Conecte-se com a LIVE MARKETING

Universo Live

Perennials mudam comportamento social e de consumo, segundo pesquisa

Publicado

em

Walter Longo apresentou dados sobre essa geração que hoje são 17% da população, mas correspondem ao dobro disso em potencial de consumo

“É hora de esquecermos a forma que sempre utilizamos para segmentar e estratificar a sociedade. A chegada dos Perennials muda tudo na análise do comportamento social e de consumo”, declarou Walter Longo, sócio e CIO da BBL, holding de entretenimento especializada em e-sports, no evento “Marketing de Engajamento: em busca da audiência perdida”, realizado no último dia 26 no Cubo Itaú, em São Paulo.

Walter Longo apresentou pesquisa encomendada pela BBL e realizada pela MindMiners, que buscou identificar os Perennials e seu novo comportamento social. “Eles são 17% da população, mas correspondem ao dobro disso em potencial de consumo e o triplo na capacidade de influenciar os demais. Essa geração é uma fatia importante do universo gamer, embora muitos pensem que esse universo seja formado apenas por Millennials. O mercado gamer é avaliado atualmente em US$ 1,5 bilhão e cresce 20% ao ano, com 454 milhões de espectadores globais, sendo 30 milhões apenas no Brasil”, destacou Longo durante a apresentação.

Perennials

Os Perennials não se relacionam por idade e sim por identidade. São pessoas de qualquer faixa etária, que vivem o presente, adotam tecnologia precocemente e têm amigos de múltiplas faixas etárias. Segundo a pesquisa, Perennials são 85% mais interessados em tecnologia, 33% em games, 42% em livros e 24% em cinema, em comparação com a média da população geral.

Essa geração também prefere ficar em casa e assistir streamings online ou TV à cabo do que sair para festas. E, dentre os conteúdos mais consumidos, estão os documentários e jornalismo, destacando uma queda de audiência em TV aberta mais acentuada em comparação com a população geral. A amizade e as relações para os Perennials são marcadas pelos interesses comuns, mais que na faixa etária, proximidade física ou grau de parentesco.

“Os Perennials gostam de marcas com propósito e que assumem causas. Empresas como a Amazon e Netflix estão liderando esse processo hoje porque segmentam seus produtos por comportamentos e estilos de vida e não mais por critérios de idade. A maneira de perceber a realidade determina a forma como uma empresa pode se diferenciar da concorrência”, explica o executivo.

Perennials vs. e-sports

O e-sports conecta todos os Perennials por meio de uma plataforma inclusiva, lúdica e participativa. É possível ter jogadores de 45 anos disputando torneios com garotos de 18 anos. “O engajamento, natural dos Perennials em tudo que fazem, encontra nos games a resposta mais lógica para exercer sua visão colaborativa e participativa do mundo. Em 40 anos de atividade em marketing nunca conheci nada tão engajador e com tanta capacidade de crescer como o universo do e-sports”, disse Walter Longo.

Este é um fenômeno inédito por diversas razões, como:

  • Conectar pessoas globalmente, formando uma tribo sem limites demográficos;
  • Faz parte da sociedade cada vez mais conectada;
  • Permite a interatividade e geração de Big Data para retargeting e pós-marketing;
  • É inclusivo e dá oportunidade a todos, independente de idade, gênero ou classe social;
  • Gera engajamento em 3D: pelo jogo, pelo time e pelo evento.

Tanto que os e-sports apareceu pela primeira vez no Tech Trends Report, apresentado pela futurologista Amy Webb, durante o SXSW 2019. “Há uma corrida do ouro para as marcas que desejam fazer parte desse mercado. Precisam se integrar e criar um relacionamento com o público-alvo para alcançar o engajamento. O digital é engajamento com experiência. Mas a abordagem deve ser cuidadosa, colaborativa e com respeito”, finalizou Longo.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Universo Live

NovaDAX distribui criptomoedas na Stock Car

Publicado

em

A sétima etapa da temporada de 2022 da Stock Car aconteceu no Autódromo de Interlagos, em São Paulo e agitou o mundo dos criptoativos. A NovaDAX – exchange global de negociação de criptomoedas e patrocinadora oficial da Stock Car, marcou presença com uma ação de live marketing, seguindo tendências de players internacionais ao apostar no automobilismo de maneira inovadora e imersiva.

