Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Caixa responde à nota de repúdio da AMPRO sobre condições de licitação

Publicado

em

A Caixa, por intermédio da Comissão de Licitação de Serviços de Marketing Promocional, respondeu à nota de repúdio que a AMPRO – Associação de Marketing Promocional emitiu, no último dia 9 de outubro, a respeito das condições de licitação aberta para a prestação de serviços. Perante os questionamentos da AMPRO – que repudiou a limitação em, no máximo, 5% para taxa de remuneração das agências, além da exigência de 15 pessoas dedicadas em Brasília – a Caixa respondeu alegando que os 5% de teto refletem uma prática de mercado, citando licitações de outras empresas estatais.

“Se uma licitação, sem limitações pré-estabelecidas, chega a 5% de taxa de remuneração, é compreensível. A agência vencedora tem o direito de estabelecer uma remuneração competitiva que a faça vencer uma concorrência. Mas ao estabelecer tal remuneração como teto, já se define uma condição em desacordo com as melhores práticas, forçando os concorrentes a propostas em condições desfavoráveis, que só acontecem em função da fragilidade do mercado, assolado por meses sem trabalho”, afirma o presidente executivo da AMPRO, Alexis Pagliarini.

“É isso que a Caixa quer? Aproveitar-se do momento de fragilidade para impor condições leoninas? Essa prática está compliance com as relações sustentáveis preconizadas nos princípios do capitalismo consciente? De fato, não é ilegal o estabelecimento de remuneração bem abaixo do usual. Mas é leonina e insensível ao atual momento das agências. A AMPRO reitera seu repúdio a tal atitude e ainda espera uma reversão de tais práticas”, complementa.

Em sua primeira nota de repúdio, a AMPRO reivindicou à Caixa maior abrangência à faixa de remuneração e maior observância aos Princípios de Valor apregoados pela Entidade. Acompanhe a resposta recebida, na íntegra, em e-mail classificado como público:

À

AMPRO

Senhor Alexis Pagliarini

Ref.: LC 1699/7066-2020: Contratação de 03 (três)empresas especializadas em marketing promocional

  1. Segue abaixo transcrição da resposta fornecida pela equipe técnica da CAIXA envolvida no processo licitatório acima referenciado, sobre a manifestação da AMPRO, em 09/10/2020:

Em relação à manifestação recebida, informamos que o percentual limite indicado para a Taxa de Administração estabelecida no certame LC 1699/7066-2020 decorre da análise do mercado e cenário.

Apenas para nos apoiarmos nos exemplos citados, para o Edital do Banco do Brasil (nº2018/02740 (8558)), a contratação do serviço se deu mediante taxa de 5% (cinco por cento) – (Contrato do BB nº 2019/8558-0026) e, para o Edital da Petrobras, o certame ainda está em andamento.

Nesse sentido, o posicionamento da CAIXA está alinhado ao artigo 31 da Lei 13.303 que preconiza que “as licitações realizadas e os contratos celebrados por empresas públicas e sociedades de economia mista destinam-se a assegurar a seleção da proposta mais vantajosa (…).”

Assim, entendemos que o percentual proposto está adequado ao praticado no mercado.

A estrutura mínima requerida, 15 (quinze) funcionários com base em Brasília, é a que a CAIXA compreende como mínimo necessário para garantir a satisfatória prestação dos serviços, sendo compatível com o volume e característica dos serviços a serem prestados. Registre-se que é usual que a CAIXA promova mais de uma ação promocional simultaneamente, devendo as empresas contratadas terem equipe técnica suficiente para boa execução dos serviços.

Continuamos à disposição.

  1. Sem mais para o momento, colocamo-nos à disposição, por este canal, para esclarecimentos.

Atenciosamente,

Comissão de Licitação

A Associação de Marketing Promocional é a única que desenvolve nacionalmente a teoria e a prática do setor de Live Marketing de forma ampla. Com sede em São Paulo, completa 27 anos em 2020 e possui cerca de 300 empresas associadas, com representação abrangente em todo o território nacional. www.ampro.com.br

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Universo Live

Mercado do Live Marketing busca capacitação

Publicado

em

Profissionais ligados ao Live Marketing estão aproveitando o ritmo menos acelerado para buscarem capacitação e qualificação para a retomada pós-pandemia. A AMPRO Saber, a plataforma de cursos de qualificação criada pela AMPRO – Associação de Marketing Promocional / Live Marketing, tem contabilizado crescimento no número de interessados pelos cursos.

