Conecte-se com a LIVE MARKETING

Digital

Estudo inédito da Outbrain mapeia a percepção das diferentes gerações em relação às plataformas digitais e aos formatos publicitários

Publicado

em

A Outbrain, que atua na descoberta e publicidade nativa na open web, desenvolveu uma pesquisa junto com a Sapio Research com mais de 1.000 consumidores brasileiros para entender como eles percebem e interagem com formatos de anúncios em ambientes digitais, com ênfase particular em como as diferentes gerações se comportam. Dividido em quatro capítulos, o estudo traz insights sobre as percepções sobre a publicidade digital, as atitudes em relação às plataformas de publicidade, as atitudes em relação aos formatos de publicidade digital e onde a publicidade nativa se encaixa no ecossistema de publicidade digital.

“O objetivo do estudo é mostrar que as diferenças comportamentais entre as gerações impactam sua percepção e a forma como elas interagem com plataformas e anúncios digitais. É mais importante do que nunca que os anunciantes saibam quais formatos de anúncio são mais eficazes em diferentes segmentos da população e a função que cada um desempenha na jornada de compra, para que suas interações com os clientes sejam de fato efetivas”, comenta Fernanda Negrini, gerente de marketing da Outbrain. “Os insights são importantes para ajudar o planejamento de 2021 que deve estar massivamente voltado ao digital”.

 

Para este projeto as diferentes gerações foram definidas da seguinte forma: Geração Z – pessoas com idade de 18-22 anos; Millennials, de 23-38; Geração X, de 39-54; Baby Boomers, de 55-73 e Geração silenciosa, de 74-91 anos.

 

 

O que um anúncio precisa ter

No geral, os anúncios que se alinham intimamente com os interesses gerais (61%) estão no topo do gráfico como fator que torna os anúncios mais relevantes e interessantes. Isso é seguido de perto (55%) por anúncios que fornecem informações úteis sobre uma marca ou serviço. No recorte da pesquisa por gerações, alguns fatores pesam para tornar o anúncio interessante. 36% da Geração Z selecionou que quando o anúncio se relaciona ao “Histórico de navegação da internet” o torna mais significativo para eles do que qualquer outra geração. Um terço dos Millenials também pensa o mesmo, em comparação com 27% da Geração X e apenas 22% dos Baby Boomers.

 

A pesquisa também explorou como os anunciantes devem apresentar esse conteúdo para impulsionar vendas. Os três principais elementos nos anúncios que têm mais impacto em fazer os entrevistados comprarem produtos são: 29% múltiplas imagens e informações sobre a marca ou produto; 25% de relevância e 22% de ofertas personalizadas. “É importante ressaltar com esses dados que o consumidor se interessa por anúncios ligados aos seus reais interesses e não são todas as plataformas digitais que conseguem mapear esses interesses. Na open web, o usuário não precisa de uma persona, ele consome conteúdos que realmente estão ligados aos seus interesses mais genuínos e por isso o conteúdo publicitário que utiliza essa inteligência na entrega é tão certeiro”, afirma Lucas Santos, Head de Vendas da operação no Brasil da Outbrain.

 

 

O que um anúncio não pode ter

O consumidor tem muito mais clareza no que diz respeito ao que ele não gosta nos anúncios. Peças que atrapalham suas experiências on-line têm muito mais probabilidade de fazer com que eles “pulem fora” da página e, por isso, anúncios integrados ao conteúdo que os deem autonomia na interação se destacam positivamente. “Esta é uma das principais características dos anúncios nativos, que estão em conformidade com o estilo e experiência de navegação da página em que aparecem, e oferecem experiências não intrusivas”, adiciona Lucas Santos. Os três principais elementos que todas as gerações consideram mais irritantes nos anúncios são: 46% não estar relacionado à atividade atual; 44% não estar relacionado ao histórico de navegação; 42% não estar relacionado aos interesses gerais. Para 45% dos entrevistados, o canal que apresenta os anúncios mais irritantes aos consumidores são as redes sociais.

