TBWA criou para o Museu do Futebol, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, uma campanha que leva ao transporte público a memória do futebol brasileiro. Trata-se de uma coleção de 56 pôsteres exclusivos, alusivos aos maiores nomes do país em Mundiais, colocados nas linhas de 1 a 11 para criar uma conexão entre passado e presente do esporte mais popular do país.

O material faz um paralelo entre o número da linha do metrô e as camisas usadas por grandes jogadores brasileiros em Copas. Nesse contexto, por exemplo, a linha 1 terá pôsteres sobre os grandes goleiros; a linha 9, imagens de grandes centroavantes. Cada peça tem texto explicativo sobre o que o público vai encontrar naquele percurso: “aproveite que você está na linha 10 e conheça todos os craques que já vestiram a camisa 10 da seleção”, por exemplo.

“O amor pelo futebol se manifesta nos espaços públicos: nas avenidas fechadas para as comemorações e nas calçadas tomadas de gente em frente aos bares com televisão nos dias de jogos. Usar o metrô para homenagear os grandes jogadores que foram da seleção é transformar esse comportamento em campanha e em design. Quem passar pelo metrô passará também pela história do nosso futebol e será convidado a ir ao Museu, que é a maior manifestação de amor ao futebol.”, comenta Felipe Luchi, CCO e sócio da Lew’Lara\TBWA.

Os pôsteres foram criados por 19 diretores de arte e retratam nomes como Leônidas da Silva, Nilton Santos, Garrincha, Zico e Taffarel. As peças serão expostas nas plataformas, dentro dos vagões e em filmetes animados de mídia interna. A campanha será veiculada até 18 de julho, e as artes também serão expostas no Museu do Futebol.

Com esse apelo histórico, a campanha conecta os usuários do transporte público ao sentido de memória do Museu do Futebol, que tem uma exposição temporária em cartaz sobre a Copa de 1958, ano em que o Brasil conquistou o primeiro título mundial de sua história.

Aberta ao público até 09 de setembro, a mostra “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958” é uma exposição audiovisual com conteúdo inédito sobre o Mundial que revelou ao mundo elementos como a dupla Pelé e Garrincha, o uniforme azul da seleção e a própria imagem de um país vencedor no futebol.

O clima de Copa no Museu do Futebol ainda conta com um espaço para transmissão dos jogos de 2018. A sala Jogo de Corpo, que conta com atrações como o Futebol Virtual e o Chute a Gol, recebeu novos aparatos interativos, que oferecem ao visitante a chance de criar sua própria figurinha ou tirar uma foto em que segura uma versão virtual da taça. No centro, uma arquibancada acomoda o público para ver as partidas em um telão.

A exposição “A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958” tem patrocínio do Banco Itaú, por meio da Lei Rouanet, e apoio da Epson. O Museu do Futebol é uma iniciativa do Governo e da Prefeitura de São Paulo, com concepção e realização da Fundação Roberto Marinho. Pertence à rede de museus da

Secretaria de Estado da Cultura e é gerido pelo IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, Organização Social de Cultura. O museu conta com patrocínio máster da Motorola e patrocínio do Grupo Globo, e seu Programa Educativo conta com o patrocínio do Pontofrio/Fundação Via Varejo, todos por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

SERVIÇO

Exposição Temporária – A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958

Visitação: até 09 de setembro de 2018

Museu do Futebol: Praça Charles Miller, S/N São Paulo, SP

Funcionamento: Terça a domingo, 9h00 às 18h00 (bilheteria até as 17h00)

Ingressos: R$ 12 | Meia-entrada: R$ 6 | Entrada gratuita às terças-feiras.

* O Museu não abre às segundas-feiras.

* Horários diferenciados de funcionamento em dias de jogos no Estádio do Pacaembu. Consulte o site museudofutebol.org.br.