No próximo dia 22 de abril, a partir das 18h30, já está confirmada o curso online “Concursos, Sorteios, Vale-brindes: Entenda a Certificação Necessária e Evite Problemas”, ministrada por Vanessa Calabria Macarrão, do FAS Advogados. O curso vai abordar sobre a legislação de promoções e prêmios, conceito de promoção comercial, modalidades e requisitos de realização, comprou-ganhou, campanhas de incentivo, programas de fidelidade e ações de chash-back e desconto.

Na sequência, no dia 27 de abril, a partir das 19h, uma próxima turma acompanha o curso “ROI de Eventos – Conheça e Aplique”, com Roberta Nonis, da Evento Único Consultoria. A aula vai orientar agências e clientes a definirem objetivos tangíveis e intangíveis de seus eventos desde o briefing, formatando o evento com foco na mensuração de resultados.

“Diversas modalidades do Live Marketing, como os concursos, sorteios, vale-brindes, as promoções no ponto de venda, o trade marketing, não pararam. São atividades que devem continuar sendo motivadas e gerando novos Jobs. Por isso também a procura pelo curso sobre promoções com premiações. Eventos também continuam acontecendo na modalidade online e o conteúdo do dia 27 foi pensado para o preparo dos profissionais para a medição de retorno, tanto em eventos digitais quanto no retorno dos eventos presenciais”, afirma o presidente executivo da AMPRO, Alexis Pagliarini.

A agenda de eventos do AMPRO Saber, bem como detalhes e inscrições, está disponível no site da AMPRO: https://ampro.com.br/agenda

Continue lendo

Universo Live

Publicidade nos muros das favelas gera cestas básicas ao G10

Publicado

em

Presente em comunidades de todo o país, o Outdoor Social® foi criado para conectar marcas com o público das favelas e aquecer a economia local. Na prática, como modelo de mídia OOH (Out Of Home), o morador recebe para tornar o muro de sua casa um outdoor para anúncios, fazendo com que a população local tenha contato com as marcas. “É uma forma de mostrar ao mundo o poder de consumo da região e possibilitar uma renda extra aos expositores, que são domiciliados locais”, explica Emilia Rabello, fundadora do Outdoor Social®, pioneiro no segmento OOH em favelas.

Nesse momento de agravamento da pandemia, além da renda extra, que auxilia os moradores, o Outdoor Social® destinará cestas básicas para o G10, bloco das 10 maiores favelas do Brasil. A cada painel instalado em abril, uma cesta básica é doada. A meta é alcançar o mínimo de 1.000 outdoors, de marcas como O Boticário e Tim, colocados nos muros dos moradores das principais favelas do país. O intuito é amenizar os impactos socioeconômicos deste momento de crise no país. “Estamos em uma situação crítica com o agravamento da pandemia e precisamos nos mobilizar. Só na primeira semana, conseguimos entregar 268 cestas e esperamos distribuir ainda mais rapidamente. Com essas doações, queremos atravessar juntos o momento de crise e inspirar outros líderes empresariais a destinarem parte do lucro à entrega social”, conta Emilia.

Segundo o Monitor das Doações Covid-19, organizado pela Associação Brasileira dos Captadores de Recursos (ABCR), a população brasileira fez muitas doações durante os 12 meses da pandemia no país. A cifra da solidariedade já totaliza R$ 6,5 bilhões, englobando doações de pessoas físicas e jurídicas. Desse valor, 84% são originários de companhias privadas.

 “Não podemos mais esperar por políticas públicas. Somos um povo forte, unido, trabalhador e juntos, sairemos dessa”, ressalta Gilson Rodrigues, presidente do G10. Acreditando na soma de esforços para atender as necessidades da sociedade, Emilia reforça o potencial que as comunidades têm. “As favelas brasileiras possuem um enorme potencial cultural, intelectual e econômico. Por isso, precisamos seguir somando esforços para garantir as ferramentas de pleno desenvolvimento dessas populações e alavancar a economia do país”, finaliza.

Continue lendo