Conecte-se com a LIVE MARKETING

Digital

Jout Jout, Nah Cardoso e outros nomes participam de série sobre criadores de conteúdo digital no Brasil

Publicado

em

Com oito episódios, “Na Rede.BR” estreia na terça-feira, 8, e terá a participação de diversas personalidades que são referência nas mídias digitais nacionais

O canal de TV por assinatura Prime Box Brazil exibe, a partir das 21 horas de terça-feira, 8, a série “Na Rede.BR”. A nova produção brasileira retrata a rápida expansão dos criadores de conteúdo digital no país, com a participação de vários nomes que são referência nas mídias digitais nacionais: Nah Cardoso, Jout Jout, Ian SBF (diretor do Porta dos Fundos), Iberê Thenório e Mari Fúlvaro (do canal Manual do Mundo), Maíra Medeiros (Nunca te Pedi Nada), Nátaly Nery (do Afros e Afins, o maior canal de empoderamento negro do mundo), entre outros. O Prime Box Brazil é distribuído pelas principais operadoras de televisão paga do país, como Net, Sky, Claro, Vivo, Oi e Algar, entre outras.

A série “Na Rede.BR” é dividida em oito episódios, sendo que cada um deles carrega uma temática diferente. Inclusive sobre business, já que, há alguns anos, ser “youtuber” não era sequer especulado e, atualmente, é uma “carreira” almejada por muitos, além de possibilitar pessoas de todas as idades e classes sociais a ganharem posição de destaque nas mídias digitais. Nah Cardoso, Danielle Noce, Gil Giardelli e Fabi Fróes são os nomes que discutem esse assunto.

Para a produção da série, que foi realizada pelo canal DRelacionamentos, foram feitos levantamentos e análises com dados desde o ano de 2010 sobre diversas vertentes que tornam as mídias digitais ferramentas tão poderosas, cujos resultados podem apresentar benefícios e malefícios. O feminismo é um dos temas abordados, pois, após a ascensão das mídias digitais, os desabafos e denúncias são cada vez mais frequentes. Também há um questionamento a respeito do acesso de crianças que já não sabem mais viver sem internet, uma vez que, sem o devido controle dos pais, elas podem eventualmente se tornar vulneráveis a situações indesejáveis ou inapropriadas às suas idades.

Diversas outras discussões também são abordadas na série, como se é possível aplicar legislação para conteúdo produzido na internet da mesma forma que para a televisão, se os grandes veículos de comunicação podem “ruir” por conta das produções para a internet e se os produtores de conteúdo para o ambiente on-line não estão “amarrados” em grades de programação, se seguem manuais próprios na gestão do conteúdo que produzem ou se aderem às regras são aplicadas nos veículos convencionais.

Felipe Ventura e Jackeline Salomão, produtores executivos da série e administradores do canal DRelacionamentos, comentam sobre a importância da existência dos Criadores de Conteúdo digital, assim como uma série que estuda o impacto dessa categoria no Brasil. “Os hábitos das pessoas mudaram muito rápido e a tecnologia nos acelerou demais. Agora, ou aceleramos nossa compreensão e amadurecermos, ou seremos atropelados por uma nova forma de entretenimento e comunicação enquanto aguardamos o break comercial, afirma Felipe. “É importante que o Brasil olhe para a internet com seriedade e senso crítico, pois é dali que sairão nossas próximas grandes mudanças sociais, sejam elas positivas ou nem tanto”, completa Jackeline.

A sére “Na Rede.BR” terá episódios inéditos exibidos sempre nas noites de terça-feira, até o dia 26 de fevereiro, com reprises às quartas-feiras às 9 horas, aos sábados às 14 horas e aos domingos às 2 horas.

Sinopse por episódio

Episódio 1: Feminismo

Desde o formato dos vlogs, vídeos de denúncias e desabafos são disseminados em escala viral. O acesso das mulheres a narrativas comuns do dia-a-dia permite o fortalecimento do grupo e a insurgência da terceira onda feminista da história. Graças ao empoderamento feminino, o debate sobre igualdade entre gêneros alcança centros de poder político e econômico e expõe o problema do machismo e da normalização da cultura do estupro na sociedade. Jout Jout, Maíra Medeiros, Nataly Neri e Maria Guimarães conduzem a conversa.

Episódio 2: Kids

É possível dizer que a geração nascida no século 21 já não sabe como é viver em um mundo sem internet. O comportamento e a forma de se relacionar das crianças de hoje são completamente influenciadas pelo universo digital. Mas quem é responsável pelo que elas produzem e consomem na grande rede? Como regular a publicidade abusiva e a superexposição da faixa social mais vulnerável em um ambiente tão plural? Acompanhamos Eloá – do canal Eloá e Diversão -, sua mãe Eliana, a escola de youtubers mirins Happy Code, a advogada Ekaterine Karageorgiadis e a pesquisadora Luciana Corrêa para explorar esse assunto.