* Estacionamento na Praça Charles Miller, sendo necessário uso de Zona Azul Digital, que pode ser adquirido por meio de aplicativos para celulares ou em postos oficiais. Mais informações no site da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET cetsp.com.br.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Universo Live

NovaDAX distribui criptomoedas na Stock Car

Publicado

em

A sétima etapa da temporada de 2022 da Stock Car aconteceu no Autódromo de Interlagos, em São Paulo e agitou o mundo dos criptoativos. A NovaDAX – exchange global de negociação de criptomoedas e patrocinadora oficial da Stock Car, marcou presença com uma ação de live marketing, seguindo tendências de players internacionais ao apostar no automobilismo de maneira inovadora e imersiva.

“As ações de live marketing são importantes para criar awareness da marca e produtos, ao mesmo tempo em que aproximam o público e desenvolvem uma conexão mais próxima com os clientes”, diz Aloizio Manoel, trainee marketing da NovaDAX.

Os convidados tiveram a oportunidade de interagir com uma máquina de vento com distribuição gratuita de papéis que presentam valores reais em criptomoedas, ao mesmo tempo em que recebiam informações valiosas sobre as soluções da corretora de criptoativos, que tem se destacado no mercado brasileiro.

A ação foi idealizada e produzida pela Agência Folzke, que aposta na nova economia da geração Z.

“A NovaDAX é um retrato da nova economia, da era tech em que estamos vivendo e irá se intensificar ainda mais com a geração Z. Tudo isso está em total sintonia com a missão da Folzke e nos inspira a criar soluções cada vez mais criativas e imersivas”, conclui Gabriel Folzke, diretor da agência Folzke.

Continue lendo

Universo Live

Budweiser apresenta projeto artístico que impede a demolição de quadras de basquete de rua pelo Brasil

Publicado

em

As quadras de basquete de rua fazem parte da vida das pessoas. Elas estão nos bairros, nos centros, na infância e na juventude e, por isso, acabam se tornando mais do que um lugar para se jogar basquete. Mas se por um lado a quadra é sinônimo de lazer, cultura, música e senso de comunidade, ela também é um espaço altamente visado pelo mercado imobiliário. Afinal, são 420m2 de um terreno plano que poderia dar lugar para novos estacionamentos e prédios.

Infelizmente, quando uma quadra é destruída, não se perdem apenas 420 m2, mas toda a cultura que está a sua volta e, por isso, a Budweiser, parceira da NBA e uma das porta-vozes do basquete no Brasil, decidiu agir. A marca encontrou uma brecha na Lei de Tombamento Brasileira nº 25/1937, que diz: “um lugar de interesse público com valor artístico é considerado patrimônio público e não pode ser demolido”.

Intitulada “Quadras Indestrutíveis”, a iniciativa criada pela agência Africa contempla a realização de um projeto artístico, com relevância cultural ao local, em uma quadra de rua. Com o projeto realizado, é possível entrar com um pedido de tombamento*. Para isso, a Budweiser resumiu o processo em cinco passos, descritos no site Quadras Indestrutíveis : 1) Escolha uma quadra pública de basquete; 2) Encontre um tópico relevante para a cultura local; 3) Selecione um artista; 4) Budweiser conecta o artista, a quadra e você; 5) Entre com o pedido de tombamento.

“Esse é um projeto extremamente relevante, que dá poder para as pessoas exigirem o que é delas por lei. Cada dia que passa é mais comum vermos quadras abandonadas, sem cuidado ou iluminação. As pessoas não merecem esse descaso, elas merecem cultura e lazer,” comenta André Mota, gerente de estratégia da marca Budweiser na Ambev.

O projeto piloto, realizado com sucesso em uma quadra em Natal, RN, mostrou o potencial de transformação da iniciativa. A Budweiser convidou um artista local, que criou uma arte homenageando um dos principais jogadores brasileiros de basquete, também nascido na cidade, Oscar Schmidt. Após a realização da obra, o pedido de tombamento foi feito e levado para o secretário de cultura junto ao prefeito. Hoje, a quadra já é considerada um patrimônio cultural e não pode ser demolida. Daqui em diante, ela servirá apenas para lazer, entretenimento, cultura e até como ponto turístico na cidade.

Pelo site, já foram registradas cerca de 16 quadras, que agora estão no processo para receberem um artista e serem transformadas. Na Mooca, tradicional bairro da cidade de São Paulo, SP, uma quadra acaba de ser finalizada.

Continue lendo