Conecte-se com a LIVE MARKETING

Digital

Investimento em publicidade digital atingiu mais de R$ 30 bilhões em 2021, aponta estudo do IAB Brasil

Publicado

em

 O IAB Brasil, associação que representa o mercado de publicidade digital no País, lançou o Digital AdSpend 2021. Segundo o estudo, realizado em parceria com a Kantar IBOPE Media, foram investidos R$ 30,2 bilhões em publicidade digital no último ano, um aumento de 27% em relação ao ano anterior (R$ 23,7 bilhões em 2020).

O estudo também revela que mais da metade do total do investimento publicitário no digital em 2021 se destinou às plataformas de mídias sociais (54%) – o que se reflete também na participação de dispositivos móveis, que representaram 76% do share de devices. Em relação aos formatos, 37% dos investimentos foram direcionados a vídeos, 33% a imagens (soma dos formatos display como banners, headers, gifs e etc) e 30% a search (sites de busca).

“Os dados apresentados são uma importante referência para orientar o planejamento, as mudanças e as inovações dentro das empresas. Com a visão setorial que passamos a trazer desde 2020, o relatório evoluiu, ficou ainda mais robusto e estratégico. Além disso, a partir dos dados de 2021, começamos a construir uma base histórica para acompanhamento da evolução e movimentação deste investimento entre formatos, dispositivos e setores ano a ano”, diz Cris Camargo, CEO do IAB Brasil.

Rankings de setores

O Digital AdSpend 2021 aponta que 15 dos 26 setores pesquisados correspondem a 94% do total de investimento em publicidade digital no ano passado. E dois destes setores – serviços (26%), comércio (24%) – concentraram metade do investimento total do período analisado. Negócios como financeiro (9%), telecomunicações (7%), eletrônicos (6%) e mídia (5%) também se destacam em participação do aporte.

Somados, os demais setores – cultura, lazer, esporte e turismo; imobiliário, higiene pessoal e beleza; alimentos; vestuário e acessórios; bebidas; automotivo; farmacêutico; administração pública e social; minas e energia; casa e decoração; construção e acabamento; higiene doméstica; industrial; pet; agropecuária; brinquedos; escritório e papelaria; jogos e apostas e multissetorial – representam 23% do total de investimento em publicidade digital em 2021.

Crescimento do número de anunciantes digitais

Entre 2020 e 2021 o número de anunciantes que passou a investir em canais digitais cresceu 30%. Isto significa mais oportunidades de prospecção para agências, publishers e plataformas. Além disso, o surgimento de anunciantes traz ainda mais dinamismo com novos entrantes de diversos setores. O setor de casa e decoração, por exemplo, teve 83% mais anunciantes em 2021 do que no ano anterior. Este crescimento no número de anunciantes digitais também ocorreu nos setores de bens e serviços industriais (79%), minas e energia (69%), construção (59%), telecomunicações (53%), comércio (47%), escritório e papelaria (46%), higiene e beleza (42%) e higiene doméstica (41%).

Alta participação do Digital

Em 2021, o Digital recebeu mais de 50% das verbas totais de mídia de sete setores econômicos: vestuário e acessórios (74%); eletrônicos e informática (74%); cultura, lazer, esporte e turismo (63%); imobiliário (63%); serviços (56%); comércio (55%); e mídia (53%).

Top setores em investimento por formato

O estudo mostra que os setores que mais investiram em search (busca), em valores absolutos, foram comércio (R$ 4,2 bi), serviços (R$ 1,7 bi), eletrônicos e informática (R$ 590 mi), financeiro (R$ 386 mi) e turismo (R$ 339 mi). Estes cinco setores representam 66% do investimento em search.

Já em imagem, os setores que mais fizeram aporte nesse formato, em valores absolutos, foram serviços (R$ 2,9 bi), comércio (R$ 1,7 bi), financeiro (R$ 1,3 bi), telecomunicações (R$ 933 mi) e mídia (R$ 808 mi). Juntos, estes cinco setores representam 83% do investimento nos formatos de imagem.

Em vídeo, os top 5 em investimentos, em valores absolutos, nesse formato, foram os setores de serviços (R$ 3,1 bi), comércio (R$ 1,2 bi), financeiro (R$ 866 mi), telecomunicações (R$ 790 mi) e eletrônicos e informática (R$ 555 mi) – juntos, estes setores representam 68% do investimento no formato.

Continue lendo

Digital

Rocky.Monks é o mais novo parceiro da JustForYou

Publicado

em

A agência digital full service Rocky.Monks, em mais uma movimentação de mercado, fecha uma nova parceria com a JustForYou, maior marca de personalização de produtos de hair care da América Latina. Com início neste ano, a parceria visa aumentar os resultados em mídias pagas, expandindo a marca  e ajudando na divulgação das novidades da empresa.

“Nosso time de Mídias Pagas já está a todo vapor. Para nós, é de suma importância parcerias com grandes empresas como é o caso da JustForYou, e tenho certeza de que, com um bom trabalho do nosso time, vamos atingir ótimos resultados para que essa parceria dure por muitos anos”, explica Daniela Gebara, sócia fundadora e diretora comercial da Rocky.Monks.

A JustForYou é mais um grande cliente como Telhanorte e Loungerie, que também compõem a carteira de mais de 80 clientes da Rocky.Monks. Além disso, em 2021, a agência foi reconhecida como uma das melhores agências de comunicação para se trabalhar pelo GPTW.

Continue lendo

Digital

Monetização de dados é componente importante da Transformação Digital que movimentará US$ 2,3 trilhões até 2032

Publicado

em

O conceito Data Driven e a consequente monetização desses dados cresce exponencialmente e cada vez mais deve fazer parte dos negócios em todos os níveis. O mercado de transformação digital vai movimentar US$ 2,3 trilhões até 2032, com crescimento médio de 14,2% ao ano, de acordo com o relatório Market Research Report da Fact.MR. Apenas este ano, a expectativa é de que o segmento atinja US$ 621 bilhões. A consultoria Forrester avalia que as empresas que são Data Driven estão crescendo 30% ao ano.

O consultor Caio Cunha, presidente da WSI Master Brasil e membro do Global WSI Internet Consultancy Advisory Board, afirma que o novo modelo significa sobrevivência no mercado. “Ser Data Driven hoje é um diferencial competitivo. Muitos dos concorrentes já adotam e os que não adotarem vão sair do mercado. Cada vez mais os clientes querem ações mais inteligentes”, sentencia o consultor.

Cunha explica que a empresa que é Data Driven usa uma base de dados estruturada, com informações concretas para a tomada de decisões, apoiada em ferramentas de Business Inteligence, inteligência de negócios na tradução. O sistema usa grande quantidade de dados de maneira rápida, segura e eficiente.

“Monetizar esses dados passou a ser interessante. Essas tecnologias podem ser usadas para reduzir custos com automação de tarefas, aumentar receitas identificando e servindo melhor os clientes, atrair mais clientes com engajamento reduzindo esforços, ser mais pessoal e melhorar qualidade dos serviços sem aumentar a equipe”, afirma o consultor.

Continue lendo