Episódio 3: Vloggers

De todas as previsões sobre empregos do futuro especuladas há alguns anos, nenhuma foi capaz de antecipar o surgimento do youtuber. Desde 2010, produtores de conteúdo brasileiros da maior plataforma de vídeo sob demanda do mundo exploram formatos e desenvolvem modelos de negócios desta carreira tão promissora do novo mercado. Danielle Noce, Nah Cardoso, Gil Giardelli e Fabi Fróes discutem o business e a história da produção de vídeo para a internet.

Episódio 4: Humor

De todos os formatos inovadores que aparecem nos vídeos digitais da internet, foi no gênero de humor a subversão mais evidente. O surgimento do canal Porta dos Fundos deixou claro que o formato da comédia e a televisão como um todo estavam envelhecendo. Mas as liberdades de linguagem da grande rede trouxeram de volta uma antiga discussão: quais são os limites do humor? Ian SBF, Bubarim e o advogado Marco Antônio dos Anjos discutem as fronteiras legais e éticas da comédia na internet.

Episódio 5: Educação

Canais educativos são uma das opções do variado cardápio disponível nas plataformas de vídeo. A internet possibilita que professores extrapolem os limites da sala de aula para alcançar os mais remotos rincões do Brasil. Mas como a educação pública poderia tirar proveito da extensa oferta de conteúdo educativo à disposição na rede? Rafael Procópio, Iberê Thenório, Mari Fúlfaro e especialistas discutem curadoria e alcance do conhecimento pelo YouTube e as possibilidades legais da prática da educação domiciliar.

Episódio 6: Periferia

A era digital e da banda larga democratizaram a produção audiovisual no Brasil e no mundo. Um dos seus efeitos mais revolucionários é permitir a qualquer pessoa ser protagonista das próprias histórias. A periferia, tão estigmatizada pela mídia tradicional, pode enfim retratar suas nuances e sua complexidade. Dona Rúbia, P.drão, Mamuti e Danilo Cymrot refletem sobre a vida simples, a produção musical e a criminalização da cultura de quem vive longe do centro.

Episódio 7: Diversidade

Dar voz a grupos excluídos das narrativas de mídia, como negros, gays e pessoas trans, permite uma reação organizada de um público que nunca havia sido devidamente representado na TV. Movimentos como o #OrgulhodeSer, promovido pelo YouTube, são capazes transformar autoestima, estruturas sociais e padrões publicitários. Com os holofotes sobre as questões negra e LGBT, o mercado se remodela e passa a atender o consumidor em suas diversas particularidades. Pedro HMC, Thiessa Woinbackk e Gabi Oliveira dão suas diferentes perspectivas sobre o assunto.

Episódio 8: Live

Os eventos esportivos e as coberturas jornalísticas ao vivo são os pilares econômicos das mídias tradicionais que a internet ainda não conseguiu derrubar. No entanto, ao que parece, essa ruína é uma questão de tempo. Thiago Romariz, Bruno Torturra, Bia Granja e Anderson Gurgel comentam a função das lives da internet na integração do usuário, a importância da não-intervenção do conteúdo pela edição de vídeo e refletem sobre o futuro dos direitos de transmissão das TVs.

SERVIÇO

Seriado ‘Na Rede.BR’

Novos episódios: todas as terças-feiras, às 21h

Reprises: quartas-feiras, às 9h; sábados, às 14h; e domingos, às 2h

Episódios: 08

Duração: 24 minutos por episódio

Classificação indicativa: Livre

Principais operadoras de TV por assinatura: NET, Sky, Claro TV, Oi TV e Vivo TV

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Digital

Agência3 assina projeto digital sobre sustentabilidade para DOW

Publicado

em

Diálogos Mais Sustentáveis é uma plataforma de conteúdo criada pela Agência3 para DOW, empresa líder em ciência dos materiais, com o objetivo de discutir os desafios mais críticos que envolvem a sustentabilidade na América Latina e propor ações de impacto positivo. A ideia é que seja um espaço de compartilhamento de informações e de parceria com a sociedade para a construção de um mundo mais sustentável. A Dow oferece produtos e soluções de base científica para mercados importantes como embalagens, infraestrutura e cuidados do consumidor.

A agência fornecerá conteúdo digital para reforçar a comunicação com vários públicos e dar visibilidade ao projeto, reforçando o compromisso da marca com a sustentabilidade. Entre as metas da empresa estão a redução das emissões anuais de carbono até alcançar a neutralidade em 2050, investir em tecnologia para reciclagem de plásticos e até 2035 oferecer 100% de produtos reutilizáveis ou recicláveis nas aplicações de embalagens.