“As ações de live marketing são importantes para criar awareness da marca e produtos, ao mesmo tempo em que aproximam o público e desenvolvem uma conexão mais próxima com os clientes”, diz Aloizio Manoel, trainee marketing da NovaDAX.

Os convidados tiveram a oportunidade de interagir com uma máquina de vento com distribuição gratuita de papéis que presentam valores reais em criptomoedas, ao mesmo tempo em que recebiam informações valiosas sobre as soluções da corretora de criptoativos, que tem se destacado no mercado brasileiro.

A ação foi idealizada e produzida pela Agência Folzke, que aposta na nova economia da geração Z.

“A NovaDAX é um retrato da nova economia, da era tech em que estamos vivendo e irá se intensificar ainda mais com a geração Z. Tudo isso está em total sintonia com a missão da Folzke e nos inspira a criar soluções cada vez mais criativas e imersivas”, conclui Gabriel Folzke, diretor da agência Folzke.

Continue lendo

Universo Live

Budweiser apresenta projeto artístico que impede a demolição de quadras de basquete de rua pelo Brasil

Publicado

em

As quadras de basquete de rua fazem parte da vida das pessoas. Elas estão nos bairros, nos centros, na infância e na juventude e, por isso, acabam se tornando mais do que um lugar para se jogar basquete. Mas se por um lado a quadra é sinônimo de lazer, cultura, música e senso de comunidade, ela também é um espaço altamente visado pelo mercado imobiliário. Afinal, são 420m2 de um terreno plano que poderia dar lugar para novos estacionamentos e prédios.

Infelizmente, quando uma quadra é destruída, não se perdem apenas 420 m2, mas toda a cultura que está a sua volta e, por isso, a Budweiser, parceira da NBA e uma das porta-vozes do basquete no Brasil, decidiu agir. A marca encontrou uma brecha na Lei de Tombamento Brasileira nº 25/1937, que diz: “um lugar de interesse público com valor artístico é considerado patrimônio público e não pode ser demolido”.

Intitulada “Quadras Indestrutíveis”, a iniciativa criada pela agência Africa contempla a realização de um projeto artístico, com relevância cultural ao local, em uma quadra de rua. Com o projeto realizado, é possível entrar com um pedido de tombamento*. Para isso, a Budweiser resumiu o processo em cinco passos, descritos no site Quadras Indestrutíveis : 1) Escolha uma quadra pública de basquete; 2) Encontre um tópico relevante para a cultura local; 3) Selecione um artista; 4) Budweiser conecta o artista, a quadra e você; 5) Entre com o pedido de tombamento.

“Esse é um projeto extremamente relevante, que dá poder para as pessoas exigirem o que é delas por lei. Cada dia que passa é mais comum vermos quadras abandonadas, sem cuidado ou iluminação. As pessoas não merecem esse descaso, elas merecem cultura e lazer,” comenta André Mota, gerente de estratégia da marca Budweiser na Ambev.

O projeto piloto, realizado com sucesso em uma quadra em Natal, RN, mostrou o potencial de transformação da iniciativa. A Budweiser convidou um artista local, que criou uma arte homenageando um dos principais jogadores brasileiros de basquete, também nascido na cidade, Oscar Schmidt. Após a realização da obra, o pedido de tombamento foi feito e levado para o secretário de cultura junto ao prefeito. Hoje, a quadra já é considerada um patrimônio cultural e não pode ser demolida. Daqui em diante, ela servirá apenas para lazer, entretenimento, cultura e até como ponto turístico na cidade.

Pelo site, já foram registradas cerca de 16 quadras, que agora estão no processo para receberem um artista e serem transformadas. Na Mooca, tradicional bairro da cidade de São Paulo, SP, uma quadra acaba de ser finalizada.

Continue lendo