Conecte-se com a LIVE MARKETING

Empresa

Blockchain: impacto e benefícios no mercado do marketing

Publicado

em

No ano passado, o Brasil ficou em 11o em um ranking entre os países que usam o blockchain – segundo levantamento do Criptomoeda.org. No país, a tecnologia já foi adotada em bancos como Itaú, Santander, BNDES e Banco Central do Brasil. Para a América Latina, o IDC Latin America prevê que, até 2022, 20% dos servidores utilizarão criptografia de dados e, graças ao blockchain, as identidades digitais serão usadas por mais de cinco milhões de pessoas.

O Blockchain é um banco de dados que registra diferentes tipos de transações e mantém registros espalhados por servidores, permitindo que duas partes façam transações seguras em uma rede descentralizada. Dentro dessa tecnologia, as informações não podem ser alteradas e são distribuídas com recursos de criptografia imutáveis. No setor de marketing, seu papel é fundamental – já que evita fraudes; oferece maior transparência econômica e de dados; aumenta a eficiência; e previne discrepâncias por toda a extensão do supply chain.

Quando bem planejado e executado, o blockchain adiciona valor às ferramentas de marketing já existentes e permite um novo boom em inovação. Esse cenário melhora a forma e o conteúdo das conversas entre os profissionais de marketing e seus clientes.

A MediaMath, pioneira em marketing programático, lista alguns benefícios de trabalhar com o blockchain:

Solução de problemas

Apesar dos avanços do mercado e das tecnologias à disposição dos profissionais, o marketing digital ainda enfrenta alguns desafios quando falamos de transparência, padrões de qualidade, discrepâncias entre as partes interessadas, etc.

É nesse momento que o blockchain entra como um aliado dos profissionais desse setor. E há espaço para fazer muito mais: expandir os reais resultados de negócios; aumentar a eficiência, simplicidade e eficácia da execução de campanhas de marketing; e facilitar a contabilidade e o pagamento dessas ativações.

Reconciliação

Um cenário como este não é incomum: um anunciante deseja uma campanha de display com 200 mil impressões. Na revisão dos relatórios, a plataforma de compra apresenta 208 mil impressões; o adserver, 194 mil; e o publisher diz que foram 212 mil. Isso acontece porque a plataforma de Ad Serving, a de compra e o publisher contam as impressões separadamente. Com o blockchain, esse problema é resolvido, uma vez que o registro público de cada transação das três partes é reconhecido para verificar o número exato de impressões entregues.

Eficiência

Nas compras, há empresas intermediárias entre anunciantes e publishers. No mundo digital, as ad networks oferecem grupos de sites que têm inventários e, ao mesmo tempo, agrupam (e gerenciam) os anunciantes que os compram.

Com o blockchain, é possível fazer uma comunicação direta entre ambas as partes para verificar a entrega de anúncios e automaticamente habilitar o pagamento por meio de contratos inteligentes. Assim, os anunciantes têm a certeza de pagar pelos anúncios exibidos e não pagam intermediários.

Marketing focado no consumidor

Os consumidores estão cada vez mais conscientes das implicações da privacidade e do valor de seus dados digitais, e querem participar da comercialização desses dados. A tecnologia de blockchain e os micropagamentos que ela possibilita oferecem a oportunidade de recompensar os consumidores por se engajarem em anúncios, visualizarem criativos ou fornecerem dados ou outras informações relevantes – o que é uma proposta atraente na era do adblocker.

Embora ainda não implementada para esse fim específico, a tecnologia blockchain permitiria aos usuários vender seus dados pessoais. Se um número suficiente de anunciantes pagasse por essas informações diretamente para os usuários, e usuários suficientes optassem por isso, teoricamente não haveria intermediários e melhoraria a qualidade e o custo das informações utilizadas.

Aproveitando o blockchain ao máximo

Porém, para que a tecnologia seja usada em sua excelência, é fundamental que todo o ecossistema esteja alinhado no uso dessa ferramenta. O blockchain e as tecnologias criptográficas relacionadas resolverão os desafios estruturais de longa data inerentes à arquitetura da adtech – diferentemente das soluções temporárias vistas hoje no mercado. Assim, os profissionais de marketing alcançarão os consumidores de formas mais interessantes e eficazes, uma vez que uma nova camada de arquitetura tecnológica existe para apoiar essas conversas.

