Conecte-se com a LIVE MARKETING

Digital

Viver a Vida divulga filme que enfatiza “o novo bom”

Publicado

em

Viver a Vida, a primeira plataforma digital multissetorial para o público maduro ativo, acaba de divulgar sua mensagem de final de ano. Em tom otimista, o filme, assinado pela Grotolli Produções, enfatiza o legado positivo de 2020 com o “novo diferente” no modo de viver e de se relacionar das pessoas.

“Todo ano é um ano novo. (…) Mas este, de 2020, parece que nos trouxe um novo diferente, terminando com muitos medos e incertezas. Sabe aqueles roteiros de filme de ficção? Não parece? (…) Esse novo, que tanto a gente tem falado, talvez já tivesse que estar acontecendo em nossas vidas, estamos falando do novo bom, que esse medo todo, essa dor mundial, nos trouxe de positivo e é isso que vamos falar, o novo bom”, diz um trecho do vídeo.

“Essa é uma peça muito feliz no seu conceito e mensagem, porque representa o tom da nossa plataforma, Viver a Vida é uma curadoria de temas muito próximos dessa geração fantástica, que não é datada, que não se preocupa com a idade e sim em conviver com todas as gerações, sem rótulos, ainda tão pouco conhecida nas pesquisas e no Marketing”, afirma Gui Bamberg, idealizador da plataforma.

“Escrever um texto de final de ano, embora as aspirações sejam óbvias, é sempre desafiador. Em um ano tão atípico, sentimos que o desafio pareceu ainda maior. O desejo foi trazer uma mensagem de esperança extraindo o que estamos colhendo de bom. O resultado pode ter sido óbvio, porém viável. Assim como queremos nos relacionar com o nosso público, de forma positiva, transparente e real”, enfatiza a fundadora da Grotolli Produções, Camila Grotolli.

O filme, que já pode ser conferido no canal do Insta @venhaviveravida ou pelo link https://bit.ly/37IlQC5 , faz parte do tom, sempre positivo, dos conteúdos disponibilizados pela plataforma, que traz informações sobre educação, saúde, entretenimento, curiosidades, notícias e benefícios para pessoas que desejam “viver intensamente a maturidade”.

O público 50+ é um dos que mais cresce na economia mundial. No Brasil, foi responsável pela movimentação de quase R$ 2 trilhões em 2019. Estima-se que existam 54 milhões de pessoas com mais de 50 anos no país, de acordo com projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Até 2030, o Brasil terá a quinta maior população idosa do mundo. A população de brasileiros com mais de 60 anos cresce 3% ao ano, mais que qualquer outro grupo, em especial, o de jovens. Já há mais avós no Brasil do que crianças com até 5 anos. A chamada “silver economy” ou economia da longevidade é potente e representou, no ano passado, US$ 15 trilhões de consumo no mercado mundial.

“Apesar de tão expressivo em número e volume, o público maduro tem poucos ou quase nenhum espaço dedicado a ele. Ainda é esquecido das marcas ou, com raras exceções, estereotipado em campanhas como ‘velhinhos’ ou o ‘jovem de qualquer idade’. É um grande erro achar que essa geração quer parecer jovem. Ela quer ser ela mesma e está cada vez mais ativa, dinâmica, eles trabalham, empreendem, constroem, namoram, praticam atividades diversas. Então sentíamos que faltava um espaço que falasse mais a sua língua e que reunisse conteúdo diversificado, além de ser um canal desse público com marcas que reconhecem seu verdadeiro valor”, explica Bamberg.

A Viver a Vida surgiu da iniciativa de um grupo de profissionais multidisciplinar e intergeracional, com base em experiências pessoais dos seus idealizadores, e confirma tendências informadas pela pesquisa Wellness & Beleza Prateada, conduzida pela Dezon, Hype60+ e Tsunami60+, lançada no início deste ano. Entre os Territórios de Inovação, o levantamento aponta para o Wellness Educativo – plataformas de comunicação que tragam conteúdos para além das marcas e produtos; que abordem, por exemplo, bem-estar e estilo de vida.

