Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Estudo mostra que o brasileiro terá novas prioridades na retomada

Publicado

em

Ir ao supermercado, fazer uma simples caminhada ou andar de táxi. Ações tão cotidianas e corriqueiras para a maioria da população, mas que, em razão da quarentena motivada pelo novo coronavírus, passaram a ser evitadas e até planejadas. Essas três atividades foram apontadas pelos brasileiros como as de maior intenção de serem feitas no curto prazo, assim que o isolamento social terminar. A constatação é do estudo “O Processo de Retomada das Atividades pelos Consumidores”, desenvolvido pela HSR Specialist Researchers. A pesquisa dividiu essa retomada no curto, médio e longo prazo, considerando curto a intenção imediata das pessoas na realização daquela atividade, médio são as que tendem a acontecer no primeiro semestre de 2021 e longo são as que devem ocorrer somente daqui a dois anos.
As prioridades entre as ações a serem realizadas no curto prazo são, na ordem: “ir ao supermercado fazer minhas compras” (para 79% dos entrevistados), “fazer caminhadas e corridas ao ar livre” (47%), “andar de Uber ou táxi” (40%), “ir a médicos para consulta de rotina” (38%) e “ir a igrejas, templos ou a outros locais religiosos” (31%).

As atividades a serem retomadas por último ou nunca mais – A higiene e o isolamento provocaram fortes mudanças de hábitos e parece que o “novo normal” veio para ficar. A higienização constante já entrou na vida das pessoas e não deve ser mais abandonada, mesmo depois do fim da quarentena, assim como será também o esforço para evitar aglomerações de pessoas. Dessa forma, 27% dos entrevistados dizem que não vão parar nunca mais de higienizar todos os produtos quando voltarem do supermercado e 9% afirmam que farão isso durante os próximos dois anos. Entre o público entrevistado, 21% sinalizam que jamais voltarão a “pegar coisas e encomendas do correio sem fazer higienização ou sem proteção”. Mas como ficará a retomada de shows, partidas esportivas e viagens? Para mais de 20% da amostra entrevistada, são atividades que precisarão aguardar pelo menos 2 anos para voltar a acontecer na vida deles e em alguns casos, nunca mais.

Atividades sociais devem esperar um pouco – O brasileiro é muito sociável, mas alguns costumes tradicionais deverão aguardar um pouco mais, principalmente as atividades de lazer e entretenimento. De modo geral, as pessoas se imaginam retomando o convívio social somente no médio prazo, portanto jantares (45%), abraços (43%) e encontros com amigos e parentes (45%), ainda terão que aguardar um pouco. “São todas situações que geram muita aproximação física e mesmo com pessoas conhecidas estão sendo planejadas para acontecer no médio prazo”, explica Naira Maneo, sócia-diretora da HSR Specialist Researchers.
O estudo dava opção de mais de uma resposta. Assim, “ir a jantar na casa de amigos/parentes”, “receber amigos e familiares em casa ou fazer reuniões sociais”, “visitar parentes ou amigos idosos nas suas casas” e “sair à noite para restaurantes e bares” tiveram o mesmo índice de resposta, mencionadas por 45% da amostra pesquisada como intenção no médio prazo.

“O estudo mostra mudança de consciência dos brasileiros em muitos aspectos e o caminho de volta à normalidade ainda deve demorar um pouco mais. Vai além do simples desejo de se voltar ou não a um antigo hábito. A quarentena fez com que ações antes vistas até como banais, sem importância no dia a dia, assumissem relevância nunca imaginada em outros tempos. Espera-se que a vida volte ao normal, mas, sem dúvida, com a presença continuada dos novos aprendizados adquiridos”, conclui Naira Maneo.
Metodologia e dimensões – A pesquisa “O Processo de Retomada das Atividades pelos Consumidores” foi realizada entre 15 e 22 de junho, ouvindo 2,2 mil pessoas por meio de painel online, incluindo homens e mulheres das classes sociais A, B e C, nas principais capitais brasileiras.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Universo Live

‘Dino Mkt x Live Mkt’: Score e AMPRO criam personagem para reforçar o Live Marketing

Publicado

em

A AMPRO – Associação de Marketing Promocional / Live Marketing lança, nesta semana, em parceria com Score, empresa de data retail e shopper experience da B&Partners.co, uma campanha para valorizar e reforçar as boas práticas do novo Live Marketing. No ano em que completa 28 anos atuando pelo reconhecimento e valorização do setor, a ideia da AMPRO é mostrar que, assim como as empresas e marcas passaram por uma importante transformação, o Live Marketing também evoluiu.