 

 

Publishers premium bem vistos pelos consumidores

No geral, os anúncios em publishers premium são mais interessantes, confiáveis, genuínos e personalizados. Quase um terço dos entrevistados declararam que publishers premium exibem os anúncios mais interessantes (29%) e os anúncios mais confiáveis ou genuínos (31%).

 

Mas, as percepções diferem entre as gerações. Os mais jovens acreditam que a mídia social apresenta o que há de mais interessante em anúncios (56% da Geração Z, 54% dos Millenials e 30% dos Baby Boomers), enquanto as gerações mais velhas vão em outra direção: estão mais inclinadas a acreditar que os publishers premium tem os anúncios mais interessantes.

 

“Este dado vai de encontro com o estudo The News Trust Halo elaborado pelo IAB em outubro de 2020, que confirma os efeitos positivos para as marcas que anunciam em portais de notícias já que a confiança dos consumidores nas marcas ali dispostas é maior quando comparada a outras plataformas digitais” acrescenta Fernanda Negrini.

 

 

Onde a publicidade nativa se encaixa no ecossistema

Mais da metade dos entrevistados (53%) declarou ter clicado em um anúncio nativo dentro de um publisher premium na última semana. Por serem mais ativos digitalmente de uma maneira geral, os Millennials são os mais propensos (27%) a se envolverem com o formato e a geração com maior probabilidade de comprar a partir dele.

 

“Mais uma vez ressaltamos com esse estudo que anunciar em portais de notícias não é apenas seguro para as marcas, é também bom para as marcas, especialmente quando feito por meio de formatos nativos, que se apoiam nos reais interesses do consumidor para entregar as campanhas publicitárias. Para incrementar o sucesso da estratégia de marketing, é preciso levar em consideração as características das gerações na definição das plataformas, tipos de anúncios, tom da comunicação que serão utilizados. Ainda mais agora em 2021, onde vemos uma convergência massiva para o digital, é preciso ampliar os pontos de contato com o consumidor, entendendo o momento de consumo dentro de cada plataforma, e diminuindo a dependência de alguns canais”, finaliza Fernanda.

Continue lendo

Digital

Erick Jacquin estreia direção conceitual de nova série da Melitta

Publicado

em

O renomado chef de cozinha e apreciador de cafés brasileiros Erick Jacquin assina a direção conceitual da quarta temporada da “Hora do Café Fresquinho” da Melitta. Em seu perfil no Instagram @MelittaBrasil a marca trará para o público uma série de vídeos com diversas receitas práticas e descomplicadas, de até 15 minutos, onde os cafés e outros produtos Melitta® serão os protagonistas.

O público poderá aprender receitas exclusivas utilizando a bebida, preparadas por um time de experts: Renata Vanzetto, Carole Crema, Dalton Rangel, Estefano Zaquini, Lucas Corazza e Fabiana Karla, sob a direção conceitual de Erick Jacquin.

Criado e executado pela Ampfy, agência à frente das ações on e off-line da marca, o projeto teve início no último dia 19 de novembro e seguirá até janeiro de 2022. Toda semana, Erick Jacquin desafiará os experts a criarem receitas deliciosas, usando os produtos do portfólio da marca em seu preparo. O público poderá acompanhar preparos com cafés torrados e moídos das linhas tradicional e especial, café solúvel, cappuccinos e cápsulas. Cada participante fará duas receitas, uma salgada e outra doce. Além disso, o próprio Erick Jacquin apresentará o passo a passo de uma receita.

Os pratos vão desde uma mousse de chocolate com cappuccino, opções de entradas, risotos, carnes, até opções inusitadas, como penne ao molho béchamel de café com espinafre e mortadela gratinada, para agradar a todos os gostos e paladares.