Além dos temas, a plataforma vem ampliando sua base de colaboradores e criadores de conteúdo, como é o caso do cantor e humorista Falcão, que acaba de inaugurar no portal uma vídeo-coluna semanal que une informação e humor, a Viver a Vida by Falcão. O espaço vai trazer um apanhado de notícias do Brasil e do mundo comentados com a irreverência típica do cantor.

Entre outros projetos, para os próximos meses a plataforma ainda programa o lançamento de um Clube de Benefícios com mais de 9.000 marcas atuantes e um e-commerce totalmente voltado aos interesses da maturidade, “formando uma potente community commerce focada nessa imensa geração”, esclarece Gui Bamberg.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Digital

Estudo aponta que a presença de negros na publicidade digital não aumenta no Dia da Consciência Negra

Publicado

em

A mais recente pesquisa do Elifegroup e da agência SA365 indica que o Dia da Consciência Negra não tem impacto significativo na presença de negros e pardos na publicidade digital. A análise é um recorte do estudo anual sobre “Diversidade na Comunicação de Marcas em Redes Sociais”, em que foi identificado que a presença de pessoas negras e pardas aumentou apenas 4% em 2020 quando comparado ao ano anterior.

Mesmo durante o mês de novembro, marcado pelo dia da consciência negra, a participação de pessoas pretas e pardas nas publicações de marcas não aumenta e é inferior a meses anteriores, como em abril – com 95 publicações – e maio – com 98 de posts registrados -. Estes números, associado à análise de conteúdo das publicações no período, indicam que não há impacto significativo ou publicações específicas para marcar a data na publicidade digital.

Continue lendo

Digital

Dicas de marketing digital para você aplicar na Black Friday

Publicado

em

Falta pouco para a Black Friday 2021, após a longa crise causada pela pandemia do novo coronavírus. O evento, que acontece no próximo dia 26, deve ser um pouco diferente este ano, por conta das mudanças no padrão de consumo das pessoas, que foi bastante alterado durante a pandemia. Sobretudo por conta do isolamento social, as compras online ganharam ainda mais força no último ano e fortaleceram os canais de compras digitais, como os e-commerces.

Pensando nisso, o Rafael Guandalini, CMO da Hardcore Digital, listou seis dicas de marketing digital para aplicar na Black Friday.

Confira abaixo:

1) Faça Bem As Contas Antes De Dar  Descontos

Não entre na “pilha” do momento e saia oferecendo descontos aleatórios que no fim te tragam prejuízos na operação. Mais importante do que vender muito, é sair com saldo positivo.

2) Ofereça algo para quem já é seu cliente e já te conhece

Este é um ótimo público para a Black Friday, porque eles já conhecem, você consegue impacta-los sem precisar investir, e eles só precisam de uma boa oferta para comprar seu produto ou contratar seu serviço.

3) não pense apenas em baixar o preço

Ao invés de pensar no caminho mais fácil, que é baixar o preço, seja criativo. Pense em oferecer kits de soluções ou dê como brinde para seus clientes um produto ou serviço que eles possam conhecer, por exemplo. Assim você faz uma ação especial na Black Friday que vai te render frutos no médio e longo prazo.

4) Utilize as redes sociais para divulgar bem suas ações

Aqueça sua audiência, crie uma antecipação do que vai rolar de especial utilizando suas redes sociais, em especial o Instagram. Isso vai gerar desejo nas pessoas desde cedo e fazer com que elas reservem uma verba do que elas vão gastar na data.

5) Crie uma lista de pessoas interessadas em participar da sua Black Friday

Divulgue as suas ações especiais de Black Friday e peça que as pessoas se cadastrem na sua lista de e-mails para serem avisadas de quando as vendas vão ser iniciadas. Isso fará com que você fique com estes contatos das pessoas para outras ações no futuro, além de evitar que sua campanha caia no esquecimento dos clientes.

6) Utilize o gatilho mental da escassez na hora de divulgar suas ofertas

Além de oferecer uma condição especial, pense também em limitar o número de produtos ou serviços que você irá oferecer na data. Ao comunicar um número limitado, e avisar as pessoas de que as coisas estão se esgotando, a tendência é que o público fique mais propenso a agir mais rapidamente.

Continue lendo