Conecte-se com a LIVE MARKETING

Digital

MindBe inova e apresenta interface de voz humanizada para interação com os clientes

Publicado

em

Nos últimos anos, a área de Customer Experience (CX) tem apostado na tecnologia para fazer valer a sua máxima de colocar o cliente, definitivamente, no “centro” dos negócios de uma organização. Com o movimento de digitalização atual, foram criados aplicativos e outros canais de interface digital, porém, é inegável que a voz é a forma de comunicação mais natural.

A MindBe, empresa especializada em desenho e gestão de experiência do cliente, conectada com as recentes transformações nas interfaces de melhor experiência para o usuário, está empenhada em projetos de implementação do VUI (Interface de Voz para Usuários), tecnologia que permite o comando de um sistema por meio de voz ou fala, podendo evoluir para uma conversa completa e humanizada, substituindo atendimentos automáticos e mecanizados de URA (unidade de resposta audível).

Por meio do VUI, quando a pessoa fizer a ligação, a interface de voz perguntará o que ela deseja e direcionará exatamente para o seu objetivo final, evitando etapas desnecessárias que acabam consumindo o tempo do cliente. Por exemplo: se o usuário está com um problema com a fatura do cartão, por meio do comando de voz ele falará com o robô que resolverá o seu problema diretamente, de acordo com a jornada que foi desenhada e com disponibilidade de atendimento 24×7.

“Em nossos projetos de VUI, temos um alinhamento profundo com os clientes. Isso vai desde o entendimento dos objetivos de negócio, baseado em KPIS muito claros, até o desenho da persona e das jornadas no VUI”, explica Vito Chiarella Neto, CEO da MindBe. “O desenho de uma experiência de voz vai muito além da configuração de um robô, é um trabalho de muitas mãos e, principalmente, muitas cabeças, como linguistas, designers de experiência, desenvolvedores, entre outros”.

Segundo o executivo, a MindBe aprofunda-se no público da empresa e nas necessidades de cada cliente para, a partir daí, construir as interfaces digitais e realizar todo o Design Conversacional, ou seja, entender o que e como o cliente quer se comunicar neste canal e preparar o VUI para isso. “O VUI vem para substituir as URAs tradicionais, substituindo as vozes robóticas por interações humanas e inteligentes, gerando melhores resultados, maior satisfação do cliente e aproximando a marca”, afirma.

Por ser uma interface viva, o VUI precisa ser ensinado e adaptado constantemente, evoluindo de acordo com o comportamento do consumidor e até mesmo avançando para o entendimento de regionalismos e outras questões de linguagem. “Como em qualquer outra tecnologia, é essencial ter muito claro o propósito da sua implementação e, depois, continuar a sua evolução constante, acompanhando indicadores para atingir os resultados de negócio e uma experiência do cliente extraordinária”, finaliza.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Digital

Novo sistema de Inteligência Artificial reconhece imagens no PDV e gera economia

Publicado

em

Novas tecnologias vêm ganhando espaço nos pontos de venda, gerando agilidade, economia e conforto para os varejistas. E o uso de Inteligência Artificial é um forte aliado para avaliar o posicionamento e sortimento dos produtos nos PDVs usando redes neurais para reconhecimento de imagens.

A Digi, uma das mais relevantes empresas de marketing de incentivo e relacionamento do país, desenvolveu um sistema que utiliza a tecnologia de redes neurais para efetuar a leitura de milhares de imagens do PDV e gerar indicadores de acordo com os objetivos definidos pelas empresas de alimentos e bebidas, ou de outros setores, que podem estar relacionados a estoque, share, planograma, sortimento e preço. O resultado é devolvido em tempo real para as equipes de venda.

São leituras digitais que analisam variáveis como a exposição dos produtos, ruptura, invasão nas gôndolas, monitoramento da concorrência, sortimento e mix, entre outras, que além da agilidade e eficiência, praticamente zeram as fraudes. A nova tecnologia já está sendo testada por grandes empresas do setor de alimentos e bebidas no Brasil.

Esse produto Digi está sendo apresentado na APAS Show 2022, a maior feira de alimentos e bebidas da América Latina, que nesta 36ª edição, entre os dias 16 e 19 de maio, conta com o novo conceito “Além de Alimentos”.  Com isso, a feira passa a oferecer tudo de mais relevante para o setor, desde alimentos e bebidas, até tecnologia e inovação, passando por logística, finanças, infraestrutura, equipamentos e muito mais.

“Leituras de milhares de fotografias enviadas pelas equipes de merchandising até hoje são interpretadas por recursos humanos, ou seja, pessoas, que passam o dia analisando e classificando o material recebido. Um trabalho gigantesco e demorado, principalmente, para uma grande companhia que possui muitos produtos com distribuição nacional e diversos canais. Fica caro, passível de erro e gera pouco engajamento nas campanhas de incentivo para os times de venda, pois o retorno da avaliação demora”, analisa Marina Morato, diretora de Business Strategy da Digi.

Continue lendo

Digital

Hagens anuncia chegada do CPQD e Uniodonto

Publicado

em

A Hagens, casa de gente criativa e focada no desenvolvimento de projetos de transformação digital, inovação e marketing baseados em tecnologia e ciência de dados, anunciou a chegada de dois novos clientes ao portfólio. A agência está em plena expansão e agora passa a contar com as contas do CPQD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações), uma das maiores instituições do setor da América Latina, e da Uniodonto, maior rede de atendimento em planos odontológicos do mundo.

Para o CPQD, a Hagens irá atender todas as frentes de comunicação, tanto no B2B e B2C, atuando no site e redes sociais, com foco na performance, trabalhando a imagem da empresa com produção de conteúdo técnico.

Já para a Uniodonto, a Hagens irá fazer uma comunicação integrada, on e off-line, tanto no B2B (para empresas e planos empresariais), como no B2C, para reforçar a tradição da marca. Além disso, também trabalhará com a Dental, loja física de produtos da cooperativa para dentistas, focando no digital.

“Assumir contas de duas marcas de tanta credibilidade é uma responsabilidade que traz consigo um grande desafio. Nossa missão será manter a postura de entregar um trabalho de excelência, pois nossos pilares em tecnologia e em comunicação se completam, oferecendo uma imersão única no mercado. Assim, podemos trabalhar todas as nossas expertises em um nível mais desafiador e relevante, pois CPQD e Uniodonto elevam ainda mais nosso posicionamento neste mercado”, celebra Clauber Scarparo, sócio e cofundador da Hagens.

Continue lendo