“Queremos reforçar, valorizar o Live Marketing e sua natureza de evolução constante para as necessidades do momento. O mercado não reconhece mais as práticas antigas. Tanto no campo das relações cliente-agência, como das práticas ESG, é preciso evoluir. E o Live Marketing mostra-se cada vez mais atualizado e eficaz”, comenta o presidente-executivo da AMPRO, Alexis Pagliarini

Criada pela Score, a campanha “Dino Mkt versus Live Mkt” traz um personagem fictício que irá explicar o que precisa ser mudado no mercado, e não somente do Live. “Queremos mostrar que o marketing pode evoluir, ser mais inteligente, abrir os olhos do mercado para novas oportunidades além do ATL, online tradicional e de velhas práticas de BTL, explica Fabrico Klug, VP de criação da Score.

Dois personagens representarão esse momento. O Dino (dinossauro) irá apresentar as velhas práticas que atrasam o desenvolvimento do mercado dentro dos cinco pilares da AMPRO: concorrência justa, relações duradouras, prazos de pagamento, exclusividade e princípios ESG. Como contraponto surge o Unicórnio, que representa a nova mentalidade do mercado, o mundo das inovações onde o Live Marketing sempre atuou, trazendo as evoluções das principais práticas do mercado.

Continue lendo

Universo Live

27º Prêmio ABEMD valida a importância dos dados na comunicação de clientes, anunciantes, agências e outras indústrias

Publicado

em

27º Prêmio ABEMD valida a importância dos dados na comunicação de clientes, anunciantes, agências e outras indústrias

No próximo 21 de outubro, acontece a noite de premiação dos DADOS. Se no passado, a palavra já foi bem próxima de jogos aleatórios ligados ao acaso ou à sorte, hoje representa exatamente o contrário, aponta para a alta performance e resultados efetivos. Hoje não se vive sem DADOS. A cada passo, a cada touch, a cada click, a cada link, os seres humanos deixam pegadas digitais, dados que se transformam, na mão de experientes profissionais, em caminhos assertivos para a criação de campanhas, anúncios, slogans, manifestos, causas, enfim, conteúdos transmitidos pelos mais diversos meios e dirigidos ao público alvo. Por trás de toda campanha premiada, anúncio relevante, slogan efetivo, post viral, toda comunicação bem-sucedida, há hoje um profissional expert na arte de acessar, armazenar, captar, coletar, processar, interpretar, difundir DADOS. Por eles e para eles a ABEMD, Associação Brasileira de Marketing de Dados vêm, há 45 anos, trabalhando para mantê-los sempre bem formados, informados, atualizados e antenados com as últimas novidades, discussões e temáticas do universo do Marketing de Dados. E é em homenagem a eles que realiza em outubro o 27º Prêmio ABEMD, destacando os melhores trabalhos, cases vitoriosos – ouro, prata e bronze – de acordo com 4 categorias: Digital/Mobile; CRM/Loyalty; Campanha/Programa; Call Center/Contact Center. Além das premiações especiais, como Grand Prix, Criação, Agência do Ano, Cliente do Ano e Melhor dos Melhores de cada categoria, Hall of Fame, homenageia um grande profissional que faz diferença por sua trajetória na área. Premiação estendida à Ana Maria Monteiro e Luci Silva em 2020, Fernando Cirne em 2019 e Efraim Kapulski em 2018 ao lado de outros grandes desde o início do prêmio, como Alexandra Periscinoto, Marcio Salem e Roberto Civita, dentre outros. Este ano, o Hall of Fame será de Hugo Rodrigues.