Continue lendo
Clique para comentar

You must be logged in to post a comment Login

Deixe uma resposta

Empresa

Facebook sofre pressão para desistir de Instagram infantil

Publicado

em

No início da semana, 40 procuradores-gerais de Nova York, Texas, Califórnia, Massachusetts, Nebraska, Michigan, Ohio, Utah, Vermont e Kentucky solicitaram que Mark Zuckerberg, criador do Facebook, desista de lançar uma versão do Instagram para menores de 13 anos.

O pedido foi realizado por meio de uma carta que discordava do argumento do Facebook de que o Instagram infantil seria uma forma de suprir a demanda por redes sociais para crianças. “Parece que o Facebook não está atendendo a uma necessidade, mas sim criando uma, já que esta plataforma atrai principalmente crianças que, de outra forma, não têm ou não teriam uma conta no Instagram”.

Em outro trecho, as autoridades disseram que o Facebook falha em proteger os menores dentro de suas plataformas e ainda ressaltaram os riscos de uma rede voltada a esse público. “O uso das redes sociais pode ser prejudicial à saúde e ao bem-estar das crianças, que não estão preparadas para enfrentar os desafios de ter uma conta nas redes sociais”.

Há poucas semanas, a rede social de Zuckerberg afirmou que planejava criar uma plataforma do Instagram especialmente para crianças e pré-adolescentes, já que, atualmente, quem tem menos de 13 anos não pode criar uma conta no site.

No entanto, a ideia foi recebida com muitas críticas e agora terá de enfrentar o grupo de procuradores estadunidenses que se contrapõem ao projeto. Nos Estados Unidos, a Lei de Proteção à Privacidade da Criança na Internet proíbe a presença de menores de 13 anos nas redes sociais.

 

Matéria publicada no portal de notícias AdNews. Se quiser mais informações sobre o mundo da publicidade e do marketing acesse: https://adnews.com.br/

Continue lendo

Empresa

Ivete Sangalo é a nova embaixadora de Neutrox

Publicado

em

Ivete Sangalo é a nova embaixadora de Neutrox. A cantora será a estrela das ativações e campanhas da marca já a partir deste mês. O anúncio foi feito durante a live de Dia das Mães da baiana, realizada neste domingo, 9, que contou com o patrocínio de Neutrox. “Neutrox faz parte da minha vida faz tempo. Têm linhas para todos os momentos dos cabelos, para garantir sempre a hidratação. E eu, como embaixadora, estou acompanhando todas as novidades da Neutrox”, afirmou Ivete Sangalo durante sua live, que também exibiu “duetos” da cantora com fãs de todo o Brasil, gravados com a ferramenta Reels Remix, em uma ação da marca para divulgar o show on-line.

A escolha de Ivete para ser o novo rosto e cabelos de Neutrox não foi por acaso. A cantora, uma das mais queridas do País, personifica o posicionamento da marca, que estimula as consumidoras as aproveitarem as boas coisas da vida. Seja pulando atrás do trio elétrico com os amigos ou curtindo um fim de semana na praia com a família, Neutrox garante a hidratação e o brilho dos fios.

“Essa marca tão querida pelas brasileiras precisava de uma embaixadora à altura. Ivete tem uma personalidade marcante, alegre, espontânea, que reflete à da mulher de Neutrox”, explica Daniel Tiraboschi, Diretor da Unidade de Negócio Cabelos da Flora, indústria nacional de bens de consumo fabricante da marca.

Crossmedia – Em 2021, Neutrox irá renovar a aposta em sua estratégia crossmedia, focada em TV e digital. No último ano, a marca voltou à TV aberta e foi patrocinadora da 12ª edição do reality show A Fazenda (Record), que registrou uma das maiores audiências do formato. Um levantamento feito pela marca mostrou que mais de 500 milhões de pessoas foram impactadas pelas ações relacionadas ao patrocínio. A procura pelo termo Neutrox durante a exibição do reality bateu recordes nos meios digitais. No Google, foi a maior dos últimos cinco anos.
Continue lendo