“A intenção é, por meio do nosso hub de conteúdo, abrir um espaço de conversa que amplie o conhecimento para reforçar as mudanças em nome da sustentabilidade”, diz Willian Rocha, Diretor de Conexões da Agência3.

Continue lendo

Digital

Estácio é o novo cliente da Raccoon

Publicado

em

A agência de marketing digital Raccoon assume a conta da Estácio, um dos maiores players de educação superior no Brasil, com uma enorme presença nacional. Entre outras ações, o escopo de trabalho da agência envolve gestão, performance (mídias pagas, web analytics e design) e criação de conteúdo digital (conteúdo, CRM, CRO, SEO e Front End). A parceria entre as empresas teve início em dezembro de 2020.

De acordo com André Palis, sócio-fundador da Raccoon, a conta da Estácio era um desejo antigo da empresa e um enorme desafio para a equipe. “Trata-se de um projeto bastante profundo. O segmento educacional é muito concorrido, os players do setor têm uma presença forte e intensa no ambiente online, de modo que o nível de trabalho tem que ser bem elevado”, afirma.

Continue lendo

Digital

Com estratégia Reamp e soluções para aplicativo do Google e Facebook, Movida transforma app em um dos principais geradores de negócios

Publicado

em

O uso de aplicativos para serviços automotivos apresenta grande crescimento no Brasil: segundo o eMarketer, até 2019, a popularidade desse serviço entre os donos de smartphones cresceu a uma taxa de 15% por ano, desde 2017. Foi percebendo essa oportunidade que a Reamp, adquirida pelo digital partner global Jellyfish em 2020, e a Movida Aluguel de Carros, locadora de veículos que oferece soluções inovadoras em mobilidade urbana para todo tipo de necessidade, criaram um projeto de otimização de aplicativo com tecnologia Google que transformou a performance nesse canal. O projeto contou, ainda, com o estudo direcionado sobre Aumento de Conversão do Facebook, com otimização da campanha também pela rede social.

O projeto, que ganhou ainda mais visibilidade com mudanças necessárias provocadas pela pandemia de COVID-19, começou com uma análise simples: a observação de que o site concentrava todas as conversões online, enquanto o app, que oferece praticidade e rápido acesso, gerava somente visitas, não conversões. “Era uma questão de centralizar a ciência de dados em mensuração e direcionamento de campanha. Com o aplicativo otimizado para compra, restava entender como engajar o usuário e apresentar para ele a oferta oportunamente”, contou Charles Sperandio, CMO da Movida.

A solução da Reamp foi simples: centralizar a mensuração no Analytics Firebase, do Google, e enviar, por lá, notificações via push de acordo com variantes como clima, audiência mais responsiva e geografia. “A ferramenta do Firebase, nesse contexto, acaba sendo essencial para a estratégia de crescimento, centralizando as informações sobre o app em um só lugar e permitindo uma mensuração mais precisa de desempenho, possibilitando ajustar estratégias em tempo real”, comenta Gustavo Galli, Gerente de Parcerias do Google.

A aferição do valor da otimização de social, feita em parceria com o Facebook, calculou o incremento das vendas – um método conhecido como Conversion Lift. Foi possível observar que, dentro das campanhas de social, a pesquisa foi fundamental e revelou tanto a importância da campanha na rede social (responsável pelo aumento do ROAS – Retorno Sobre o Investimento Publicitário – em mais de cinco vezes), quanto da sedimentação da mensagem pelo multicanal – contribuindo, também para as compras feitas dentro do aplicativo. Em resumo, a nova estratégia da Movida no Facebook, com uma estrutura de conta mais simples e ferramentas disponíveis no próprio aplicativo, aumentou o número de pessoas interessadas em seus serviços.

Para a empresa digital, o sucesso veio de uma convergência de fatores. “Foi importante a nossa percepção do aplicativo, mas também a estratégia de centralização, organização e ativação dos dados de usuário. No fim, o que conseguimos foi contextualizar o aplicativo dentro da jornada de compra e torná-lo relevante para o usuário no contexto dele, coordenando as táticas de App+Site. Quanto à estratégia de push, só no primeiro mês de disparos, o número de reservas aumentou 17% e o número de aberturas do app cresceu 48%. É uma média de aumento de 69% em aberturas do aplicativo e 20% em reservas a cada disparo. Pensando na estratégia geral, em apenas quatro meses, a participação de investimento nas campanhas de app aumentou de 5% para 44%, enquanto as reservas passaram de 9% para 59%.”, conclui Adones Duarte, da Reamp.

Continue lendo

Tendências