Estudioso do consumo e comportamento do consumidor, Rodrigues foi responsável pela grande virada da Publicis – do 10º ao 2º lugar no ranking das agências brasileiras – e, escolhido para suceder Washington Olivetto no comando da WMcCann, viu a agência ser nomeada a número 1 do País, em abril desse ano, pelo CENP-Meios. “Fazer parte do Hall of Fame de uma instituição tão sacramentada e tão forte, como a ABEMD, me deixa muito feliz. Ainda mais quando falamos sobre dados, que é o que todo nosso mercado tem buscado. Penso que não trabalhamos pelos prêmios, mas para ser útil de alguma forma para nossos clientes e deixar um impacto positivo na sociedade. A premiação é uma consequência e demonstra que estamos fazendo algo corretamente”, pontua Hugo Rodrigues que, com 3 anos e meio na liderança da WMcCann, deu relevância à cultura de dados e tecnologia, anunciando André França, vice-presidente de Dados e Mídia, como o Presidente da WMcCann, passando ele a ocupar a cadeira de Executive Chairman, com o objetivo de focar no posicionamento da agência para os próximos ciclos. “Esse reconhecimento da ABEMD coroa uma trajetória longa de muito trabalho, dedicação e resiliência. Agradeço imensamente a ABEMD, assim como a tantos profissionais que trabalham comigo e aos clientes que acreditam no nosso trabalho.”

Conexão, troca de conhecimento, informação e inovação estão na raiz da ABEMD, desde sempre destacados em sua identidade. “Em 2020, o mundo todo entendeu e comprovou a importância dos DADOS. Isolados devido à Pandemia, os negócios precisaram ser ainda mais assertivos e a comunicação ganhou enorme destaque para a união, educação, transformação e até sobrevivência de muitos. Não havia tempo para errar ou se desviar de seu público alvo, e os DADOS ganharam o protagonismo merecido”, destaca Cláudia Campos, presidente da ABEMD, que, desde que assumiu a instituição ao lado de Toninho Rosa, vem renovando a direção, com uma gestão mais próxima dos associados com a oferta de cursos, webinars e um leque maior de parcerias e convênios. Exatamente este protagonismo tem levado os DADOS para as mesas de debate. O direcionamento certeiro da publicidade e ações de marketing criou a necessidade de se estabelecer limites para que o direito à liberdade e privacidade de cada indivíduo fossem preservados. Precursora do processo da Lei Geral de Proteção de Dados, a ABEMD esteve presente na sanção da Lei, através do assessor Jurídico da instituição, Vitor Morais de Andrade, representante empresarial do Conselho da Autoridade Nacional de Proteção de Dados – ANPD.  Além disso, prezando por seus associados para que façam uso dos dados de forma eficiente e em conformidade com a lei, criou o Programa ABEMD Bureau Veritas de Proteção de Dados Pessoais, realizou inúmeros webinars de capacitação, promovendo troca de informações e colocando-se à disposição para ensinar e ajudar empresas e agências a lidarem com a nova LGPD.

Um motivo para enaltecer ainda mais a realização deste 27º Prêmio com uma noite vitoriosa para muitos pela validação de uma posição estratégica, inteligente e efetiva por um júri composto por 40 profissionais do mercado, que analisam juntos cada case, premiando os melhores, oferecendo grande visibilidade e credibilidade para a agência e a marca, que vê ali concretizada sua performance de ótimos resultados. “O Grupo OM Marketing & Comunicação ao qual pertenço ganhou mais de 50 prêmios, eu já participei umas 7 vezes como júri e é uma honra poder presidir agora. Venho somar minha experiência ao modelo tão bem estruturado do prêmio. Para nós é um grande reconhecimento de uma ótima relação profissional e emocional desenvolvida em anos de trabalho”, afirma Patricia Tavares, diretora de planejamento na HouseCricket Digital Direct que preside o júri do 27º Prêmio ABEMD. “Pessoalmente, ser presidente deste júri significa a coroação de uma história que fui construindo ao longo de anos, desde os primeiros cursos da ABEMD para incremento da carreira nos tempos da faculdade, até hoje, quando a cada sala de discussão, temos uma verdadeira aula pelo padrão dos trabalhos e do júri que, com rigor e dedicação, analisa e elenca os melhores cases”, complementa Patricia, que contribuiu bastante para esta 27ª edição, propondo a realização de workshops que ajudaram a elucidar para as empresas o passo a passo, da inscrição aos critérios de avaliação a que os cases seriam submetidos, incrementando ainda mais a qualidade do prêmio.

Continue lendo