“Iniciamos a série ‘Hora do Café Fresquinho’ no ano passado, para levar entretenimento, opções de pratos diferenciados e estimular as atividades em família. Acreditamos que o café fresquinho desperta os sentidos e permite prestar mais atenção a cada detalhe, valorizando desde os momentos mais simples da vida até uma aventura na cozinha. Evoluímos para essa quarta temporada e trouxemos nomes relevantes e consagrados da cozinha para completar nosso time e oferecer, junto com a gente, diversão e aprendizado para todos sentirem mais a vida”, diz Jonatas Rocha, diretor de marketing da Melitta®.

Ficha técnica:
Agência: Ampfy
CEO: André Chueri
CCO: Fred Siqueira
CSO: Gabriel Borges
COO: Douglas Bocalão
ECD: Dogura Kozonoe
Diretor de Criação: Maicon Pinheiro
Criação: Juliana Coelho, Matheus Rocha, Renato Picolo, Giuseppe Roman e Bárbara Santos.
Diretora de Atendimento: Barbara Gava Rodrigues
Atendimento: Mariana Andrade Menezes, Isabella Asbeck e Lucca Cattani
Head de Planejamento: Luciana Padovani
Diretor de Planejamento: Augusto Leme
Planejamento: Isabella Duarte e Juliana Padula
Head de Mídia: Sergio Brotto

Diretora de mídia: Renata Piovesan
Mídia: Douglas Martinelli, Patricia Costa, Mayara Garcia e Sther Bernardo
Conteúdo: Vanessa Brito e Jacqueline Martins
Operações: Gabriel Kuhlmann
Continue lendo

Digital

Adtech Meediaonne quer democratizar publicidade de performance e acelerar negócios de PMEs e agências

Publicado

em

Criada por um time de especialistas em publicidade digital, a adtech de inteligência de performance Meediaonne acredita no poder dos dados e da tecnologia da sua plataforma para desenvolver os negócios de pequenas e médias empresas e agências de marketing. “Cremos que a tecnologia dará mais autonomia para a criação e gestão de campanhas de performance, com custos mais baixos e maior alcance”, explica Luiz Fernando Morais, um dos fundadores e CEO da Meediaonne.

A plataforma da Meediaonne foi desenvolvida em parceria com empresas de tecnologia da Seastorm Ventures e apresenta grande capacidade de simplificação de campanhas em meios digitais, em um único lugar, com distribuição automatizada para as principais redes disponíveis. Com isso, a adtech tem como objetivo aumentar em média 50% da taxa de retorno sobre o investimento.

“A publicidade digital de alto impacto não precisa ser cara e nem exclusiva das grandes marcas. O mercado está em transição e temos evoluído para um modelo mais acessível, que beneficia, sobretudo, pequenos e médios empreendedores”, diz Morais.

De olho no mercado de publicidade e marketing de conteúdo online, o executivo explica que sua plataforma é relevante e estratégica para as agências, que desejam reduzir custos e aumentar competitividade e para as PMEs que precisam aportar inteligência em performance ao seu negócio.

A ideia do negócio é desmistificar e democratizar o processo de publicação e personalização de campanhas, oferecendo serviço simplificado com uma ferramenta potente e um serviço de atendimento personalizado. “Somos capazes de atender muitos clientes por meio da nossa metodologia inovadora, equipe de especialistas e desenvolvimento contínuo da plataforma. Queremos ajudar as pequenas e médias empresas a investirem com qualidade, escalarem o negócio de forma saudável e reduzirem os custos”, explica o executivo.

A Meediaonne iniciou as operações no começo deste ano com seis funcionários, e a meta é triplicar de tamanho até o fim de 2021. A empresa, alavancada pela Seastorm Ventures, embarca em um mercado que movimenta cerca de R$ 16 bilhões por ano. Os planos da adtech é proporcionar cada vez mais visibilidade, fluxo e autonomia aos clientes, com base em tecnologia e dados, tornando-se agente de transformação no ecossistema. “Entendemos que não há mais separação entre tecnologia e negócios e nesse sentido, queremos ajudar a alavancar novos negócios oferecendo inteligência de performance a PMEs e agências de maneira automatizada, simples, ágil e acessível”, completa.

Continue lendo